Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Sabe quando você tem um novo projeto em mente e quer muito colocar em prática? Mas aí, quando você começa a pensar em como tirar isso do papel, bate aquele medo do fracasso? Nesse caso, você decide deixar o projeto de lado só para não arriscar e continua com a sua vida de todos os dias.

Todo mundo, em algum momento, já se viu frente a frente com o medo do fracasso: até por isso a síndrome do impostor é tão presente e tão comum no mundo de hoje. Eu conversei com a coach e especialista em planejamento estratégico Ligia Costa para entender um pouco melhor porque, vira e mexe, a gente se vê afundado nessa sensação e porque ela é tão ‘normal’ logo depois das primeiras semanas de um ano novo:

“Ano novo, vida nova é o que sonhamos, porém, passados alguns dias da euforia e logo a rotina chega. Em pouco tempo, percebemos que nada mudou, somos engolidos pelo dia a dia e nada de novo fizemos! Continuamos repetindo as mesmas manias, estamos na mesma casa, no mesmo trabalho, na mesma situação e aos poucos cai a nossa ficha de que estamos vivendo uma vida infeliz. Para isso, gosto de nomear e dizer para vocês que estamos no estado de ‘Normose’”, disse.

Esse estado de Normose foi definido por Siri Pren Baba no seu livro Propósito. A ideia desse termo é definir aquele estado em que parece que está tudo bem, é um estado de comodismo, em que aceitamos uma vida morna, sem nada de extraordinário e dias que se repetem sem fim só porque causam aquela noção de estabilidade. Então, topamos um trabalho que não gostamos, um casamento morno e algumas relações sociais por mês para definir a nossa vida como ‘boa’. Mas, no fim das contas, se olharmos com cuidado vamos ver que de ‘boa’ não tem nada.

A única forma de sair desse estado é, justamente, arriscando e indo atrás do que você sonha. E para isso é preciso superar o medo do fracasso. Ligia nos ajudou a montar cinco dicas para sair desse loop, olha só:

1.Não se confunda com os títulos

Ligia explica que, principalmente no trabalho, nos acostumamos com um título: o título corporativo, de namorada de alguém, de noiva de alguém, mãe de alguém. E, por conta disso, quando perdemos esse título, seja por causa de uma demissão, de uma separação inesperada ou qualquer outro motivo, a sensação é de luto. Parece que perdemos uma parte de quem somos. Mas é aí que vive o perigo. Você não é o seu trabalho ou o seu relacionamento. Você é uma pessoa completa por si só: “Tanto no trabalho quanto na vida a dois, nos sentimos fracassados quando o nosso poder pessoal é delegado ao outro. O segredo é mantermos as rédeas e controle das nossas escolhas baseada em valores, crenças e principalmente estar sempre relembrando o que é importante de verdade para você todos os dias”, diz a coach.

2.Tenha um único objetivo

Qual é a sua meta? O que faz o seu coração ficar em paz e você se sentir mais feliz e contente? Estabeleça uma única meta e todos os dias faça algo para alcançar essa meta. É uma questão de foco total atrás de algo que você quer de verdade. Se você quer perder peso, mas acha inúmeras justificativas para comer mal (é ansiosa, a TPM é forte, você não sabe cozinhar, etc), é óbvio que você vai se sentir fracassando se, depois de um tempo, não perder peso. Se essa é a sua meta, faça dela a sua prioridade e saiba que todo dia você vai precisar fazer uma escolha que, de fato, te leve para mais próximo desse objetivo.

3.Aprenda a lidar com o medo do fracasso

Parece não haver uma chave que acaba com todo o medo, então, o ideal é aprender a lidar com ele a cada momento em que ele aparece. O importante é não se deixar levar pelo sentimento. Entenda o que causou essa sensação, olhe para o que você pode aprender com a situação e vá em frente. A sua vida não é um fracasso porque uma coisa que você fez não saiu como esperava. Passe a trabalhar uma visão que prioriza os aprendizados ao invés da baixa autoestima. “Evite ficar remoendo a estória, criando fantasias, fazendo fofoca, falando disso o tempo todo e principalmente se colocando no papel de vítima. Errou, encare de frente, seja observador da própria estória“, diz Lígia.

4.Erre muito e erre rápido

A gente tem o costume de ver o erro como algo ruim, mas, na verdade, ele pode ser uma dádiva! O medo do fracasso aparece sempre que vemos o erro como algo que nos define, ao invés de olhar para ele como um indicativo do caminho. Erre muito, porque isso é um sinal de que você está tentando, e erre rápido porque, quanto mais você errar, identificar o que precisa ser adaptado e ir adiante, melhor! Mais próximo você vai estar da sua única meta. Adote uma postura de observador e encare cada obstáculo de frente. Não veja cada um deles como algo que você não pode superar.

5.Faça as pazes como que você chama de sucesso

A gente já falou isso por aqui, mas é muito importante você ter claro na sua mente o que você considera ‘sucesso’. Se você faz questão de sempre medir o que é sucesso a partir da fama ou conquistas do outro, é difícil se sentir realizada. Olhe para dentro e para o que você faria você feliz, o que você considera ser bem-sucedida. Depois, é uma questão de colocar a sua meta segundo essa noção de sucesso e partir daí.

 

O medo do fracasso é algo que faz parte do mundo. Por isso, ao invés de mudar o mundo, precisamos mudar o que pensamos sobre nós e o que sentimos, para, só aí, vermos as mudanças do lado de fora. Tire um momento para pensar com carinho no que você quer e no que você sente, e trace um plano de ação! Não se deixe afetar pela opinião dos outros – sempre vai ter alguém querendo te manter no lugar em que você está. É preciso coragem e resiliência para ser você mesma no mundo, mas a gente acredita que você é capaz!

Imagem: Pinterest

@ load more