Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Muita gente quando ouve alguma mulher dizer que é feminista já a imagina toda peluda, solteirona e com um ódio mortal de homens. Acontece que não, feminismo ou ser feminista não tem nada a ver com nenhum estereótipo que você tenha visto ou ouvido falar. O tema pode ser bastante complexo e o movimento feminista em si também tem suas divergências. Mas eles concordam com alguns pontos principais. Confira a seguir alguns dos mitos que você mais deve ouvir sobre o movimento:

1. FEMINISTAS NÃO SE DEPILAM

Talvez esse mito tenha se originado pelo simples fato de muitas mulheres  feministas não acharem certo uma mulher ser obrigada a se depilar. Até porque, se formos analisar a história cultural, antigamente era OK ter pelos lá embaixo e nas axilas, por exemplo. Já hoje, a imagem da mulher toda clean e depilada (como um bebê) é considerada a mais correta e mais “limpa”. A verdade é que o feminismo não obriga ninguém a deixar os pelos crescerem ou a parar de fazer as unhas, por exemplo. O feminismo acredita que esses tipos de ~cuidados~  femininos devem ser uma escolha, e não uma imposição da sociedade, do marido ou de quem quer que seja. Sim, você pode ser vaidosa à vontade e ainda ser feminista. Sim, você pode depilar as pernas e ainda ser feminista. A palavra mais forte que define o movimento é liberdade. Você é livre para se depilar ou não. Isso é uma escolha sua e os outros que vão catar coquinho.

2. FEMINISTAS ODEIAM HOMENS

Até concordo que existam linhas mais radicais do feminismo, mas são minoria. A grande maioria não odeia os homens e sim o sistema patriarcal e machista no qual somos criadas e vivemos hoje em dia. Cada vez que surge alguma vitória conquistada pelo movimento sempre surgem uns gatos pingados que ficam chateados e se fazendo de vítima. Lembra do movimento “Chega de Fiu Fiu”? O que teve de homem se sentindo “prejudicado” por não poder mais assobiar para as mulheres nas ruas foi coisa de louco. Não, feministas não odeiam os homens. Odeiam (e lamentam) que vivemos num mundo onde o fato de ser mulher seja quase que uma sentença de morte.

3. FEMINISTAS QUEREM SE IGUALAR AO HOMEM

Essa é a que eu mais ouço. “Ah, mas as mulheres não podem e nunca serão iguais aos homens”, “Ah, porque mulheres devem ser delicadas, frágeis, etc.”. Primeiro que sabemos que nunca seremos iguais aos homens por motivos de órgãos sexuais diferentes. Segundo que não queremos nos igualar aos homens no pior sentido da palavra. Queremos ter OS MESMOS DIREITOS que os homens tem. Começando, por exemplo, com salários iguais. Com menos julgamento quanto aos nossos comportamentos sexuais. Com menos rosa e azul para as crianças, para que elas tenham o direito de brincar do que bem entenderem sem essa separação idiota de “isso é de menina e isso é de menino”. Com mais mulheres nas áreas científicas.

RESPONDA: ELE QUER FILHOS, EU QUERO CASAR, MAS NENHUM DOS DOIS QUEREM O QUE O OUTRO QUER. O QUE FAZER?
RESPONDA: SOU CAPAZ DE FAZER TUDO ISSO Q PENSO?!

4. FEMINISTAS SÃO A FAVOR DO ABORTO

Nunca vi ninguém ser a favor do aborto. Até porque não deve ser uma experiência tranquila e sem qualquer efeito psicológico. Nós feministas, somos a favor da escolha. E isso significa que somos a favor da descriminalização do aborto, já que achamos um absurdo uma mulher ser considerada criminosa porque decidiu que não estava pronta para ser mãe. E não me venham com discursos do tipo “engravidou porque quis”, “existem métodos contraceptivos”, “abriu as pernas, agora assume”, “tenha o filho e depois dê para a adoção”, “a criança não tem culpa”. Quando uma mulher engravida porque foi estuprada, ela não ”engravidou porque quis”. Métodos contraceptivos falham. Se você já leu alguma coisa sobre o sistema de adoção no país sabe que a maioria dos casais que adota preferem os bebês brancos e de olhos claros, indo na contramão da grande maioria que aborta (negras, de classe baixa). E sabe por que isso acontece? Porque as mulheres brancas e de classe alta conseguem abortar tranquilamente em clínicas que realizam um aborto seguro, ao contrário das mulheres que não possuem condições financeiras de pagar por um procedimento seguro. Aborto não é questão de opinião, mas de saúde pública, de respeito ao corpo e da vontade das mulheres. Você sendo a favor ou não, mulheres vão abortar. Então que seja melhor elas fazerem isso de forma segura.

5. FEMINISTAS NÃO QUEREM SER MÃES

De novo, não é que feministas não querem ser mães (embora você até possa encontrar várias delas que não tem e nem querem ter filhos). Acontece que nem toda mulher tem essa vontade. Nem toda mulher acha que para se sentir completa precisa ter um filho. Nem toda mulher quer essa responsabilidade para si. Ao invés dessa pressão toda que sentimos, devíamos nos sentir livres para optar não ter filhos sem que isso resultasse em olhares desconfiados ou em pré-julgamentos do tipo “essa aí não tem coração”.  O feminismo não condena, de forma alguma, as mulheres que sonham em ser mãe, da mesma forma que ele não exalta aquelas que optaram por não ter filhos. Ser feminista é entender que as mulheres tem o direito de ser e viver como bem entenderem. Tudo é uma questão de escolha, e o feminismo respeita todas elas.

E um motivo (ou mais) para se tornar feminista: você é a favor de que as mulheres deveriam ter os mesmos direitos que os homens? Você concorda que apenas nós e mais ninguém deveríamos opinar sobre nossos corpos, nossas roupas, nosso modo de viver? Você acha um absurdo uma mulher ser culpada pelo estupro ou violência que sofreu? Você não acha certo ser considerada menos capacitada ou menos inteligente só por ser mulher? Se essas questões te causarem alguma inquietação então você tem todos os motivos do mundo para se tornar feminista!

RESPONDA: POR QUE AS PESSOAS DUVIDAM DA MINHA CAPACIDADE?
COMO SUPERAR A INSEGURANÇA?
RESPONDA: COMO SUPERAR A INSEGURANÇA?

Foto: www.pinterest.com/superelaoficial

@ load more