Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Vó, a senhora foi a melhor do mundo pra mim! Essa coisa de morte causa uma saudade enorme dentro da gente! As coisas aqui em baixo andam muito modernas… Agora não precisamos mais de filme Kodak pra tirar fotos e aquela coisa do “não abre a máquina que queima tudo” já era. A gente aqui, Vó, vira o celular pra nós mesmos e fazemos fotos! A senhora acredita que tem até uma haste que batizaram de “pau de selfie” pra fazer fotos da gente mesmo, mas em grupo, casais ou o que for? A coisa aqui anda moderna aqui, Vó… A senhora que amava uma foto, ia ficar louca!

Os trem aqui agora, são tudo por aplicativo. Tem de receitas, de dieta, de atividade física… E olha, não precisa mais pendurar o celular no pescoço na bolsinha de crochê como a senhora fazia, porque os hoje tão uns tijolão, menina! A senhora nem ia perder. É… Quanto maior, mais chique! Aquela coisa de celular que servia pra ligação já era. O povo hoje, Vó, nem gosta mais de receber ligação. Celular hoje é pra tudo, menos pra ligar! Ainda liga sabe, mas a gente nem gosta mais. Tem até livro no celular, Vó… A senhora ia ficar louca! Claro que existem exceções viu Vó, mas as coisas aqui tão mais ou menos assim.

Tô à espera de um aplicativo que me permita falar com a senhora aí! Assim que sair, eu instalo no meu celular! Mãe faz falta demais, eu tinha muita coisa pra te contar! Onde quer que a senhora esteja, saiba que me lembrei, dia desses, que ainda te devo castigo! Como fazemos pra eu pagar? A senhora se lembra daqueles castigos que dizia “até a próxima geração sem tevê, por ter me respondido, menina!” e essa “próxima geração” era tão rápida que em duas semanas a gente já estava comendo pipoca e vendo filme? Uai Vó, eu nunca falei nada nem a senhora! E agora ficou a dívida!

Se bem que se a gente descontar esses dias pendentes daquelas varadas que a senhora pegava de uma árvore lá no quintal, eu nem devo nada não é mesmo? Aquilo doía demais, Vó. Credo. E eu quebrava a vara, a senhora descobria, fazia uma pior e dá lhe varada por ter quebrado! Eu quebrava na ilusão da senhora não fazer mais varas. Lembra que a senhora me ensinou a não sofrer por quem não me quer nem me dá atenção, quando o assunto for relacionamento a dois? Eu sofri muito ainda pra aprender isso, Vó… Mas aprendi, viu?! E continuo escrevendo, lendo. Tenho um blog para ensinar isso a muitas mulheres e a vida foi tão boa comigo que virei gente, Vó! A senhora ia gostar de ver o que me tornei!

Mensagem para minha vo - 1

Muito do que sou hoje, é culpa sua, sua linda! Me educou, bateu com vara, olhou pra mim com cara feia pra eu fazer o que tinha de ser feito, acordava cedo pra fazer meu mingau pra ir pra aula de manhã, me acalmava quando eu chorava porquê já tinha que entregar o trabalho de ciências e ainda tinha muita coisa pra colorir… Coloria junto comigo! Sabia que tenho guardado aqueles trabalhos de escola coloridos que fizemos juntas, até hoje? Pois guardei! Aquilo não é mais um trabalho de ciências bem feito, é o carinho da senhora em cores! Eu pego aquilo e me lembro da mãe foda que a senhora foi, Vó. Opa. Falei palavrão. Desculpa Vó. Ainda tenho o que aprender! A senhora faz falta demais. Que saia logo o aplicativo, assim, a senhora me ensina mais coisa!

Ah, não esqueci também de que meses antes da senhora ir pra aí, estávamos numa lanchonete maluca, onde o gerente disse que era seu médico e que a senhora estava com Alzheimer e a gente fez a maior bagunça ali, por que a recepcionista não trazia nunca seu café; aproveitamos pra falar mal de tudo e de todos, enquanto não éramos atendidas. Só nós duas, na maior discrição, claro, mas a gente chorou de rir. Até hoje não sei por que não tinha pão de queijo ali, Vó. Nem porque a garçonete disse que era recepcionista e o gerente disse que era seu médico! A senhora realmente não precisava de médico e a gente estava mesmo era com fome! Lanchonete mal gerenciada não é Vó?! Povo maluco! Só nós duas naquele lugar éramos as sãs!  E a gente saiu com fome, pra ir à outra lanchonete. Beijinhos! Tô com saudade!

Essa é uma mensagem para minha vó, a mãe que me criou

Infelizmente nem sempre que nasce uma vida, nasce uma mãe. Ou a criança vem ao mundo, mas a mãe não resite ao parto. Ou a criança perde a mãe logo nos primeiros meses de vida. E tem até, as que passam pelo parto, mas acabam deixando os filhos com babá, avó, tia, madrinha, etc. São vários os motivos em que a criança se vê na situação de ter mãe biológica e mãe postiça.

A verdade, é que mãe é quem cria! Quem educa! Quem exorta! Quem sabe se a pessoa está bem só de ouvir a voz dela! Quem chega perto e sabe que há algum problema! Quem diz “ele te deixou? Merda pra ele, minha filha! Ele nem era mesmo isso tudo! Quem perdeu foi ele!” e te oferece um pudim de leite moça. Isso é ser mãe, que de postiça não tem nada!

Se você, apesar de não ter gerado a criança, foi a mulher que mesmo em meio a tantos afazeres, teve a grandiosidade de assumir o papel de mãe e cuidou, amou, educou, deu colo, tirou piolho, fez sopa pra cuidar da gripe, cuidou das “ites” da vida com todo amor, ensinou sobre a vida, sobre as pessoas, foi as festinhas da escola no dia das mães

Chorou com os erros, ficou mal com as brigas, colocava de castigo com o coração na mão, mas amou essa criança com todo amor do mundo e foi tudo que ela precisava: mãe presente, amorosa, carinhosa, participativa. Essa é uma mensagem para minha vó, mas estendo a todas vocês que cumpriram excelentemente o papel de mãe na vida de pessoas, que  por um motivo ou outro, não tiveram a mãe biológica ocupando essa função.

A todas vocês, mães “postiças”, que de postiças não têm nada, fica aqui meu abraço de urso. Feliz dia das mães, suas lindas!

mensagem para minha vo - 3

Imagem: Pinterest

@ load more