O que você procura?

Eu já escrevi dois textos para enfatizar a importância de aprender a ser feliz sozinha. Escrevi-os porque realmente acredito que depender de outras pessoas para conseguir sorrir é a receita perfeita para sofrer um bocado. Porém, sinto que preciso fazer um complemento: querer uma companhia que some e aumente seus momentos de conforto neste mundão áspero não pecado nem falta de amor próprio. Digo isso porque o “não dependa de ninguém” tem sido propagado de um jeito tão extremista que tem feito muita gente se sentir culpada por querer alguém para dividir o brownie, o tédio dos domingos e o medo da morte.

Uma coisa é querer alguém por achar que estar em uma relação é a única forma de ser feliz. Outra, bem diferente, é saber ser uma boa companhia para si mesmo e, ainda assim, desejar alguém que saiba agregar. Saca? Porque querer um parceiro que acrescente é algo perfeitamente normal, acredite! Mesmo ao ser que se ama exatamente como é, que não tem vergonha de ir ao cinema sozinho e que sabe rir dos próprios tropeços e confusões.

Como eu já disse diversas vezes, ser solteira e feliz é uma combinação mais do que possível. De verdade. Mas isso não significa que querer um namorado vai transformá-la em uma criminosa sem amor próprio. Também não é sintoma de carência crônica, não se preocupe. Porque mesmo se bastando em várias esferas da vida e sabendo explorar as fendas e quinas mais prazerosas do seu corpo, ainda é compreensível – e nada absurdo – sonhar com coisas que só são viáveis em dupla (ou trio, por que não?).

amor próprio 1

A grande verdade é: por mais independente que sejamos, é natural que sintamos vontade de ter alguém para conversar até o garçom, com cara de “só quero ir pra casa”, avisar: “Estamos fechando. Vão querer mais alguma coisa?”. É mais do que compreensível querer encontrar alguém que nos observa com nítido interesse até mesmo nos dias em que não nos achamos tão interessantes assim – é também normal ter dias desse tipo, sério!

Não há porque sentir culpa por almejar um complemento àquilo que você, ano após ano, vem regando e vendo florescer. Você é totalmente capaz de passar um mês na Tailândia sozinha, e sabe disso. Então, por que se sentir mal por sonhar em encontrar um parceiro (que é bem diferente de um tapa-buracos, vale ressaltar) para fazer aqueles passeios bregas, românticos e deliciosos em Veneza? Você, quando sente vontade de comer um Temaki de madrugada, pega o carro e vai, não é mesmo? Então, por que se sente culpada quando tem vontade de ter um parça para explorar os restaurantes da sua cidade e, numa calçada da vida qualquer, sujar o nariz de purê de dogão com você?

Querer companhia não é falta de amor próprio

Querer alguém que nos embriague de paixão é normal, não torna pessoas menos independentes nem inseguras. E o motivo é simples: a paixão é deliciosa. Querer alguém para compartilhar as dores e alegrias desta existência é normal, não é falta de amor próprio. O problema, a meu ver, é aceitar a primeiro lixo que aparecer por não suportar a própria companhia.

Imagem: Pinterest


@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Qual tema você gostaria de ver aqui?
A gente escreve sobre o que você quiser e ainda manda no seu email :)
Obrigada!
Recebemos sua sugestão.

Hey, você já conhece o Clube Superela? Lá você pode perguntar o que tem vontade anonimamente :)