Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quando uma mulher me contrata como consultora de estilo, geralmente ela tem algumas dúvidas sobre como se vestir de maneira mais adequada de acordo com a imagem e a mensagem que ela quer transmitir ao mundo. Algumas querem parecer mais elegantes, outras mais modernas, algumas querem parecer mais magras, outras querem aprender a se vestir para assumir um cargo novo, e algumas querem se sentir mais sensuais… mas de tanto colocarem a culpa na roupa que a mulher está usando quando é assediada ou estuprada, talvez esteja abrindo uma nova demanda de trabalho para os consultores de estilo, e eu resolvi aproveitar o espaço no Superela para oferecer os meus serviços para quem quer aprender a se vestir adequadamente para não ser estuprada.

Mas temos um problema aqui: infelizmente eu não sei que roupa uma mulher pode vestir para evitar ser estuprada, porque não tem a ver com roupa. Essa não é uma questão de moda, mas sim de educação e de caráter do homem que estupra, e não da mulher que é estuprada, independente da roupa que ela estava usando.

Esse é o meu segundo texto sobre o assunto. No primeiro (aqui) eu falei sobre a roupa não ser um convite. Nesse primeiro, eu citei  um Tumblr chamado “Mas o que ela estava usando?“, onde mulheres postam fotos do que estavam vestindo no dia que foram assediadas ou estupradas, e o que vimos é muito diversificado. Num país machista como o Brasil, quando uma mulher usa roupa justa ou curta, veste peças com decotes e transparências, ela está “pedindo por isso”! E eu nem vou colocar nenhum exemplo aqui, porque a primeira coisa que você vai pensar é “como alguém assediou / estuprou uma mulher vestida assim?” e a ideia é não vincular mais esses atos à roupa da vítima!!

1

PARTICIPE: Fui estuprada pelo meu irmão e não sei quais medidas tomar ou não por causa dos meus pais
PARTICIPE: Sofri um abuso sexual aos 12 anos e hoje tenho consequências graves,o que fazer?

Sabe o que é pior nessa “cultura do estupro”? Ver muitas mulheres questionarem a roupa da mulher assediada / violentada, querendo responsabilizar a vítima pelo ato sofrido, procurando justificativas para o que é injustificável. Mulheres que já ouviram cantadas mesmo quando foram à padaria num dia frio usando aquele moletom velhinho. Mulheres que precisam pegar ônibus tarde da noite depois que cumprem a jornada dupla de trabalho e faculdade. Mulheres que tem vida social ativa e saem pra se divertir com as amigas no final de semana e que – porque não? – bebem um pouquinho mais. Não é a roupa que você usa, não é o horário que você está na rua, não é a quantidade de bebida alcoólica que faz você virar estatística. A culpa é sempre do homem que abusa, que assedia, que violenta.

Você deve ter ficado sabendo da menina de 16 anos que foi estuprada aqui no Rio por 33 (trinta e três!!!) homens, que não satisfeitos pela crueldade do ato, postaram o vídeo e fotos na internet. Outras pessoas igualmente ruins fizeram comentários justificando o ato pelo fato de a menina estar bêbada ou estar num lugar com vários homens, ou tarde da noite na rua… esses “motivos” que a gente conhece bem, afinal, no Brasil em 2014 aconteceu um estupro a cada 10 minutos, e a cada nova notícia, vemos a vítima se tornar culpada. Isso não pode continuar e foi isso que me motivou a escrever esse texto, mesmo sabendo que hoje em todo Brasil deve ter acontecido muitos outros casos de violência contra a mulher.

amigo

Como colunista de estilo o meu apelo é que a gente se preocupe menos com a roupa das mulheres e mais com a educação e a formação do caráter dos homens. A mulher não pode sentir medo de usar alguma peça de roupa, ou evitar sair de casa um pouco mais sensual! O homem é que tem que aprender a respeitar a mulher! A mulher não pode se sentir culpada pelas cantadas que escuta ou pela violência que sofreu, independente da roupa que estava usando.

Como mulher o meu apelo é por mais empatia e compaixão e menos julgamento às mulheres que passam por essa situação. Do jeito que as coisas estão, a próxima vítima pode ser a sua mãe, a sua filha, a sua irmã, a sua melhor amiga… e você sabe que não nenhuma delas está pedindo por isso quando sai de casa, né? Nenhuma mulher pede por isso.

mulher

MAIS: CULTURA DO ESTUPRO: COMO SE VESTIR PARA NÃO SER ESTUPRADA
MAIS: ESTUPRO: LEI DA VERGONHA

“Roupas curtas não estupram.
Horários não estupram.
Lugares não estupram.
Bebidas não estupram.

ESTUPRADORES ESTUPRAM.

Culpar a vítima é camuflar o ato do agressor que é consequentemente uma das formas de se sustentar e perpetuar a cultura do estupro.”

(Retirado de Diários de uma Feminista.)

Imagem: Pinterest

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Vida

@ load more