Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Há mais de 10 anos sou consultora de imagem pessoal e tenho falado sobre moda e estilo para milhares de mulheres. Também tenho ouvido essas mesmas milhares de mulheres com todo tipo de indagações. Mulheres de todas as idades, classes sociais, histórias diversas e religiões múltiplas. E uma coisa que sempre está presente é a tal moda. Presente de uma maneira quase opressora, como se fosse algo a ser seguido às cegas. Com toda a sua beleza e luxo, a moda enfeitiça e alimenta sonhos glamourosos. E, independentemente do bom senso, as mulheres ainda acham que devem usar aquilo que “está na moda”.

Mas o que está na moda? Aquelas roupas, às vezes malucas, desfiladas em modelos de 1,80 cm e 50 kg? Uma peça caríssima, muito além do nosso poder aquisitivo? É ostentar uma marca que não respeita os direitos da mulher e escraviza milhares em prol de uma produção barata e em larga escala?

A melhor definição de moda para mim vem da musa Chanel, que mudou a maneira que os homens nos olhavam e como as mulheres se colocavam diante do mundo. Espia: “A moda não é algo presente apenas nas roupas. A moda está no céu, nas ruas, a moda tem a ver com ideias, a forma como vivemos, o que está acontecendo.” Ou seja: a moda tem muito mais a ver com comportamento e postura do que com a roupa em si. Ela serve para refletir o que somos e pensamos. E precisa ser uma escolha individual, afinal de contas, cada mulher é única e precisa conhecer e valorizar a sua própria beleza.

A partir dessa percepção é que criamos o nosso estilo. Ele é um apanhado de várias coisas: o nosso trabalho, a nossa diversão, nosso corpo e personalidade. E também um pouco de moda, claro! Mas de uma maneira consciente. Se o último desfile mostrou saias cheias de babados, mas eu tenho quadris largos, que tal usar esse detalhe em blusas ou até mesmo em uma clutch? Podemos usar alguns elementos da moda a nosso favor, como cores e detalhes. Mas a escolha de uma determinada roupa em detrimento a outra tem que estar de acordo com nossos valores e gostos pessoais, além de ajudar a valorizar os pontos fortes e disfarçar aquilo que a gente não gosta tanto. E aí começa a aventura.

Já percebeu que cada roupa causa uma reação? Cada cor consegue iluminar ou apagar nosso rosto¿ Certos cortes nos deixam mais longilínea, enquanto que alguns tecidos deixam o corpo desengonçado. Tudo isso tem que ser levado em conta desde as compras mais simples até investimentos mais elaborados. E saber comprar também é uma arte.

E é um pouco desse mundo que pretendo mostrar para vocês. Uma maneira inteligente de se vestir e se sentir melhor, fugindo de padrões, respeitando o próprio corpo e criando um estilo único e original. Imagem é importante, mas ela só fica interessante quando existe uma pessoa cheia de auto estima por trás. É um caminho longo, às vezes duro, outras vezes prazeroso, mas o resultado é absolutamente libertador.

Vamos lá?

Imagem: Pinterest

@ load more