Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se o assunto é maternidade, com certeza a primeira ideia quem vem à mente é que ela é obrigação da mãe. Afinal, é ela que dá à luz e é ela que, historicamente, é a responsável pela criação dos filhos. Por conta disso, não é uma surpresa que mulheres e homens sejam tratados de formas diferentes quando o assunto são os filhos.

Constance Hall, que é mãe de 4 crianças, incluindo dois bebês, usou a sua página no Facebook para falar sobre como essa diferença de tratamento é algo que não só machuca, como reforça um comportamento bastante machista na sociedade como um todo.

Ela, que também é blogueira, explicou que saiu para almoçar com uma amiga quando a sua bebê, Snow, fez cocô na fralda e precisou ser trocada. Porém, no banheiro do local não havia um trocador, e ela aproveitou que o restaurante ficava de frente para um parque para ir a uma área mais afastada do espaço para cuidar da filha. Até aí, sem problemas.

“30 minutos depois uma mulher se aproximou de mim e disse: “Eu vi você trocando a fralda da sua filha, da próxima vez, será que você pode fazer isso no trocador?”. Eu disse que não tinha um, ao qual ela respondeu: “Tem sim, no banheiro de deficientes que fica na esquina”. Eu respondi que a minha filha não faria cocô de novo até dali umas 6 horas e que, quando isso acontecesse, eu agiria de acordo. Eu me senti uma perdedora. O mundo continuou em frente”.

A questão é que Costance explica que alguns dias depois ela estava no parque com o marido e os filhos e seu outro bebê, Rumi, também precisou ter a fralda trocada. Ela disse então que era a vez do marido completar a tarefa e a reação que ele recebeu foi muito diferente da dela: as pessoas o elogiaram por trocar a fralda da criança, mesmo que fosse em um local público. O resultado? Ele se sentiu incrível enquanto ela continuava com a sensação de que não era boa o suficiente.

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1215458321832324&id=1019711431407015&substory_index=0

“Eu não pensei muito sobre isso porque estou acostumada com isso. Eu estou acostumada a ser criticada por trabalhos que rendem elogios ao meu marido. Eu estou acostumada a ir buscar os meus filhos na escola sob os olhares cheios de julgamento por estar atrasada, enquanto o Bill ganha um tapete vermelho e uma faixa comemorativa por aparecer para pegar os filhos na escola. É assim que a nossa sociedade é, nós colocamos muita pressão nas mulheres para serem perfeitas e altruístas ao mesmo tempo que temos expectativas de baixas de paternidade para os pais”.

O objetivo da mãe com o post não é desestimular os elogios que damos às pessoas por qualquer atitude que tem em relação aos filhos, pelo contrário. O que ela busca é que tenhamos a mesma reação diante de um pai e uma mãe.

“Vamos ver uma mulher no celular levando o seu carrinho de bebê e pensar ‘Nossa, ela escolheu não ficar em casa fazendo compras no eBay e tomando vodka pura. Ela escolheu vir para o parque e ser uma mãe magnífica. A gentileza coloca um tapete vermelho para cada bumbum sujo e uma faixa de 12 metros para cada vez que estamos atrasados para levar os filhos na escola. Você só não consegue vê-las”.

Imagem: Facebook

@ load more