O que você procura?

Ficar preocupada com o peso, pensar o tempo todo no que comer e desejar ser magra é o novo normal. Estranho é não sentir medo de engordar, vergonha do corpo e culpa por comer.

Depois de tudo que você comeu, com certeza vai engordar!

Sem contar tudo que você já engordou no último ano!

Toda comida do feriado vai direto pra sua barriga!

Você tem zero força de vontade. O que tem de errado com você?

Você realmente precisava ter comido tanto?

Alguma semelhança com a vozinha dentro da sua cabeça te criticando pelo que você comeu? Ainda mais por ter comido demais no feriado?

Antes dessa tortura continuar, preciso te dizer que apesar de não ser possível controlar esses pensamentos, isso não quer dizer que eles podem dominar sua vida. Eles são falsos e eu vou te mostrar porquê:

1. O QUE VOCÊ COME, NÃO TEM NADA A VER COM SEU CARÁTER OU SEU VALOR.

Você não é uma idiota, errada, incorrigível, nojenta, indisciplinada ou _______, por comer algumas comidas ou por comer um pouco mais de alguma coisa que você gosta. Essa interpretação é de uma indústria bilionária que precisa te vender remédios e produtos light, diet, low carb, sem glúten, sem lactose e o que mais eles inventarem, porque “só magra e 24h preocupada com sua alimentação você vai ser feliz”. E eles mais ricos.

2. SINTA O QUE VOCÊ ESTIVER SENTINDO E COMA QUANDO ESTIVER COM FOME.

Deveria existir uma Escola de Emoções ou uma disciplina assim na escola para nos ensinar a lidar com o rodízio de sensações que vivemos todos os dias. Se existisse, a primeira lição seria: você não pode evitar suas emoções, elas fazem parte da sua experiência de vida. Temos a tendência de repreender nossos sentimentos de culpa, vergonha e desconforto, como se fosse errado sentirSentir é viver. E quanto mais sujeira a gente esconde embaixo do tapete, mais surpresas aparecerem. Trate os pensamentos e sentimentos negativos com compaixão e fale com você mesma com gentileza. O importante é maneirar no autojulgamento, acolher a emoção, qualquer que seja e tentar aprender alguma coisa com ela. Você vai se sentir mais próxima de você mesma e entender melhor suas próprias escolhas.

3. VOCÊ SÓ DESAPRENDEU UMA HABILIDADE DO SEU CORPO.

Você passou tanto tempo controlando sua alimentação, contando calorias, proibindo alimentos e talvez até passando fome, que é natural que seu metabolismo já não esteja tão equilibrado para você entender seus sinais de fome e saciedade. Mas você pode mudar isso ao buscar autoconhecimento, alimentação consciente e se permitir ouvir seu corpo, comer quando estiver com fome e parar quando estiver satisfeita. A única regra, se é que precisa existir uma, é que você coma com prazer e aproveite de verdade o que está comendo.

PARTICIPE: Eu preciso me mudar, mas meus pais não entendem isso
PARTICIPE: Magra demais e é péssimo ser assim

4. ESTRANHO SERIA SE VOCÊ NÃO SENTISSE CULPA

Toda nossa cultura é estruturada para acreditarmos na culpa por comer. Indústria alimentícia, farmacêutica, TV, revistas, editoras de livros com dietas revolucionárias que você vai tentando até encontrar a perfeita, ou seja, nunca. Vivemos em uma diet culture, uma sociedade inundada de propagandas que afetam a forma como nos relacionamos com nós mesmas e com o mundo ao nosso redor. Infelizmente, é tão comum que acabamos nos acostumando e, pelo interesse econômico, não se mede esforços para que as coisas continuem como estão. Dá pra entender, mas isso não quer dizer que precisamos seguir acreditando em anúncios publicitários manipulados e que nos manipulam. O padrão de beleza que buscamos é sugestão da mídia que produz esse tipo de coisa:

Sobre a objetificação das mulheres na publicidade… #superela #WomenNotObjects
Veja mais vídeos aqui: http://superela.com/videos/
Publicado por Superela em Quinta, 28 de janeiro de 2016

5. AINDA BEM QUE VOCÊ TEM ESCOLHA

Importante pra mim é que você se lembre que tem permissão para comer o que você quiser e não precisa conquistar o direito de saborear o que você come, esse direito já é seu! A culpa é mais um hábito do que uma realidade, e todo hábito pode mudar. Sentir culpa por comer alimentos calóricos, gordurosos ou doces é a resposta que seu cérebro se habituou a dar. O pensamento derivado de um hábito vem independente da nossa vontade, mas é importante reconhecê-lo pelo que ele é: um hábito, não uma verdade inquestionável. Você pode até não conseguir evitar o pensamento e os sentimentos espontâneos, mas você não precisa se apegar a eles e permitir que eles determinem sua vida.

6. A CULPA VEM PORQUE VOCÊ NÃO RESPEITA SUAS PRÓPRIAS REGRAS

Você sente culpa porque acredita que não está seguindo um conjunto de regras sociais que determinam que mulher tem que cuidar da aparência, ser magra, ter o corpo assim ou assado. Mas essas regras não são imutáveis! Com o tempo, a sociedade se reinventa e estipula novos tipos de comportamentos, regras e transgressões. Por exemplo, numa época, o corpo bonito é cheio de curvas e em outra é a vez da magreza esquelética.

Alguém disse que tem que ser assim, algumas pessoas inventaram, outras aceitaram, poucas rejeitaram, foram repassando até que todo mundo acreditou que tinha que ser assim. É um grande telefone sem fio de gente “cagando regras” para o corpo do outro.

Mas e se você concluir que essas regras não estão te fazendo feliz? E se você decidir que o corpo é seu e você quer tratá-lo com amor e não como algo errado, feio e que não merece amor? A decisão é sua.

MAIS: O QUE DEUS TEM A VER COM SUA FOME?
MAIS: O QUE VOCÊ MUDARIA NO SEU CORPO?

Quando os pensamentos negativos e a sensação de culpa aparecerem, lembre-se que você não fez nada de errado e precisamos de comida para viver. Você tem valor, independente do tamanho do seu corpo. Você tem valor se comer uma maçã ou um pedaço de torta. Não deixe essa vozinha que avalia, controla, pune, recompensa te oprimir e te impedir de ser você mesma. Ela parece uma tia velha, chata e implacável que vive fazendo bullying com você mas você pode mostrar pra ela que quem manda é você.

Existe uma nova onda de mulheres que resolveram amar seu corpo e se libertar do padrão inatingível de beleza. Elas se permitiram escolher a própria vida e direcionar o tempo para cultivar relacionamentos saudáveis, realizar sonhos, ter sucesso profissional, educar filhos felizes e serem saudáveis independente do peso. Isso não significa comer descontroladamente tudo que existe pela frente mas parar de colocar o corpo e a comida no centro da vida.

Imagem: Pinterest

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Autoestima ♥


@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Qual tema você gostaria de ver aqui?
A gente escreve sobre o que você quiser e ainda manda no seu email :)
Obrigada!
Recebemos sua sugestão.

Hey, você já conhece o Clube Superela? Lá você pode perguntar o que tem vontade anonimamente :)