Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se tem uma coisa que vocês, leitoras do Superela, mais tem prestado atenção, essa é a importância de trabalhar a autoestima. Mais do que isso, em como é possível fazer isso de forma prática e muito presente no nosso dia a dia. Por isso, ficamos muito felizes em saber que o que vocês mais querem de nós é, justamente, dicas práticas para melhorar a autoestima.

Com essa ideia em mente (que vocês mesmas escolheram na nossa página no Facebook) conversamos com a nossa Super Profissional Jéssica Misikami, coach de paixão e propósito, para entender melhor quais dicas práticas para melhorar a autoestima podem ser aplicadas na nossa rotina.

Antes de mais nada, porém, vale entender exatamente o que é a autoestima e porque ela é mexe tanto com a gente: “Autoestima é aceitação de si mesma incondicionalmente, ou seja, se aceitar independente do que ela é ou não é, do que ela faz ou não faz, do que ela tem ou não tem. Então podemos identificar que uma mulher precisa trabalhar a autoestima, quando ela não se sente bem consigo mesma ou não se sente merecedora de ser, fazer ou ter mais. Como ela não se aceita, muitas vezes ela busca a aceitação dos outros, já que sente um grande medo da rejeição, do julgamento e da desaprovação”, diz ela.

Uma mulher que tem baixa autoestima, aliás, não precisa necessariamente não gostar da própria aparência. Isso aparece de diversas formas: você pode acreditar ser incrível no trabalho, alcançar todas as suas metas profissionais, mas ter uma vida amorosa péssima. Ou seja, o amor próprio pode se refletir em diversas áreas da sua vida.

Uma das primeiras dicas práticas para melhorar a autoestima, então, é reconhecer que o seu relacionamento consigo mesma não está bom e querer mudar essa situação. “A clareza é importante para identificar o que precisa ser mudado. Falo isso, pois algumas pessoas se recusam a enxergar ou assumir que a autoestima não está boa. Ela tenta a se enganar, o que só piora a situação, pois ela sofre mais ainda na tentativa de mostrar a si mesma e ao mundo que ela está bem, mas que lá dentro do coração não está”, explica Jéssica.

Se você já deu esse primeiro passo, agora é a hora de colocar prestar atenção em como você pode fazer mudanças no seu dia a dia.

4 dicas práticas para melhorar a autoestima

1.Aprecie-se

Anote aí o conselho da Jéssica: “Um exercício simples, mas extremamente poderoso, é listar tudo o que você aprecia em si mesma. Ou seja, tudo que você admira em si, seja aspecto físico, comportamento, conquistas que já teve, personalidade. Você deve listar e ler com muito carinho e atenção, absorvendo cada palavra”. Um complemento a isso é pedir que algumas pessoas próximas falem ou escrevam o que mais admiram em você, para que você comece a reparar e aceitar a visão dos outros sobre você. Mais do que isso, porém, é levar essas características e pensamentos para o seu a dia a dia, atentando-se àquelas falas autodepreciativas e pensamentos negativos sobre si mesma.

2.Mude a linguagem não verbal

Os nossos sentimentos influenciam a forma como nos comportamos, mas o contrário também é válido. Ou seja, a nossa postura, a forma como falamos e nos portamos durante o dia e as expressões que fazemos também afetam diretamente o que sentimos. Uma das dicas práticas para melhorar a autoestima, então, é manter sempre a postura reta, a cabeça erguida e um sorriso no rosto! Por mais que no começo isso pareça forçado, esse novo estilo de comunicação não verbal tem efeitos no que você sente e, aos poucos, você vai se sentir mais confiante.

3.Ame os outros

“Pode parecer contraditório aconselhar alguém com baixa autoestima, que teoricamente necessita receber amor, amar os outros. A questão é que quando você para de pensar somente em você e nos seus problemas e começa a amar os outros na medida certa (ou seja, sem se rebaixar ou se depreciar), você começa a emanar uma energia de que você tem tanto amor por você mesmo e que há amor de sobra para dar aos outros”, diz Jéssica. A energia é um bumerangue: tudo o que vai volta, então se você emana amor, é óbvio que ele vai voltar para você, independentemente da forma. “Muitas vezes a baixa autoestima existe por não nos sentirmos úteis e quando começamos a nos doar, vemos que somos alguém de valor que pode ajudar as outras pessoas, elevando assim a autoestima. Então você pode praticar esse exercício no seu dia a dia, com a sua família, colegas, pessoas com quem cruza no dia a dia e até mesmo fazer um trabalho voluntário”.

4.Cerque-se de pessoas positivas

Amizades tóxicas são muito mais comuns do que gostaríamos, por isso é tão importante nos cercarmos de pessoas que são positivas e nos apoiem e incentivem. Uma prática efetiva é sair de perto de pessoas que reclamam muito, fazem questão de te colocar para baixo e têm, elas mesmas, uma autoestima muito baixa. Isso não significa que você precisa largar de vez uma pessoa assim se ela for querida, mas pelo menos aprenda a dosar o tempo que você passa com ela e saiba quando a convivência está afetando o que você pensa de você. Pode ser que conforme você melhore a sua autoestima, essa pessoa naturalmente se afaste de você, ou perceba que ela também pode melhorar e fique ainda mais próxima!

Mantendo a autoestima lá no alto!

Muito bem, você colocou as dicas práticas para melhorar a autoestima em andamento e já está se sentindo mais confiante! Mas é preciso atenção, pois isso não significa que o seu estado emocional vai ficar assim para sempre. A sua autoestima pode voltar a baixar dependendo dos estímulos que ela recebe ao longo do tempo, como um trauma ou uma influência negativa.

“No caso do trauma, um exemplo seria uma mulher com autoestima alta nos relacionamentos até que ela é traída. Foi um acontecimento de forte impacto emocional que pode ter mudado os conceitos que ela tinha dela mesma como alguém merecedora de um bom parceiro e suficiente para um homem, mas que depois do ocorrido, podem ter sido alterados para ‘eu não mereço um bom parceiro e não sou suficiente para um homem’”, explica nossa Super Profissional.

Então, se esse status pode ser revertido, pelo menos um pouco, o que fazer para manter a sua autoestima elevada? É simples: prestar sempre atenção no que você está sentindo e ter em mãos as quatro dicas acima, não esquecendo de colocá-las para roda quando você sentir que a sua confiança está oscilando.

Fora isso, Jéssica dá o tom de como lidar com essas mudanças e encará-las de uma forma positiva: “Para manter sua autoestima elevada, a mulher deve entender que nunca será perfeita, ou seja, ela irá cometer erros em sua vida. E está tudo bem, pois a vida é feita de altos e baixos, de erros e acertos. O importante é a mulher buscar o autoconhecimento e desenvolvimento como ser humano, comemorando as vitórias com entusiasmo, se perdoando com amor e buscando compreender seus pensamentos e suas emoções.”

 

Imagem: Unsplash

@ load more