Quem somos Termos / Política de Privacidade Contato
< Superela.com
Você está em:
Clube Superela
+18
home recentes populares temas relacionamentosexoautoestimabelezaestilotrabalhoentretenimento perguntar

Como é a relação da sua mãe com você?

Gente, eu não consigo entender a minha mãe. Ela não me dá espaço pra nada. Eu tenho 21 anos. E só comecei a sair de casa e fazer coisas legais por causa do meu namorado, porque se não fosse ele, eu tava presa em casa. Ela não me deixava sair pra nada. Sempre que eu dizia que ia sair, tudo parecia uma guerra mundial. Com 15,16 anos eu nem podia sair pra fazer trabalho na casa de amigas, ela tinha que me levar, se não, eu não ia. Todos se afastavam de mim, por causa dela.  As vezes quando eu saio, ela fica ligando querendo controlar a hora que vou voltar, gente, isso não é normal. Tudo bem que as mães se preocupam, mas isso é demais. Ela atualmente, nem esta como na epoca dos meus 15 anos, mas tambem não mudou pra melhor, continua enchendo meu saco, me coloca pra baixo, e briga por coisas insignificantes, as vezes ela é legal e da pra conversar, mas quando quero correr atrás de algo bom pra minha vida, ela quer me atrapalhar. E não, não adianta conversar com ela. Como é a relação de voces com a mãe?
MariaJulia . 3 anos

25 Respostas

gabimacedo . 3 anos
Minha mae foi liberal hj me arrependo das coisas q fiz ela me alertou isso e uma fase e vai passar ela ta te protegendo la na frente vc vai ver o valor disso parabéns p ela ... Amanhã vc vai entender o pq
0 arrasou
Fernanda Ramos . 3 anos
Minha mãe também já foi assim, mas tudo é questão de confiança. Mostre confiança e faça ela ter confiança em vc.
+1 arrasou
Ana Laura B . 3 anos
Eu e minha mãe nunca nos demos bem, eu sempre quis sair e ela queria me segurar e a gente vivia em pé de guerra, fui pra um grupo da igreja da minha cidade pra ver se algo mudava, mas não durou muito tempo, continuei querendo sair e ela me segurando, eu dificilmente contava as coisas pra ela, até um dia que ela chegou em mim e disse que ela e meu pai iam acabar se separando por minha culpa, nisso fiz minhas malas e sai de casa, enquanto eu morava fora a gente começou se acertar, comecei contar coisas da nova fase da minha vida pra ela e por problemas acabei voltando pra casa, agora temos uma boa relação, ela sabe de tudo da minha vida e por eu estar namorando ficou mais fácil também, mas no inicio sempre é dificil pras mães verem que a gente cresceu, eu sou da opinião que a conversa resolve tudo com o tempo, como no meu caso a conversa não deu certo eu dei uma de rebelde haha mas não indico isso, vai tentando conversar, tentando contar as coisas e com o tempo ela pega confiança e segurança em você!
0 arrasou
Iuhhji . 2 anos
Acho q é necessário dependendo do caso a rebeldia sim. Sair de perto. Pq aí elas caem em si e veem q n tem um boneco em casa. Tem q tomar uma atitude extrema contra a manipulação q elas fazem e pode prejudicar demais a vida. Como sabe q podem perder, elas passam a mudar a atitude.
0 arrasou
CherryBomb . 2 anos
minha mãe e eu ficamos grandes amigas quando eu tive que iniciar tratamento aos 14 anos e até hoje, seis anos depois somos inseparaveis
0 arrasou
Valll . 2 anos
Minha relação com a minha mãe é boa, mas assim também não sou solta no mundo e olha que tenho 18 anos, quando quero sair aviso antes se for algum lugar longe e digo com quem vou (ela tem que conhecer) e todas as informações e sempre falo com ela se tô bem mando foto e etc, acho que pra vc ter mais liberdade é só mostrar que sua mãe pode confiar em vc, que vc tem maturidade suficiente pra resolver suas coisas aos poucos ela vai deixando.
0 arrasou
Magaflora . 2 anos
Bem agora o lado da mãe. Tenho prblemas de relacionamento com minhas duas filhas. Nunca permiti namorados dormindo em casa, fui rígida com relação à educação e seletiva com as amizades delas. Mas a mais velha sempre me enfrentava e me provocava, de tal forma que era uma relação de amor e ódio. Tínhamos brigas terríveis. Aí ela foi pra faculdade e saiu de casa. Nossa relação melhorou, mas sempre tenho que cuidar dos assuntos que abordo, senão lá  vem outra briga. É algo mais forte que relacionamento, é confronto de personalidades. Se as duas não cederem não há como conviver. Não existe o ceder unilateral. Não dá certo.
0 arrasou
Neide Sara . 2 anos
Tenho 22 anos, estudo e trabalho, mas o meu salário caí todo nas maos da minha mãe, eu nem sequer tenho acesso.
Enquanto eu passava dificuldades no semestre, com 28 horas de aulas mais 22 horas de trabalho por semana, mais o tempo de estudo, sem ter tempo para nada, ela cobrava que eu arrumasse a casa e quando eu falava que nao tinha tempo, ela dizia que para estar com o meu namorado eu tinha tempo (namorado que eu so via uma vez por semana, quintas à noite, a gente jantava e dormia). Falava que "não é minha criada", quando na verdade ela não trabalha, esta em casa o dia todo.
Uma vez pedi para ela estender a minha roupa, deu discussao e falou que se não tivesse ido dormir com o meu namorado teria tido tempo de fazer isso.
Controla o meu dinheiro, para o qual eu trabalho muito, mas quando eu oeço dinheiro ou me nega, ou me faz sentir culpada por estar a pedir. Por vezes, no meio de discussoes, diz que "nao é com a merda dos teus 500 euros que tu te sustentas. esta casa dá dispesa", quando na verdade o meu pai esta na alemanha e manda dinheiro todos os meses. enquanto eu vejo ela gastar o dinheiro com os gatos, em produtos de cosmetica e roupa, no cabeleireiro, em comer fora...
Houve uma altura que eu e o meu namorado brigamos, e ela falou, sabendo que eu tava sofrendo "Quer dizer que nem durou nem um ano? qualquer dia não passas na inspeção" (que é o mesmo que me chamar de usada/rodada).
Relativiza os meus sentimentos, os meus interesses, as minhas necessidades. como só ela tivesse problemas, so ela é que importa.
qualquer opiniao contraria da motivo para discussao, algo tao simples como nao achar um ator que ela gosta bonito, ela diz que "estou so a querer medir forças com ela". quando a tento ajudar em alguma situaçao em que vejo que esta com dificuldades, diz que estou a tentar mostrar que sou mais inteligente e apta que ela, mas se nao a ajudo, diz que nao quero saber dela.
Nao fala comigo há uma semana porque, me fez uma ligaçao enquanto eu estava a estudar (eu ia ter dois exames da faculdade no dia seguinte), para me contar uma fofoca de familia. apos 5 minutos de conversa, perguntei se tinha mais alguma coisa para falar pois eu precisava de voltar a estudar. Começou a gritar, chamou-me nojentinha, desligou o telefone na cara e quando chegou em casa nao me falou. e passou uma semana ja.
Ha uns dias disse que ia sair de casa ate setembro, chamo-me egoista, disse que se fosse embora nunca mais me dirigia a palavra e mandou sair da frente dela. a minha irma, que nao vive em casa ha 5 anos, ja se meteu, tambem a dizer que eu sou egoista e so penso em mim.
Sera que eu estou doida por querer ir viver a minha vida e sair desta relaçao toxica?
0 arrasou
Tanda . 1 ano
Oi gente tenho 34 anos ,sou mãe trabalho, 40 horas , Sou professora d ingles e pirt...formada em federal...tnho mestrado em federal tbm.Tenho um filho de 1 ano e meio, com frequência minha mãe vem até a minha casa para me ajudar com a faxina. Mas sempre vem moralizando e me dando dicas de que eu deveria ter um estilo de vida diferente e a minha casa é bagunçada demais, a paranoia dela é tanta que ontem lavou as mamadeiras com Ajax e hoje eu disse para ela que isso não se faz né , porque produto de limpar banheiro. eEla fala o que quer, mas não quer ouvir. Em resumo ,tenho tudo para fazer minha vida aqui, dpois d ter ficado 12 anos long, casa própria , companheiro parceiro, estabilidade, mas só penso em assumir concurso em outro lugar bem longe como tive oportunidade esse ano e neguei .Tem sido bem difícil para mim porque daí vem toda aquela chantagem de "vou morrer, tu é tão ruim para mim" mas poxa eu só quero respeito ao meu estilo de vida. que vocês acham disso?
0 arrasou
Tanda . 1 ano
PORTUGUES E INGLES*
0 arrasou
Tanda . 1 ano
Péssima
0 arrasou
Bru26 . 1 ano
A relação difícil entre eu e minha mãe vem desde a infância. Infelizmente ela mente compulsivamente e é chantagista, sim isso dói. Por muito tempo da minha vida, me senti tão culpada, parece que tudo que faço não é bom. Não sei se é o caráter dela que me deixa frustrada, mas já desejei por muitas vezes uma mãe diferente. Sinto falta de um conselho útil, de um abraço sem pedir, desejo até coisas simples, que ela não me minta ou engane... Ela causa intriga e fofocas entre filhos, acha que sou responsável em sustenta- la, mas também não ouço um obrigado pelas coisas que faço... na verdade nada está bom, o quanto me culpo por esta relação difícil é indescritível... Hoje estou quase me formando, montei meu negócio próprio, namoro, sou responsável por mim mesma. Mas eu digo, uma mãe que me apoiasse e educasse de forma amável teria facilitado muito meu caminho. Quando precisei de opiniões e conselhos, pedi a minha professora, mãe de amigas, sogra... graças a elas, soube escolher o caminho certo, na maioria das vezes. Com 26 anos, não sei se quero ter filhos, tenho medo de não ser uma boa mãe. De criar filhos frustrados!
+1 arrasou
Giovana Boroto . 1 ano
Olá, atualmente tenho 26 anos, mas entre meus 15 anos, minha mãe começou a obter umas atitudes estranhas, pois havia começado a trabalhar fora. Comecei a perceber quando entrava em férias do serviço e das aulas, ela não me deixava almoçar em casa com o argumento que eu nunca ficava em casa mesmo, que então eu continuar a minha rotina. Umas das vezes ela não deixou que eu me sentasse a mesa com ela e minha irmã, me mandou assim procurar o que fazer. Então fui comprar uma pizza semi-pronta para assar, e chegando em casa, ela pegou a pizza da minha mãe e começou a pisotea-la falando que eu estava querendo medir forças com ela, pois eu não tinha que utilizar do seus recursos para assar a pizza, que eu deveria me "virar" e não ficar dependendo dela (embora não trabalhasse e era sustentada pelo meu pai). Foi quando comecei a perceber que algo estava errado. Enfim, quando estava com 18 anos os abusos continuavam, ela fazia em dar mensalmente a quantia de 250,00 pois alegava que eu meu quarto não era grátis, que eu deveria pagar um aluguel por ele (até tudo bem, entendo que deveria ajudar em casa), mas esse não era o problema, eu estava no 4º ano da faculdade e necessitava realizar uma pasta de estágio (realizar uma séries de audiências no fórum) e assim pedi o carro do meu pai emprestado para que eu pudesse realizar o planejado, ela surtou, disse que eu estava me achando, assim ela pegou uma mala e encheu de papéis e mandou entregar na portaria da empresa que ele trabalhava, no intuito de enfurece-lo comigo. Não entendia o motivo daquele show. Meu pai sentia pena do modo que ela me tratava. Comecei a namorar (meu meu marido) e ela ficava me falando coisas horríveis como por exemplo: ele está com você apenas ara passatempo, pois quando ele resolver casar, irá procurar uma moça ideal para isso. Foram inúmeras humilhações, até que uma delas foi me acusar de tetar mata-la, foi quando chamou policiais até a residencia em que morávamos, eu nem estava em casa, estava na casa do meu namorado, eu cheguei junto com os policiais, e quando ela me avistou, ela começou a gritar falando que eu estava querendo matá-la. Os policiais me orientaram a procurar ajuda para ela, mas ela estava tão obcecada em querer me prejudicar que ingressou com uma ação judicial contra mim, alegando que eu a espancava.
A partir deste ocorrido, eu decidi sair de casa, e não conversei com ela por 02 anos. Entendi que ela era doente, mas que não poderia ajuda-la no momento pois eu estava tão atordoada e magoada com a situaçao que precisava me ajudar primeiro.
Assim, tentei me reaproximar da minha mãe, mas ela possui algo tão malígno que tentou estragar meu relacionamento, afirmando para meu noivo que o traía, e que eu não o merecia, além disso minha mãe tentou me fazer perder o emprego no qual me ameaçava que se eu não atendesse as suas ligações iria até o meu local de trabalho com a policia fazer uma escândalo, tudo com o intuito de me prejudicar.
Então percebi que minha mãe não era uma pessoa que me queria bem e que a única maneira de me restabelecer psicologicamente, financeiramente, profissionalmente e amorosamente era cortando de vez as relações. Hoje me casei formalmente, e tomei a decisão de não convida-la. São atitudes drásticas, mas necessárias, pois finalmente vivo feliz e tranquila. As vezes sinto falta da figura materna, mas não sinto falta da relação abusiva em que vivi por anos. Hoje infelizmente possuo o trauma em não querer ser mãe, pois tenho medo de me tornar o que minha mãe foi pra mim, pois me lembro que minha infância ela era a melhor mãe do mundo, e que na minha adolescência se tornou a pior pessoa na minha vida. O que passei não desejo à ninguém.
0 arrasou
Meninas ainda bem que procurando artigos dessa natureza na Internet encontrei vocês.  Hoje tive uma discussão feia com minha mãe e para mim chega de ficar dando murro em ponta de faca achando que em algum momento a minha mão não irá cortar.  Sofri assédio sexual pelo meu pai desde os 9anos de idade e minha mãe conhecedora disso nunca fez nada porque alegava que tinha meus outros 3 irmãos para criar. Com isso minha mãe sempre me enxergou como uma rival dela como se eu tivesse culpa pelo fato do meu pai alimentar pensamentos doentios em relação a mim. Cresci nesse ambiente e depois de alguns anos consegui ir morar sozinha . Mas aí veio a minha burrice com pena da minha mãe pelo tratamento que recebia do meu pai voltei para casa e qual não foi a minha decepção é que por mais que eu fizesse algo por ela nunca estava bom. Minha mãe na tentativa de fugir do meu pai veio pedir abrigo na minha cabeça e eu inocentemente a acolhi. Começou o meu martírio.  Ela atendia ligações de homens me procurando e se passava por mim. Se eu arrumo o cabelo ela também precisa estar com o cabelo arrumado. Se eu faço as minhas unhas ela também precisa estar com as unhas feitas. Enfim cansei dessa competição.  Jamais terei a minha mãe como uma amiga e sim como uma eterna competidora. Preciso me desvencilhar desse relacionamento que só me faz mal.
0 arrasou
Jucabel . 1 ano
A relacao sempre foi ruim, desde a infância mas o inicio do fim foi quando meua pais se separaram. Eu tinha 15 anos, e fui p ela o motivo que causou a infelicidade e consequentemente a sepacao matrimonial com meu pai.
A qualquer desejo que eu tinha de me relacionar socialmente era p ela um atestado que eu era usuaria de drogas ou alguem que nao prestava. Me comparava ao meu pai sempre que discutiamos dizendo que eu puxei a ele e sua familia, algo que dizia com tom de ofensa e acusação dizendo que eu nao era de confiança.  Me chitou a cabeca num churrascp qie meu irmao deu pq entrei na psicina com minha melhor amiga apos o evento... nesse dia fugi de casa, e o que mais me doeu nessa historia nao foi o chute foi o que ela disse p todos o motivo de minha fulga, o fato dela me reprender por estar nua na piscina com a casa cheia de convidados... me difamou, como despravada e ao inves de me buscar depois de uma semana apos pedir a ela pois estava com cistite e febre alta devido ficar exposta ao frio, sol chuva e sem se alimentar nesse periodo. Voltei numa viatura e fui tratada feito lixo na delegacia mesmo de menor, mas tratar de um estado febril, sangramento e o trauma de ter sido estuprada foi negligenciado. Eu tinha 16 anos. Voltei p casa como criminosa em meio a fulga segunda ela, foi visitar uma cartomante que disse ela e ela me contou que eu soh daria certo na vida ao 40 anos e que aos 18 seria presa. Nunca fui presa, mas fui mae. Ser mae p minha mae alem de ser uma vergonha fui novamente abandona e passei muita necessidade nessa epoca. Resolvi depois de alguns anos estudar p um  vestibular numa universidade publica. O incentivo e busca por melhores condicoes de vida p mim e meu filho foi um desejo antigo e libertacao que conquistei com auxilio através da  terapia cognitivo comportamental que busqueo e paguei durante 4 anos... quando enfim passei na federal a familia virou a cara p mim, pois minha mae achava (suas palavras) que nao podia me dar o luxo de estudar. Ao ingressar na universidade comecei a trabalhar numa editora onde escrevi junto a dona um livro p o enem, passava fome e o dia na universidade pois nao tinha ferramentas como internet, livros p acompanhar meus colegas... lembro de uma noite que minha mae quebrou meu notbook que alias ganhei de uma amiga dela por entrar na federal e escutei dela que eu era uma vagabunda.... quando namorei o pai do meu filho ele sempre foi mal tratado na minha casa pois p minha mae ele era como eu e mesmo apos dois anos de namoro e engravida ele era expulso da minha casa... resultado quando meu filho nasceu nao tinha mais namorado e quem compartilhasse uma amomento tao delicado. O engracado que apos nosso rompimento, mesmo sendo deixada por ele, p minha mae ele era agora uma otima pessoa e soh nao ficou comigo pq achou alguem melhor. Mesmo ausente ele p ela era um otimo pai ( apesar de nunca ter compartilhado o crescimento do filho e contibuido financeiramente) parecia que eu devia pagar por ser mulher, mae sofrer por anos agressoes verbais sobretudo quando gritavam (ela e minha irma) na frente do meu filho que nao o amava, que nao tinha futuro que era pessima mae, era porca, relaxada.... olha hah episodio que dormi na rua e fui impedida de levar meu filho, vendo ele vomitando no portao devido ver eu sendo agredida pelo namorado dela que corria atras de mim na rua gritando o termo vagabunda... e o motivo era pq tinha que carregar o cartao transporte em um tubo de bus que ficava maos de 10 km da minha casa. Eu precisava pois tonha que trabalhar muito cedo no outro dia e a empresa atrasou o depósito, e ai pedi 2 reais emprestado p algo necessario e importante... mas p o namprado da minha mae minha intencao era outra... eu pergunto qual? Qual intencao uma filha pede emprestado 2 reias p poder trabalhar no outro dia? Sera que a mesma que a dele que era usuario de droga e sumia por semans, roubavas nossa coisas e coincidentemente deu pt no carro da minha que foi busca lo na favela... o louco quebrou a porta do meu quarto p eu nao poder fechar... pensa, com 24 anos nao tinha direito a privacidade... jamais vou esquecer do dia que fui violentamente expulsa sde  casa com aroupa do corpo por querer trabalhar... nesse dia deixei de acreditar em deus e vi que nada poderia me ajudar, nada a nao ser eu mesmo faria algo por mim. Fui a peh p meu servico e dormi num leito de hospital e percebi o quanto estava e sempre estive sozinha. Hj com 35 anos valho menos que um bandido p minha mae. Td que desejo eh ir embora sem olhar p tras. Escrever um nova e digna historia, quero nascer hj e criar lembranca saudaveis, quero olhar p frente e encontrar um sentido. Nao quero lembrar da onde vim, da familia que nunca tive e o amor que nunca existiu. Tenho uma magoa tao grandre que soh nunca mais olhando p tras talvez tenha a chance de Construir minha vida e quem sou.
0 arrasou
Amandabssilva . 1 ano
Eu tenho 24 anos tenho 1 filho de 7 anos moro com meus pais mais a minha relação com minha mãe tá de mal a pior.
Ela sempre me coloca para baixo eu sou gordinha ela vive jogando na minha cara  Esses dias eu comprei pão de forma e comi 1 e quando fui comer a metade de outro pão ela falou assim que tem dó do meu pai pq daqui uns dias não vai dá conta de sustenta a casa. Minha cunhada veio em casa fico 15 dias ela não ajudou minha mãe em nada comia 2 pão de café da tarde tomava leite usava Nescau do meu filho ela não falava nada e se eu tomo um leite com Nescau ela já fala que e do meu filho que eu não tenho que tomar etc sendo que eu mesma compro e as coisas que ela compra para meu filho ela esconde a única solução para meu caso e realmente me mudar daqui e ir viver sozinha.
0 arrasou
Joelma Lop3z . 1 ano
Minha relação com a minha mãe é muito complicada, tenho 29 anos mais ela acha q tenho 15, na cabeça dela eu prefiro o povo da rua do q os de casa. Agora evitei de sair para ela para de jogar isso na minha cara, mais fiquei pra baixo meio q me isolei e agora ela vai ruim por isso. Falo q vou embora para outra cidade da um rumo na minha vida pq já passou da hora e ela tbm acha ruim e volta na tecla q eu não gosto do pessoal de dentro de casa. Não sei mais o qua faço, pois isso tudo acaba gerando brigas desnecessárias.
0 arrasou
Tenho 34 anos sou casada, também sou mãe de duas crianças, sai da casa da minha mãe já tem 12 anos. Meu relacionamento com ela sempre foi de total submissão ia até bem, pra ela é claro, até que há 2 anos isso mudou. Passei por um tratamento psicológico e descobri q posso ter minhas opiniões, meu jeito de querer viver e que devo ser respeitada por isso. Acontece que minha mãe já tem 61 anos e disse q já está velha demais para mudar, então se eu quiser viver bem com ela aceito o jeito "abusivo" dela de ser ou posso me afastar dela que ela não se importa, e acredito mesmo nisso, pq se eu não ligo pra ela , ela tbm não liga, vem com pouquíssima frequência na minha casa, mas quando vem bota defeito, que minha casa ta uma bagunça. Ela me coloca muito pra baixo, ressalta muito meus defeitos, me compara muito ao meu irmão, me fala q é difícil se relacionar comigo mas o próprio filho dela ficou 6 meses sem falar com ela, será mesmo q sou eu o problema?! Mas eu a amo, gostaria q fosse diferente, gostaria de ter um conselheira, gostaria de ter prazer em estar com ela. Mas o q sinto é repulsa. Mas vou me esforçar para entender mais minha mãe e vou buscar isso em Deus, porque humanamente falando parece tão difícil quanto fazer as pazes entre palestinos e israelenses.
0 arrasou
Maria.E.D . 1 ano
Eu e minha mãe não temos uma relação muito boa. Morei alguns anos com meus tios, e agora que estou morando com minha mãe, percebo que ela e a irmã dela (minha tia) não diferem muito. TODOS OS DIAS, ela briga comigo por alguma coisa idiota: não acha alguma coisa e coloca a culpa em mim, me compara toda hora com qualquer coisa ruim e deprimente e dps, fica me elogiando por alguma coisa(o humor dela oscila toda hora), faz questão de jogar na minha cara que me sustenta (não faz mais doq a obrigação dela) e que eu deveria agradecer, já me chamou de nomes horríveis e me compara com pessoas que ela detesta, sempre. Eu organizo a casa todo dia, principalmente a cozinha, mas ela sempre suja ou desorganiza tudo, e aí de mim se reclamar. Ela diz, que trabalha e eu fico em casa sem fazer nada, desmerecendo qualquer coisa que eu faça dentro de casa (limpar, cozinhar, organizar as coisas, comprar algo que está em falta). Mas, o que me deixa com raiva é o fato de ela me xingar e dps me elogiar, como se quisesse consertar a cagada que fez. Quando morava com a minha tia, ela tinha o comportamento igual ao da minha mãe, e por isso eu queria MUITO morar com a minha mãe, de novo, porque não aguentava tanta humilhação, mas agora percebo que as duas não são tão diferentes.

Obs: hoje, eu toquei na minha mãe pra pedir pra ela sair da cozinha, pq eu estava limpando e ela disse, que eu estava agredindo ela :)
+1 arrasou
Amanda Grimes . 1 ano
Quando eu tive 17 anos, terminei a escola e tava procurando algo para estudar, nunca tive apoio em casa, meus pais já estavam separados e eu já sofria isso pois eles acabavam descontando muitos problemas deles em mim, sempre fui uma menina muito reservada e tirava as 2° melhores notas na sala. Foi quando minha mãe começou a namorar um cara muito mais novo do que ela além disso psicótico e viciado, ele vivia falando mal de mim e do meu namorado para ela, com isso no lugar de me defender ela foi na dele e começou a criticar tudo o que eu fazia, a dizer que meu namorado n prestava, eu era excluída em casa pois n tinha   nem o que comentar,  até minha irmã ficou contra mim por causa dela, eu me sentia um lixo e quem ficava do meu lado era só meu namorado, até que um dia ela me expulsou de casa pois eu tinha ido dormir na casa dele, pois eu n conseguia ficar em casa. Fui morar com meu pai e não com meu namorado, meu pai tem depressão mas ele nunca me julgou, só n me dava força tb. Eu passei muito tempo com depressão e tendo crise de ansiedade, sem ninguém para me entender na familia, nem fora pq eu sou muito na minha. Eu voltei depois de um tempo para morar com ela de novo pq eu era abandonada, até hoje (24)moro com ela mas n posso dizer que melhorou, eu tenho dificuldade em perdoar ela por isso e não confio nela para contar minhas coisas, pois quando eu fazia isso eu sempre era julgada e reprimida, eu tenho problemas de falas tb, mas consegui recuperar minha auto-estima e estou de partida próximo mês para bem longe pois quero recomeçar minha vida, tentar recuperar todo esse tempo perdido!
0 arrasou
Ariceli . 1 ano
Oi! Tenho uma filha q amo muito, tem apenas 9 anos,  ela nasceu com uns problemas de saúde e tem que fazer acompanhamentos médicos fisioterapias e rotinas em casa. Isso td é muito complicado pois gera constantes atritos.
0 arrasou
Bruna Cucato . 8 meses
Oi! Tenho 23 anos e minha mãe 48. Há pouco tempo meus pais se separaram e decidi morar com ela pra ver se desenvolvemos nossa relação que nunca foi das boas. Minha mãe teve uma infância muito difícil e eu meio que entendo os comportamentos dela. Mas é impossível estabelecer uma relação de confiança. Quando eu penso que tá tudo bem vira uma tempestade e acaba com todo o alicerce dessa relação que estávamos começando a melhorar... Não quero desistir, mas ultimamente tenho me desgastado muito emocionalmente... Trabalho de segunda a segunda e faço faculdade, então não sobra muito tempo pra ficar com ela. Às vezes eu percebo uma revolta em ficar sozinha, principalmente quando saio com meu noivo. Peço pra Deus me dar sabedoria em meio as discussões, não tem sido fácil. Paz a todas!
0 arrasou
Tha Santos 18 . 8 meses
Minha relação com minha mãe é péssima, as vezes ela é super de boa mas não me deixa respirar 1 segundo, tenho 16 anos e quero sair um pouco de casa pra andar, ou até mesmo passear com meu namorado mas ela não deixa, me deixa presa em casa, controla a vinda do meu namorado, 1 vez por semana, e quando ele vem ela só fica no nosso pé, querendo ver oq estamos fazendo e isso é chato, nunca temos privacidade alguma pra nada. Isso é horrível gente
0 arrasou
Lara.k . 6 meses
Gurias, li a resposta de todas e nunca me identifiquei tanto. Tenho 20 anos e passo pelos mesmos problemas de relacionamento que algumas de vocês citaram. Minha mãe não teve uma infância fácil, eu tento levar isso sempre em consideração, nós até já conversamos sobre isso e ela sempre da a mesma resposta " eu fui criada assim, tive uma mãe assim". Em alguns momentos a situação está tão pesada que até respirar fica difícil. Nós moramos juntas, eu faço faculdade e trabalho. Quando eu tiro um tempo para mim, que sejam 5 minutos do meu dia para respirar, ela fica "emburrada" comigo e coloca a culpa no meu namorado, que eu vejo uma vez por semana. Fala que eu não estou dando valor pro meu estudo, que eu só penso no meu namorado, que eu vou ser uma péssima profissional e às vezes apela para as chantagens emocionais. Não importa se eu passei o dia todo na frente de cadernos ou do computador fazendo projetos. Não importa se eu me esforço para deixar tudo em dia, nada é suficiente para ela. Eu já tentei conversar, mas não adianta, a certa da história é sempre ela. Tem algum tempo em que a maneira como ela fala comigo tem me afetado demais e eu não sei mais o que fazer, eu já tentei ignorar mas aquilo fica na mente, às vezes por dias. Eu me sinto culpada por falar esse tipo de coisa da minha própria mãe, só quero que tudo passe e que logo eu tenha condições suficientes para me manter sozinha e longe disso tudo.
0 arrasou
Joy0512 . 2 meses
Olá, eu e minha mãe não nos damos bem de jeito nenhum.
 Sabe, no passado dela ela não teve uma boa adolescência, e as vezes eu penso que ela quer descontar essa raiva e frustação em mim.
  Tenho 13 anos, e qualquer coisinha que eu faço, tipo perguntar algo como:
0 arrasou

Sua resposta AQUI

Que bom que vai responder!! Só lembrando que estamos aqui para realmente AJUDAR outras pessoas, então pense nisso! Obrigada! :)
relacionamentosexoautoestimabelezaestilotrabalhoentretenimento
Resposta atualizada
🙋 Editar resposta 🙅 Excluir resposta 👀 Ocultar resposta 👀 Republicar resposta 😠 Denunciar resposta 😠 Remover denúncia
...