Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Terminar um relacionamento, por si só, é complicado. Terminar um relacionamento abusivo, então, consegue ser ainda mais difícil. A gente bem sabe quais são os sinais indicativos de quando um relacionamento está saindo do âmbito do saudável, mas, ainda assim, pode ser que um dia você acorde e perceba que caiu em uma armadilha e, agora, não tem ideia de como sair.

Terminar um relacionamento abusivo não é algo que pode ser feito de uma hora para outra. Antes de mais nada, a sua segurança é sempre o mais importante, você precisa de um respaldo e precisa prestar mais atenção em você. “É preciso as pessoas identificarem isso antes de entrarem no relacionamento”, explica a nossa Super Profissional e psicóloga Camila Reis. “Quem entra em um relacionamento abusivo geralmente tem uma autoconfiança e autoestima muito baixa, e o perfil das pessoas que têm esse tipo de relacionamento é de pegar no ponto fraco da outra, diminuir, ofender, ao mesmo passo que elas supervalorizam. Fica essa contradição de ‘você é a melhor pessoa do mundo’ e ‘você é a pior pessoa do mundo’. E é nesse jogo que as pessoas ficam mais presas”.

Por isso, segundo Camila, existem alguns passos que precisam ser seguidos para conseguir sair de um relacionamento que mexe tanto com o que uma mulher pensa de si mesma.

1.Trabalhe a autoconfiança

“Essas mulheres precisam parar e se conhecer. Olhar o que ela quer da vida, que tipo de relação ela quer da vida, e trabalhar muito isso”, explica Camila. Ou seja, esse é um momento de reconhecimento: perceber que o relacionamento em que você está não é o ideal e buscar o que você espera de verdade de um namorado ou marido. “Ela precisa escolher quem ela quer ao lado. Não é ser escolhida”. Nesse ponto, a ajuda de um profissional é essencial para você se auto-descobrir, porém, o mais importante aqui é você reconhecer que algo precisa mudar.

2.Desista do medo de ficar sozinha

Camila explica que uma pessoa com baixa autoestima já tem uma propensão a ficar desesperada por um relacionamento – ela precisa confirmar que é amada por alguém – e, se o desespero fica ainda maior, ela se sujeita a qualquer tipo de relação só para não ficar sozinha. “Ela precisa entender que o relacionamento não é o centro na vida dela, que ela precisa ter outras coisas na vida também. O relacionamento é uma consequência”. O namoro ou a falta dele não pode ser centralizada em apenas uma pessoa e em um relacionamento romântico. É preciso equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, saúde física e mental.

3.Não acredite no mito da mudança

Existem vários níveis de relacionamento abusivo, mas, em qualquer um deles, não deixe que o outro afete a autoestima que você recuperou com mitos e lendas de que vai mudar totalmente. Claro, existem casos e casos, pessoas e pessoas, e a mudança é possível, dependendo do contexto e das mudanças que você mesma faz na sua vida. Porém, se você perceber que está se tornando mais confiante e o outro diz que vai mudar, mas mantém os mesmos padrões de comportamento, não seja flexível: Camila explica que essa é uma forma da outra pessoa manter o controle da situação. “Esses jogos psicológicos em relacionamentos abusivos são muito fortes, e a pessoa precisa observar qual é o padrão da pessoa com quem ela está”.

4.Não se venda pela supervalorização

É normal, na hora de terminar um relacionamento abusivo que o homem caia em um padrão de supervalorização. É aquele momento quando ele diz que você é a mulher da vida dele, que ele vai mudar, que ele te ama e tantas outras coisas. Porém, se o relacionamento, de fato, não for saudável, Camila explica que a melhor opção é se afastar completamente do outro. O ex com certeza vai tentar ligar, mandar mensagens e, possivelmente, aparecer na sua casa ou no seu trabalho, e cortar qualquer tipo de contato é uma forma de você evitar cair na lábia dele. Quando o assunto é o emocional, é difícil não sermos movidas por um ‘você é a mulher da minha vida’. Principalmente quando a nossa autoestima está tão fragilizada.

 

O seu fortalecimento como mulher e como pessoa, com certeza, é o primeiro passo para você conseguir terminar um relacionamento abusivo. Olhar para si mesma nunca é demais e é essencial para você saber exatamente o que busca para a sua vida. Trabalhar a sua estima e o que você pensa sobre si mesma é preciso para você aceitar que merece relacionamentos melhores e ser feliz, independentemente de qualquer coisa. “Bacana mesmo é ser feliz, estar com alguém que soma, que construa junto uma vida e não que mine ou diminua a mulher, porque isso não é uma relação saldável”, termina Camila.

No mais, não tenha medo, nunca, de pedir ajuda se for preciso e faça as coisas no seu tempo: encontre a confiança de que você pode sair dessa situação e vá atrás de quem tem força para te ajudar com isso.

Imagem: Unsplash

@ load more