Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Apesar de ter apenas um fio branco em minha barba e de ainda não ter feito 30 anos, gostaria de dar – não de vender – alguns conselhos para a vida. Eu sei que seria bem mais fácil fazer com que confiassem em mim se eu tivesse algumas rugas, sinais claros de calvície e paciência para a meditação, mas, mesmo sem portar as características tradicionais dos sábios da terceira idade, gostaria de repassar, a vocês, coisas que eu aprendi à base de joelhos ralados, de pálpebras inchadas e de queimaduras no céu da boca.

1. Somos os maiores responsáveis pelo nosso sofrimento

Acredite se quiser: o trânsito caótico, o seu namorado desatento e o seu chefe insensível, diferente do que insiste em dizer por aí, não são os verdadeiros responsáveis pelo seu stress e pelas suas noites de insônia. Sabe quem é o maior responsável pela maioria das coisas ruins que você tem sentido? VOCÊ! Sabe por quê? Pois os nossos sentimentos, bons ou ruins, são geralmente um reflexo da nossa capacidade de lidar com as variáveis da vida. Quando nos cobramos em demasia, por exemplo, fazemos com que um simples exagero na quantidade de sal colocada no peixe – coisa que poderia facilmente ser encarada como motivo de risos – se torne razão para uma boa dose de sofrimento. Percebe? Se você mora em São Paulo, dificilmente conseguirá fugir do trânsito, e, nem por isso, precisa sofrer a cada vez em que estiver engarrafado. Algumas coisas, como a postura do seu chefe, são imutáveis, e, por isso, ao invés de gastar as suas energias tentando mudá-las, mude a forma como você encara tais coisas. Cabe a você, somente a você, procurar uma forma mais leve de se relacionar com os elementos da vida. E, cara amiga, mais importante do que resolver o problema, com certeza, é aprender a olhar para o problema com leveza e, se possível, a transformá-lo em piada de bar. Pode parecer um conselho irresponsável, mas, se puder, não leve a vida tão a sério e não espere a velhice para perceber que a nossa maior responsabilidade, apesar de dizerem que é o trabalho, é aprender, antes do fim, o que realmente vale um sorriso.

2. Não existe cultura inútil

Outro dia, para a minha irmãzinha, eu tentei explicar a importância das aulas de matemática e das tantas coisas que ela está aprendendo na escola. Não é fácil. Na idade dela (11 anos), eu também não sabia. E vejo que muitos, mesmo depois de adultos, ainda não perceberam que toda informação, por mais inútil que possa parecer, não deve ser desprezada. Quando eu soube que o orgasmo dos porcos pode durar 30 minutos, tive a impressão de estar adquirindo uma informação sem valor, agora, porém, percebendo o quanto tal fato serve perfeitamente para exemplificar o meu ponto de vista neste texto, eu agradeço àquele que me contou isso e que um dia me fez invejar os suínos. Meu conselho é: não descarte a chance de aprender uma informação nova, pois, seja em um papo de bar, em uma entrevista de emprego ou na confecção de um xaveco potente, é bem possível que você possa usá-la!

3. O amanhã é apenas uma hipótese

Still Alive (ainda vivo) é a frase que tatuei em meu peito. Parece óbvio, não parece? Mas gosto de, no espelho, ler a palavra still (ainda) e de, graças a ela, lembrar-me de que não tenho nenhuma garantia de que estarei vivo no próximo minuto. Muitas vezes, ao esquecer de que a nossa existência pode findar a qualquer momento, deixamos tudo, até mesmo as coisas mais importantes – como o perdão -, para o futuro. Mas a vida é o presente que temos agora e, com certeza, não deve ser desperdiçada em nome de algo incerto como futuro! Se não viver cada dia como se fosse o último, quando chegar ao seu último suspiro, certamente terá muitos arrependimentos. Por isso, pare de inventar desculpas, levante já a bunda do sofá e aproveite que AINDA está vivo para começar a viver, de verdade e sem enrolação.

MAIS: 4 COISAS QUE NÃO DEVERIAM TIRAR O SEU SONO

MAIS: 7 PASSOS PARA LIDAR MELHOR COM SUAS EMOÇÕES

4. Você não é obrigado a superar os seus limites

Esqueça os comerciais que insistem em dizer que você precisa superar os seus limites. Isso não é necessário e, em muitos casos, diferente do que a Adidas diz, é impossível. O que importante na vida, de verdade, é entender os seus limites e aprender a não desperdiçar as suas energias correndo atrás de utopias. Aceite: todos têm limites! Somos humanos e não robôs.

5. Cuidado com o pastel de pizza

Nunca subestime os riscos de se queimar com um pastel de pizza. É sério! Ele geralmente parece inofensivo, mas, após a primeira mordida, traiçoeiramente, o tomate quente costuma sair de dentro da massa e migrar direto para o lábio inferior.

superela_ricardocoiro

MAIS: 5 MANEIRAS DE ENCARAR A VIDA DE UMA FORMA DIFERENTE

MAIS: 7 CLICHÊS IDIOTAS QUE PRECISAMOS PARAR DE REPETIR

Foto: www.pinterest.com/superelaoficial

@ load more