Receba nossos e-mails incríveis
Amor Sexo Autoestima Corpo Vida Carreira & Finanças Beleza Estilo Vídeos
Escreva seu texto

Leia temas do seu interesse:

/ / / /

CAIR DE VEZ EM QUANDO, MAS DESISTIR JAMAIS!

Jaque Rodrigues

Colunista Superela

Mais textos

Estava eu aqui, pensando em todas as histórias de amor mal acabadas que já tive, acho que todas elas foram mal acabadas. Na primeira fomos separados pela distância, depois teve aquele que me traiu, o outro me sufocou até que eu não suportasse mais, tem aquele de quem ainda me dói lembrar e o outro de quem ainda não tive coragem de jogar os presentes fora e, é claro, tem AQUELE! Aquele com quem vivi inúmeras lembranças boas, mas que hoje somos meros estranhos sem saber o que dizer quando estamos perto um do outro.

Você já parou para fazer análise das suas histórias? Percebi que entre uma história ou outra eu sempre me queixava de que eu tenho um dedinho podre e de como eu podia errar tantas vezes assim, é término após término. Destilo, assim, o meu mar de lamentações para o amigo mais próximo – eu tenho os melhores amigos do mundo! Sério! -, os pobres coitados sempre escutaram tudo com toda a paciência do mundo, me aconselharam e secaram minhas lágrimas até que eu estivesse pronta para me levantar novamente, bater a poeira e seguir em frente. Me orgulho em dizer que eu sempre consegui seguir em frente, por mais difícil que fosse, e foi difícil muitas vezes. Foi difícil quando aquele cara que eu achei que amava não me amou de volta, foi difícil quando aquele que me sufocava com seus ciúmes obsessivos fez com que eu me afastasse de todos os meus amigos e amigas, foi muito doloroso quando aquele, de quem ainda não consegui me livrar dos presentes, me deixou com um leve aceno de cabeça – na ocasião eu não sabia que nunca mais nos veríamos -, e foi quase a morte quando, no último dos meus relacionamentos, ele preferiu trair a minha confiança e meus sentimentos por ele. Acho, honestamente, que ele traiu não só a mim, mas a si mesmo e todo o nosso relacionamento, mas todos nós estamos sujeitos a erros, optei por não julga-lo, afinal, isso não me ajudaria em nada!

PARTICIPE: Perdida, como sair da Bad?
PARTICIPE: O que tornaria você plenamente feliz?

Ao longo de cada tombo consegui identificar uma sucessão de aprendizados, os conselhos que sempre tive e as experiências adquiridas foram fundamentais, mas ainda teimo em dizer que os tombos sim, esses foram a melhor escola para que eu pudesse me tornar o que me tornei hoje. Com eles eu consegui perceber o que quero para mim e o que espero de um relacionamento, e sem eles eu nunca teria sofrido os primeiros arranhões, não teria descoberto o verdadeiro valor de algumas amizades e eu não precisaria descobrir a minha força interior. Sem eles eu, certamente, teria menos cicatrizes, mas não me arrependo de nenhuma delas, pois cada uma, a seu tempo e a seu modo, trouxe algumas cores para minha vida. Embora eu tenha seguido em frente, eu realmente precisava passar por cada um daqueles percursos, por vezes, muito tortuosos, pois hoje consigo perceber que cada uma delas me compõe, são minha história, são parte do que eu sou e de quem me tornei, e sou sim, alguém melhor graças a cada um de meus relacionamentos e tombos que encontrei pelo caminho.

Hoje, depois de tantos erros e de tantas histórias que me trouxeram tristezas desnecessárias, entendi que tenho que ser mais cautelosa e que definir minhas prioridades é, possivelmente, o primeiro passo para que eu não volte a me machucar. Ao invés de me queixar novamente sobre meu dedo podre, preciso saber o que quero para mim, o que espero de um relacionamento e o que realmente está em primeiro lugar na minha vida. Você não precisa se sentir culpada ou mal por esse, talvez, não ser o um bom momento para que você comece uma nova relação, deixa a vida seguir seu percurso, defina o que é melhor para você e em que momento isso será bom para você – temos tempo para tudo na vida – e aí, esteja certa de que cairá bem menos vezes pelo percurso.

Não tenha medo de aceitar ajuda, de ouvir conselhos e puxões de orelha e de ter que bater a poeira uma vez ou outra. Também não tenha medo dos desafios, vencê-los significa que você cresceu, mudou, aprendeu e sobreviveu. Por mais doloroso que possa ser, sempre podemos tirar boas lições deles, o importante é não desistir de encarar o que vier. As coisas nem sempre saem como planejado, mas, veja por esse ângulo, em algum momento, tudo vai ser muito melhor do que você um dia poderia imaginar.

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Vida e Amor

MAIS: 3 DICAS IMPERDÍVEIS DE COMO ESCOLHER A BOLSA IDEAL
MAIS: VOCÊ FOCA EM VOCÊ, OU NO OUTRO?

Imagem: pinterest.com/superelaoficial

Jaque Rodrigues

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/ / / /

Leia temas do seu interesse:

/ / / /

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!