Receba nossos e-mails incríveis
NOVO App Clube Superela!! ♥
Pergunte e converse anonimamente
Relacionamento Sexo Autoestima Corpo Trabalho&Dinheiro Beleza Estilo Entretenimento Girl Power!
Escreva seu texto
Receba nossos e-mails incríveis

Leia temas do seu interesse:

/

Autoestima e Mulheres: o que aprendi trabalhando com elas?

Marina Aniya

Colunista Superela

Mais textos

Ainda lembro do meu primeiro atendimento. Das palavras que ouvi que, de certa forma, me assustaram. Talvez justamente por isso me tocaram profundamente. Lá se foram cinco anos e eu não poderia imaginar que elas seriam tão frequentes em minha vida. Vamos conversar sobre autoestima.

Autoestima e Mulheres: o que aprendi trabalhando com elas?

A primeira vez em que ouvi uma mulher bonita, inteligente, bem articulada e bem sucedida dizer, com lágrimas nos olhos, “eu sou uma fraude, faço tudo errado, eu me detesto”, fiquei sem fala, sem reação. Apesar de a dor ser dela e bastante óbvia, me senti sem chão, como se tivesse levado um repentino tapa na cara. Primeiro porque eu não esperava ouvir algo assim, e segundo e mais assustador, eu deveria ajudá-la. Como eu poderia ajudar alguém a se amar?

A autoestima não deveria ser algo natural para todos nós?

autoestima

Então ouvi um discurso mais ou menos parecido pela segunda, terceira e quarta vez. E é assim praticamente todos os dias. Temos em comum o fato de sermos mulheres. Fora isso, são idades, profissões, experiências, históricos, anseios e objetivos certamente tão diferentes. Mesmo assim, ouvi de uma maioria absoluta, em algum ponto de nosso trabalho, que o que elas queriam era simplesmente amor próprio e autoaceitação. Estavam buscando fora o amor e a aceitação que não sentiam por si mesmas e, claro, nesta busca acabavam se metendo em furadas. Algumas realmente perigosas ou até mesmo comprometedoras.

A história mais comum é se submeter a situações ou relacionamentos que não agregam, porque acreditam que não merecem ou não conseguirão nada melhor. Ou ainda que não têm a capacidade para conquistar o que desejam. E nessa “brincadeira” perigosa, vamos nos afastando de nossa essência.

É triste e inacreditável a quantidade de mulheres que não sabem o que realmente gostam de fazer, do que lhes dá prazer, no que são boas, ou quais são os próprios dons e talentos. Quando se percebe, está em um limbo, um lugar fosco, esquisito e sem sentido. Não pretendo neste texto identificar as causas (que provavelmente estão nas informações assimiladas a partir da forma como outras pessoas te percebiam e, a partir daí, você criou a sua Autoimagem. Além de crítico interno, crenças sobre si e o mundo, comparações, julgamentos, culpa e frustrações, para citar alguns caminhos e serem trabalhados no desenvolvimento da autoestima).

O que significa se amar mais, e como fazer isso?

Não existe um botão que liga e desliga, e simplesmente acordamos nos amando mais e com a autoconfiança lá no céu. Seria ótimo se fosse assim, porque acredito que o autoamor é o caminho para amar o próximo. Como disse Santo Agostinho, “o amor a si mesmo, por ser o modelo do amor aos outros, é superior a ele como princípio”.

Sem amor a si, o amor desinteressado ao outro torna-se impossível. Não percebemos que condicionamos a autoaceitação à aceitação e ao amor do outro e assim caímos em uma grande cilada, pois o outro – quase sempre – não tem amor nem para ele mesmo. Aí minha amiga, lascou-se. Já viu os problemas de relacionamento que isso vai gerar, né ?

Mas voltando a como aprender a se amar, se respeitar e se valorizar, é pertinente dizer que amar-se é um aprendizado e, como qualquer outro, precisa de dedicação e tempo. É um mergulho em si e o primeiro passo é a decisão.

É preciso decidir querer se amar, e não é tão óbvio como parece. Mudanças acontecerão. Você está disposta a abrir mão de alguns relacionamentos nocivos? A falar não? A se por em primeiro lugar? A mudar a forma como você se mostra e, consequentemente, como as pessoas te percebem ?

Se sim, garanto que esta caminhada em direção à autoestima valerá a pena. O prêmio na linha de chegada? Você! Mais íntegra, feliz, confiante, em paz e congruente com a sua essência.

Imagem: Pexels


E como você poderia ajudar a essa nossa leitora aqui abaixo, que está enfrentando problemas de autoestima?

Marina Aniya

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/

Leia temas do seu interesse:

/

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada!

Recebemos seu pedido de cadastro e enviamos a você um email com o link para você confirmar o recebimento dos nossos emails.

Por favor, acesse seu email e click no link de confirmação.


Click aqui para voltar ao site.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
OS MELHORES conteúdos do Superela
uma vez por semana no seu email!
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)