Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Aplicativo de relacionamentos. O terror dos homens tímidos. Facilidade de desenrolar e conhecer milhares de pessoas. Eu estou dentro da estatística de cadastros nesses aplicativos. Tive experiências boas e ruins, mas nada nunca tão rápido!

O papo começou leve, sem aquilo mecânico. Descobri que ele é meu vizinho, descobri que ele é um príncipe ogro e descobri também que ele escreve contos eróticos (leia mais aqui). Estava vendo a abertura das Olimpíadas e ele indo pra Lapa. Ele mandou um papo de que fazia um brigadeiro foda. Essa é mais antiga que “Vamos ver um filme lá em casa?!”. Nosso papo durou até 4h30 da manhã. Ele é tímido. Sutil. Delicado. Falamos de sexo, masturbação, boca, boquete, mas tudo no salto. A mensagem de áudio dele já me arrepiava. Não houve nudes e nem promessas. Só a do tal brigadeiro inesquecível. No dia seguinte continuamos conversando…

– Minha amiga tá aqui embaixo do meu prédio ficando com um menino e eu esperando…

– Isso é um convite?

– Vem aqui pra gente conversar!

– Em 2 minutos estou ai.

Agora começou a maior perdição que o Happn me ofereceu em tão pouco tempo (leia mais aqui). Demos o primeiro e mais longo primeiro beijo que dei em tempos. Parecia que minha boca se encaixava perfeitamente na boca dele. Parecia que minha mão e o corpo dele tinha imã.

– Quero te ver amanhã, eu disse com toda segurança do mundo.

No dia seguinte, recebi a mensagem de que ele já estava em casa me esperando. Ele mora na rua ao lado, isso é ótimo! Coloquei um vestido comportado, mas sem calcinha… Bati na porta. Ele abriu. Enrolado na toalha com o rosto um pouco molhado ainda do banho. Não precisei falar “oi” porque o beijo era o melhor comprimento de “Seja Bem-Vinda” que ele podia me dar naquele momento.

Em pouco tempo já estava deitada na cama. A toalha caiu sem nem eu perceber. O mistérios que ele reservava era mágico. Ele me jogou na cama e prendeu meus braços. Olhou pros meus peitos ainda com sutiã, botou pra fora e chupou delicadamente. Se dedicou como se fosse a única coisa que ele faria na vida. Nada mais importava ali. Eu não pensava em mais nada. Fiquei paralisada, quieta.

Ele desceu, beijou a barriga, o umbigo, a perna e chegou no lugar que mais clamava por ele. Minha buceta que já estava queimando de tão quente. Chupou, lambeu, sugou, brincou, enquanto eu sentia arrepios subindo do pé até o fio de cabelo. Quando eu estava quase chegando lá, ele diminuía o ritmo. Quando eu estava chegando quase lá, ele aumenta o ritmo. Eu já não suportava mais, até que ele botou os dedos dentro de mim enquanto me chupava. Isso é xeque-mate! Não demorou muito pra eu soltar toda aquela adrenalina que estava em mim.

O pau que estava duro roçava na minha buceta e encontrou o caminho certo! Entrou onde eu mais implorava que ele entrasse. Estava dentro de mim. Ele botava com força e tirava. Rápido e devagar. Metia forte e ao mesmo tempo delicado. Eu não aguentava e estava no mesmo ritmo que ele. Subindo e descendo. Ele não parava de meter. Eu gemia como se quisesse mais e mais dele em mim. Ele gozou.

Mas o tesão estava tão grande que isso não foi o suficiente para que a gente parasse. O pau continuou duro e lindo. Beijei desde a boca até o pau. Ele estava deitado todo pra mim. Eu só queria aproveitar cada parte daquele corpo que me fazia sentir coisas incríveis. Beijei, lambi, percorri minha mão e minha língua pelo seu corpo. Cheguei onde queria e onde precisava me dedicar. Chupei delicadamente o pau. Devagar. Engoli gostoso até sentir ele entrando na minha garganta.

Depois de aproveitar muito cada parte, ele mandou eu ficar de quatro. Obedeci na mesma hora. Ele enfiou o pau que estava duro igual pedra na minha buceta e o dedo no meu cu. Ele metia forte e cada bombada era um gemido. Ele batia na minha bunda e eu delirava. Estávamos mortos! Deitamos por alguns minutos. Não demorou muito e ele levanta pra pegar os brigadeiros (Sim, ele fez tradicional  e outro de Coco Tostado). Que na verdade eu nem lembrava mais.

O brigadeiro era uma delícia, realmente ele sabia do que estava falando e fazia bem feito. Pelo visto, ele fazia tudo muito bem feito e eu queria me surpreender mais e mais. Ele adormeceu e eu não podia deixar de lado a coisa que mais gosto de fazer. Acordar um pau na minha boca. Passei a mão, fiz carinho, meu tesão foi aumentando, ele se mexendo e eu não aguentei e cai de boca naquele pau gostoso mais uma vez. Dessa vez eu queria deixar ele descontrolado.

Ele que ainda estava de olhos fechados, gemia com minha boca. A intensidade era gradativa. Eu aumentava, diminuía. Masturbava e chupava. Lambia e sugava. Até que ele pegou minha cabeça e começou a foder minha boca forte. Aquele pau entrava na minha garganta, e eu não queria mais nada, só chupar. Ele gozou de novo. Junto com o gemido que me alucina, veio o leite quente que percorreu minha boca inteira. Deixei cair a última gota pra engolir tudo de uma vez (leia mais aqui).

O brigadeiro dele é maravilhoso, mas nada se compara a delícia do gosto daquela porra quente descendo na minha garganta e o gosto de prazer que ele deixou em mim. O melhor brigadeiro da noite foi o leite condensado dele.

Imagem: Pinterest

Área especial sobre Orgasmo Feminino

Sabia que a gente tem uma área especial sobre Orgasmo Feminino com muitas dicas, técnicas, fotos e vídeos?

Veja uma prévia do que espera por você

Você ainda poderá participar do nosso grupo fechado no Facebook e tirar dúvidas com uma Sex Coach, além de falar sobre o assunto com outras mulheres!
Vamos nessa? 😉

Acessar o especial Orgasmo Sozinha
@ load more