Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Não escolhi. Quando percebi, já era eu sendo incontrolável. Não escolhi, não pedi para Deus e nem sempre achei vantagem, muito pelo contrário, mas eu não consigo ser outra coisa e, digo mais, eu não quero ser outra coisa.

Vou me apegar sempre e para sempre. E vou me apegar porque eu sinto demais. Tudo demais. Sofro demais. Amo demais. Me revolto demais. Tudo demais. Pelo menos é demais e não de menos.

Não escolhi gostar de alguém na segunda mensagem. Sabe o gostar de já fazer planos sem a pessoa saber? Então, eu não escolhi isso para mim. Não escolhi dar outra chance enquanto todo mundo dizia que eu não deveria. Sabe quando as pessoas insistem em te dizer “o que é o certo” enquanto você sente que o certo é o que você sente? Pois é.

E, mesmo sendo desse jeito, frequentemente me alimentando principalmente do pão que o diabo amassou, eu não consigo – e nem quero – mudar. Posso sofrer do que for, mas não sofro por falta de amor, por fingir gostar. Não sou exatamente do tipo que gosta rápido demais, não é muito sobre isso. Tem mais a ver com eu entender que as coisas estão dando certo e confiar nisso, confiar na pessoa. E este é um grande problema: as pessoas que se apegam demais são as mais julgadas, mas ninguém pensa em quem faz a pessoa se apegar, isto é, em quem vende um mundo colorido, em quem desenha uma felicidade que todo mundo vai querer viver, em quem não chega a prometer, mas fala coisas que a gente quer ouvir fazendo com que simplesmente caiamos na tentação da incerteza em ser feliz. Todo mundo quer ser feliz, porra! E se você prefere joguinhos ao meu jeito de me entregar, não tem problema. A gente aprende a conviver se respeitando.

Eu vou sempre me apegar.

Eu vou sempre te mandar uma mensagem para te lembrar que não te esqueço. Vou te contar que vi algo que me lembrou você. Quando eu sentir, vou te dizer que te amo. Quando eu sentir, vou te dizer que gostaria que viajássemos juntos. E tudo isso pode acontecer em um mês, pois não é sobre o tempo, mas sobre o jeito. Eu que me apego, a gente que se apega assim, todos nós, sabemos que não é uma regra da nossa vida, é só uma consequência. Não é sobre gostar do difícil, é sobre não se importar com o manual de instruções e aquele papo de “ignora um pouco para a pessoa responder”. Nós, que somos apegados, não ligamos para isso e, por isso, a gente diz o que sente na hora que dá na telha e, se não dissemos, damos a entender de um difícil de se enganar.

Eu não escolhi me apegar, mas já que sou assim, que assim eu seja com todos os prós e contras, mas, sobretudo, com toda a sinceridade que eu posso ter comigo e com o que sinto.

Imagem: Pinterest

@ load more