O que você procura?

No último fim de semana, em uma dessas visitas ao Facebook, eu vi um texto que me deixou muito chocada. Foi uma postagem de uma mulher chamada Fernanda (por motivos óbvios, não vou expor o nome completo dela ou o perfil da rede social) que falou sobre um experimento social para um artigo: ela, mãe, usaria o Tinder para mostrar como é a relação dos homens com as mães solo.

No seu perfil, ela foi clara e objetiva: nome, idade (27), mãe, professora, militante, feminista. Falou um pouco de gostos e desgostos. Teve 83 matchs com homens entre 24 e 34 anos. Poderia ser normal, o tipo de coisa que acontece com qualquer uma de nós, não fosse pelo festival de coisas horríveis que ela precisou ouvir por ser parte do time das mães solo.

A postagem é de partir o coração porque mostra, na pele, como a mulher que é mãe e é solteira ainda é absurdamente julgada e sofre de uma solidão quase que imposta: o papel da mulher é ser mãe e só – ai dela se quiser ter um relacionamento afetivo ou procurar alguém para uma noite de diversão. É triste e de partir o coração ver que as  mulheres ainda são reduzidas a um papel – o de mãe – e que o seu caráter é medido pelo o que ela faz como mãe. ‘Mulher que tem filho não tem nada que procurar homem no Tinder’. Não à toa, tantas mães solo são solteiras convictas: não por opção, mas porque existe um estigma que diz que essas mulheres ‘não prestam’.

Usamos esse post da Fernanda, então, para mostrar as coisas horríveis que os homens falam para mães solo e, quem sabe, levar um pouco mais de conscientização para uma questão que afeta, sim, a vida emocional de um ser humano.

  1. “Já sei que não rola nada sério”

Uma das questões das mães solo é que os homens acreditam que, por elas serem mães, não existe a possibilidade de um relacionamento sério: afinal, a mulher é mãe, e não merece / tem tempo / é digna de um namoro estável. Ela tem mais o que fazer, afinal.

  1. “Coitada dessa criança que tem uma mãe puta que fica procurando macho”

A ideia de que a vida de uma mãe gira em torno do filho é normal, e é conhecido o fato de que essas mulheres são consideradas ‘putas’ se estão em busca de um amor – como se elas fossem obrigadas ao celibato depois que foram mães e não têm um marido.

  1. “Eu procuro uma namorada”

E mulher com filho não é ‘material digno’ de namoro? Se você é mãe solo, com certeza já ouviu que mulher com filho não rola namorar – e se rola, tem que ser escondido, não vale assumir para a família. É como se ainda vivêssemos no século 17 e ter um filho fora do casamento fosse motivo de vergonha para a comunidade inteira.

  1. “Foto com criança é pra chamar mulher”

Homem posta foto com criança nas redes sociais para atrais as mulheres – isso pode, ‘funciona’ bem, dá resultados. Para a mulher, no entanto, colocar uma foto com o filho ou uma criança é um sinal de problema. Se ela tem uma criança, o objetivo da imagem vai ser espantar os possíveis pretendentes e não o contrário.

  1. “Não se cuidou. Não tenho muito a ver com isso”

Os homens têm o costume de acreditar que eles não têm nenhuma responsabilidade na gravidez de uma mulher. Como se toda mulher tivesse a capacidade de se auto-engravidar depois de uma transa e eles não tivessem nada a ver com isso. Se a mulher não se cuidou, é culpa dela engravidar. Ele não. Ele nunca.

  1. “Se não casou, não vale muito”

Outro equivoco dos grandes: se uma mulher tem filho e não casou, é um sinal de que não vale nada. O casamento ainda é visto como uma instituição sagrada por muitas pessoas – ainda mais em um país católico como o Brasil. Porém, a realidade nos mostra duas coisas principais: 1) filho não segura casamento (o número de divórcios não nos deixa mentir) e 2) casamento não é sinônimo de felicidade. Nenhuma mulher (nenhuma pessoa, na verdade) deveria ser obrigada a casar para cumprir um protocolo social se isso não é seu desejo ou se isso não vai fazer você feliz. A liberdade de escolha está aí para isso.

  1. “Não precisa fingir ingenuidade”

Outra coisa absurda que as mães solo com certeza já ouviram: se elas têm um filho, não precisam ‘fingir ingenuidade’. Afinal, elas já abriram as pernas, né? Meio caminho andando, vamos pular a conversa de elevador e ir logo para os finalmentes. Só que não, né?

  1. “Ninguém leva a sério mulher com filho”

Isso, infelizmente, não é verdade só para o mundo dos relacionamentos. Mas também para o mundo corporativo. Mulheres que têm filhos levam até três anos após o nascimento da criança para conseguirem a recolocação profissional. É aquela ideia de que a única função da mulher é ser mãe e que o seu tempo não pode ser dividido com ‘outras coisas’ enquanto ela tem um filho para cuidar.

 

Ser mãe não significa que a mulher não tem direito a um relacionamento amoroso. Maternidade não define caráter e não pode ser vista como uma prisão para a mulher: mas, sim, como uma parta de vida. Prioridades à parte, todo mundo precisa de amor e essas mulheres não merecem ficar sozinhas só porque os homens acreditam que o fato de ela ter um filho jovem é uma condenação eterna. Tá na hora da gente mudar esse pensamento, você não acha?

Imagem: Erin Brockovich / Reprodução


@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤