Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quero começar esse texto dizendo que VOCÊ É LINDA. Por muito tempo meu espelho foi meu pior inimigo. A pré-adolescência foi um inferno na terra para mim. As crianças e os quase jovens podem ser muito cruéis e eu sei bem disso (se você não sentiu isso na pele, com certeza conhece alguém que sabe como é sofrer o maldito bullying). Quando comecei a entrar na fase de ‘encorpar’ eu olhava para o lado e via TODAS as minhas amigas com um corpo totalmente diferente do meu.

Enquanto eu estava com aquela forma meio quadrada e tosca, elas já estavam longilíneas, com peitos perfeitos, cabelo liso e eram as mais gatinhas. Enquanto isso, eu era o patinho feio (provavelmente meus pais discordam disso, mas eu sei bem como foi essa fase tenebrosa). Apesar de andar com as meninas consideradas ‘populares’, eu era uma espécie de bobo da corte da turma, pois era gordinha, usava óculos, tinha franja, um cabelo grosso e bem escuro e, para completar, uma pinta perto do lábio – que me rendeu muitas crises de autoestima e até hoje me causa insegurança dependendo do meu estado de espírito.

Vale ressaltar que além dos meninos me zoarem, as meninas, que se diziam ‘muy amigas’, também riam de mim nas minhas costas e, às vezes, ACREDITEM SE QUISER, na minha cara mesmo. Me lembro muito bem de vocês, viu? As coisas começaram a melhorar a partir dos 14 anos, mas antes de eu começar a ter vontade de fazer as pazes com o espelho, prometi a mim mesma que NUNCA MAIS deixaria ninguém falar algo sobre minha aparência, muito menos permitiria derramar uma lágrima por causa disso (leia mais aqui). Acredite, amiga, foi difícil superar essa fase.

Finalmente, encorpei, a franja cresceu e os fios ficaram mais compridos, dei as boas-vindas à lente de contato e comecei um ‘novo eu’ porque EU queria mudar e não para me enquadrar em um padrão. A partir desse momento, não deixei mais nada e nem ninguém me colocar para baixo. Os anos foram passando, eu fui me conhecendo melhor, me descobrindo e passando a me amar um pouquinho mais a cada dia. Volto a dizer, não foi fácil. Quando você é alvo de brincadeiras e piadinhas por muito tempo, nem sempre a gente consegue se convencer rapidamente de que aquilo não é verdade. Demora, mas a gente se reergue, pode acreditar em mim (leia mais aqui).

Fui descobrindo em mim uma mulher forte que eu não conhecia, mas que passei a conhecer e fiz dela minha melhor amiga. Mudei de colégio, entrei na faculdade e passei a ver que eu não me resumia a uma imagem. Sim, ainda tem dias em que a gente se sente meio blé, mas, hoje, esses dias são a exceção e não o meu estado permanente de espírito. Dividi toda essa minha história para pedir para que você seja sua melhor amiga.

Se ame de todos os jeitos que puder e quiser, se liberte, se vista, se porte da maneira que te fizer feliz e faça TUDO que te leve a se sentir bem e cada vez melhor.  Você é LINDA do jeito que é e o que te faz mais bonita é o que você tem de diferente. Quem foi que disse que precisamos ser iguais àquelas meninas que me zoavam no colégio para sermos consideradas bonitas? Sinceramente, eu só tenho a agradecer a todos que um dia riram e me fizeram chorar escondida no banheiro. Vocês me tornaram a mulher forte, independente, linda, inteligente e dona de uma autoestima incrível que eu sou hoje.

Por isso, minha amiga, se você que está lendo este texto já passou por isso ou ainda passa, não deixe isso te abalar e nem leve isso como uma corrente de ferro nos seus pés. Se tem uma coisa que eu aprendi é que pessoas que diminuem os outros (publicamente ou nas costas), têm sérios problemas com elas mesmas e fazem isso para se sentirem melhor. Coitados. Não se sinta mal, pois são eles que precisam mudar e não você. A partir da minha própria experiência e de tudo que já vi por aí, te digo com toda certeza: VOCÊ É LINDA.

Imagem: Andrea de Santis – Pinterest

 

@ load more