Receba nossos e-mails incríveis
Amor Sexo Autoestima Corpo Vida Carreira & Finanças Beleza Estilo Vídeos
Escreva seu texto

Leia temas do seu interesse:

/

Eu agradeço por você ter ido embora

Camila Bertelli

Colunista Superela

Mais textos

Nunca imaginei que um dia iria te agradecer por não ficar, por não se manter ao meu lado. Nem por um instante sequer do passado pensaria em sua imagem de forma distante. Eu nunca imaginei suspirar aliviada ao lembrar que partiu. Justamente você, que entrou pela porta da frente gozando da maior boa vontade que havia em mim. Com todo o desejo e ânsia de amar que eu carregava desde sempre, se aconchegou devagarinho e, aos poucos, sem grande esforço, foi tomando conta de todos os cantos.

Tudo em minha vida passou a ter um quê de você e a partir do momento em que começamos a morar juntos, todas as decisões eram tomadas baseadas no que seria melhor para o que parecia se tratar de nós. Não havia um ser individual em meu íntimo. Me apaixonei, ou devo dizer, me enlouqueci por você. E, sem me dar conta, tudo o que fazia era menos pra mim e mais para a única pessoa que me importava.

Mal citava o pronome “eu” em uma frase, era como se ele não houvesse mais. Havia apenas você morando em mim e protagonizando os melhores momentos de uma compilação de cenas de um rosto só. O rosto que me bastava para levantar todos os dias, o motivo pelo qual eu voltava pra casa do trabalho correndo. Queria vê-lo! Necessitava disso e me dediquei com a devoção de um animalzinho até o bendito momento em que você se cansou da minha entrega e do meu afeto infinitos, do meu não pensar em mais nada que não você, o meu objeto de adoração. Tudo o que eu queria estava a minha frente e quando partiu, num domingo de muito sol, deixou um grande vazio.

Desses espaços que, de tão grande, não sabia como preencher, apareceu um buraco que eu não compreendia. Afinal, esse vazio era seu? Não! ele era absolutamente meu. Era o “eu” que me faltava ser, era o personagem mais verdadeiro e importante que havia sido deixado de lado. Minha autoestima dava, então, sinais de uma respiração fraca, descompassada como a de quem sobrevive à um desastre por um fio. E então eu havia me encarado no espelho e, pela primeira vez em anos, não estava simplesmente utilizando o reflexo para me pentear; eu estava enxergando. E o espelho me mostrou uma mulher quase vazia.

Você não me salvou de si mesmo, mas de mim. Da falta que eu havia provocado por dentro. Me salvou do que eu chamava de amor e com esse sofrimento que era só meu, me apossei de dentro e de fora do meu corpo, faxinei a casa e o coração. Agora tem mais espaço no armário, a casa é mais arejada e ainda aconchegante, um aconchego diferente com aquele cheiro de coisa nova.
Voltei a ouvir todos os meus discos, as músicas que eu sempre gostei antes de te conhecer. Voltei a comprar as revistas de que gostava, voltei a garimpar em sebos, a comprar mais livros. Simplesmente voltei!

Ah, agora eu tenho mais espaço para os meus amigos, para as minhas estantes e a cama ficou do tamanho exato pra mim. É… hoje eu quero tanta coisa. Mas o que mais quero é poder agradecer por você ter ido embora, agradecer por não ter ficado aqui. Por ter escolhido não permanecer. Sem você, sem sua decisão e insatisfação, talvez eu não tivesse conseguido. Esse é o seu maior êxito na vida e até lhe dou o direito de se orgulhar.

Joguei o que eu não precisava fora, abri espaço para o que necessitava. Me sinto leve. Minhas malas mudaram de lugar, agora ficam na parte de baixo do guarda-roupas. Tenho precisado muito delas. Viajo para dentro e fora de mim todos os dias, entendo meus anseios e me compreendo. Converso comigo mesma utilizando aquele pronome. Sim, o pronome que eu há muito esquecia. Mas o que considero o mais importante de tudo isso? Você partiu e eu fiquei comigo. Obrigada por me ajudar a ver que eu existo sozinha e que posso ser feliz com isso.

Ps: era pra eu enviar essa carta pra você, mas resolvi ler estas linhas para mim e utilizá-las como um manisfesto de libertação.

"It is real. What we felt and what we feel. What we saw and what we see. Two worlds drifting into reality," Lyrics of a song I wrote, called "Two Worlds", inspired by our journey in Nicaragua. About traveling, returning home, putting the two worlds together and keeping the memory alive. – @angelamoyra // image by @renatastone // powered by @yogascapes #fpescapes #traveltuesday Link in bio to explore escapes.

A post shared by freepeople (@freepeople) on

Imagem: Pinterest

Camila Bertelli

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/

Leia temas do seu interesse:

/

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Um email por semana só com o melhor conteúdo do Superela
Você vai adorar ❤
Obrigada!

Recebemos seu pedido de cadastro e enviamos a você um email com o link para você confirmar o recebimento dos nossos emails.

Por favor, acesse seu email e click no link de confirmação.


Click aqui para voltar ao site.
Não perca mais nenhuma novidade!
PGlmcmFtZSBzcmM9Imh0dHBzOi8vd3d3LmZhY2Vib29rLmNvbS9wbHVnaW5zL3BhZ2UucGhwP2hyZWY9aHR0cHMlM0ElMkYlMkZ3d3cuZmFjZWJvb2suY29tJTJGU3VwZXJlbGFPZmljaWFsJTJGJnRhYnMmd2lkdGg9NTIwJmhlaWdodD0yMjAmc21hbGxfaGVhZGVyPWZhbHNlJmFkYXB0X2NvbnRhaW5lcl93aWR0aD10cnVlJmhpZGVfY292ZXI9ZmFsc2Umc2hvd19mYWNlcGlsZT10cnVlJmFwcElkPTE3MTExNDI3NjM4MDkzNiIgd2lkdGg9IjUyMCIgaGVpZ2h0PSIyMjAiIHN0eWxlPSJib3JkZXI6bm9uZTtvdmVyZmxvdzpoaWRkZW4iIHNjcm9sbGluZz0ibm8iIGZyYW1lYm9yZGVyPSIwIiBhbGxvd1RyYW5zcGFyZW5jeT0idHJ1ZSI+PC9pZnJhbWU+
Curta o Superela no Facebook ❤
teste
teste