Receba nossos e-mails incríveis
Amor Sexo Autoestima Corpo Vida Carreira & Finanças Beleza Estilo Vídeos
Escreva seu texto

Leia temas do seu interesse:

/

William Waack, Cris Dias e o famigerado mansplaining

Marcela De Mingo

Colunista Superela

Mais textos

Quem está acompanhando a cobertura das Olimpíadas do Rio sabe que William Waack tem dado muitas gafes e demonstrações de machismo na televisão ao vivo. Na última quarta-feira, dia 18, não foi diferente, mas Cris Dias, que apresentava os destaques da noite ao lado do apresentador, não deixou barato um claro exemplo de mansplaining.

Se você não tem ideia do que essa palavra significa, eu explico: mansplaining é a junção das palavras ‘man’ e ‘explaining’ em inglês, ou seja, ‘homem’ e ‘explicar’. O termo demonstra um comportamento específico dos homens, que usam um tom condescendente com as mulheres, de forma a explicar algum assunto, e dão a entender que ela não é inteligente o suficiente para falar sobre um tema ou para compreender o que está sendo explicado.

Nos vídeos que você pode ver abaixo, na exibição do Jornal da Globo, Cris reclama que William não a cumprimentou no começo do telejornal, dizendo que William ‘finalmente’ estava dando ‘oi’ para ela, mas que ela entendia porque o momento pedia pressa.

Depois, ela emenda um comentário sobre a seleção masculina de vôlei e William comenta, irritado ‘Vamos? Vamos falar de vôlei?’ ao que Cris responde ‘Você quer continuar?’. As trocas de farpas deixaram um clima bastante desconfortável durante a atração jornalística e não sem motivo: Cris pareceu, desde o começo, muito irritada com a falta de consideração e respeito apresentada pelo colega.

Você, com certeza, já sofreu com esse tipo de comportamento alguma vez na vida. Pense no ambiente de trabalho, quando você precisa de ajuda de alguém para uma tarefa e sente que o homem está falando com você do mesmo jeito que falaria com uma criança.

Não é que esse tipo de comportamento é algo novo, porém, com a disseminação do feminismo e dos ideais de igualdade em todos os âmbitos da vida, é normal que algumas ações que pareciam ser comuns comecem a ser questionadas.

Já é fácil, por exemplo, saber quando o seu chefe é machista e o que fazer no caso de ouvir um comentário desse nível no ambiente de trabalho ou em uma conversa com amigos – se você não lembra, o objetivo não é começar briga, e sim educar a pessoa para que ela corrija um comportamento que ofende as mulheres.

No caso de William Waack, Cris não foi a primeira a não aceitar o mansplaining do apresentador. Anitta também ganhou muito apoio nas redes sociais quando respondeu, incomodada, um comentário do apresentador após a Cerimônia de Abertura das Olimpíadas.

Na ocasião, ele comentou que ‘na sua época’, as pessoas costumavam ouvir Caetano Veloso e Gilberto Gil quando era mais novo, uma forma de dizer que a música naquele tempo era muito melhor do que agora.

“Eu também”, disse Anitta, ao que Waack respondeu, “Mas vocês duas [Anitta e Cris Dias] são muito mais novas do que eu”. A cantora, então, não deixou barato: “Mas a gente podia ouvir, já existia e a gente tava aí ouvindo”. Ouch. Ponto para as mulheres.

Imagem: Twitter

Marcela De Mingo

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/

Leia temas do seu interesse:

/

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!