O que você procura?

Ele dirigia o carro numa velocidade baixo. Era um desses carros antigos bem restaurados, pintado de preto. Ele segurava o volante com uma mão e passava a outra nos lábios.

Minha vontade era de beijá-lo, mas não o fiz, apenas me mantive quieta. No som do carro um blues tocava, que eu, honestamente, tomei como uma provocação. Afinal, quem paga bebidas para uma garota , coloca ela num carro e bota blues para tocar a toa?

Ele não disse para onde iríamos, mas eu sei muito bem pra onde é: para a casa dele.

O tempo todo eu me sentia ansiosa, nervosa, com o coração na mão. Minhas pernas se contorciam e cruzavam contra a minha própria vontade.

Eu tinha muito o que falar, mas não abria a boca.

Nos aproximamos de um prédio e ele estaciona na rua, subimos e quando chegamos em sua casa comecei beijando-o levemente nos lábios, cada pequeno toque meu em seu corpo estava o deixando enlouquecido, principalmente porque ele não podia ver, nem ouvir nada, muito menos se mexer.

Conto Erótico: Blues e sexo 5

Coloquei minha mão sobre seu peitoral e arranhei, junto com meus beijos.
Minha língua começou a descer de seus lábios para seu corpo rodo, junto com meus lábios, deixando marcas e chupões por onde passava.
Desci minhas mãos com calma e repousei sobre a ereção que estava a baixo de sua cueca, dei um apertão e o ouvi ofegar.

Era a minha vez de estar no controle, ele estava completamente desprovido de forças, principalmente por causa de nossa situação não era para menos, estava bem complicada. Insensível, eu? Talvez, mas ele já havia sido algumas vezes também. Subi meus beijos mordendo levemente o lóbulo de sua orelha, enquanto eu apertava dessa vez de uma forma mais lenta e torturante, seu membro rígido.

Conto Erótico: Blues e sexo 4

Pedro gemeu, e eu mordi meu lábio inferior ao ouvir aquilo. Meus lábios desceram sobre seu pescoço roçando meus lábios sobre sua nuca inalando seu perfume constante de Armani e Marlboro. Dei uma leve mordidinha no local seguido por um puxão em seus cabelos, Pedro gemeu ainda mais forte, e seus lábios se contorceram. Sentei no colo dele dando-lhe dessa vez um beijo mais forte, cheio de desejo.

Não sei como Pedro conseguia aguentar, se segurar. Eu sei que ele estava louco para soltar seus braços da echarpe, o que não seria difícil. E ele podia fazer isso a qualquer momento. Mas era nítido da sua parte era mais desejoso ficar ali, sendo “dominado”.  Claro que aquela cena não se assemelhava a nenhuma daquelas cenas de sadomasoquismo, afinal, eu estava vestida apenas com calcinha e sutiã, e não nenhuma roupa de látex.

Nossos corpos se colaram e eu pude sentir sua pele em contato com a minha, comecei a rebolar em cima dele, como forma de provocá-lo, colocá-lo no limite.

Seus braços começaram a se mover, mas o nó que eu havia feito era mais forte.

– Calma aí garanhão…- Eu disse, ele não ia suportar mais. Saí de cima dele e parti para um ataque mais direto, ajoelhei na sua frente e abaixei sua cueca boxer preta, seu membro saiu de dentro dela, então finalmente soltei as mãos de Pedro. Uma de suas mãos soltou a  venda em seus olhos, a outra puxou meus cabelos me fazendo olhar seu rosto de baixo para cima, ele se virou para mim me olhando com seus olhos azuis em êxtase.

Conto Erótico: Blues e sexo 2

– Estou sem paciência, permita-me? – Ele me pegou no colo, me pegando de surpresa e me colocando sobre a cama desgrenhada, Pedro pegou um preservativo de dentro da carteira que estava sobre a mesa de cabeceira. E jogou o ipod em algum canto do quarto. Fechei  os olhos enquanto sentia seu corpo subindo em cima do meu, e ele me penetrou.

Senti o movimento de vai e vem dentro de mim numa sincronia perfeita, complementada por uma série de carícias, seus lábios sedentos corriam pelo meu pescoço, suas mãos desciam para meus seios apertando-os, logo voltando para o seu o lugar habitual, minha cintura, me pressionando para mais e mais dentro dele.

Conto Erótico: Blues e sexo 3

Minhas unhas cravaram em suas costas como sinal de que estava há semanas sem cortar e elas estavam enormes, o esmalte vermelho estava descascando mas eu ainda tinha forças para deixar enormes marcas em suas costas.

Conto Erótico: Blues e sexo 1

Eu conseguia sentira a textura do seu corpo, seu corpo forte, e o suor do movimento que fazíamos.

Não estava aguentando, gemi seu nome alto. Seus lábios se aproximaram dos meus, nos beijamos enquanto um formigamento corria pelo meu corpo. E eu sempre queria mais e mais.

– Por isso você me beijou no primeiro dia. Você não queria perder tempo. – Pedro estava jogado na cama ao meu lado, eu consegui deixá-lo exausto.

– Sim. – ele respondeu completamente ofegante. Resolvi finalmente olhá-lo. Seu olhar demonstrava uma certa inocência. – Camila, você não acha que está se cansando demais para um dia só? – Respirei fundo sentindo seu corpo perfeito se deitando perto de mim, seu dedo indicador correndo sobre os traços de meu rosto, seu olhar fixo nos meus, me fazendo ficar completamente zonza, e de um certo modo…

Área especial sobre Orgasmo Feminino

Sabia que a gente tem uma área especial sobre Orgasmo Feminino com muitas dicas, técnicas, fotos e vídeos?

Veja uma prévia do que espera por você

Você ainda poderá participar do nosso grupo fechado no Facebook e tirar dúvidas com uma Sex Coach, além de falar sobre o assunto com outras mulheres!
Vamos nessa? 😉

Acessar o especial Orgasmo Sozinha

@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)