Receba nossos e-mails incríveis
NOVO App Clube Superela!! ♥
Pergunte e converse anonimamente
Amor Sexo Autoestima Corpo Vida Carreira & Finanças Beleza Estilo Vídeos
Escreva seu texto
Receba nossos e-mails incríveis

Leia temas do seu interesse:

/ /

Por que só acreditamos no machismo no trabalho quando um homem fala?

Marcela De Mingo

Colunista Superela

Mais textos

A gente nunca acha que homens e mulheres são tratados de maneiras diferentes ou que o machismo no trabalho é real, até que a coisa acontece bem na nossa cara e fica difícil negar que algo pode acontecer assim, tão descaradamente. Foi o caso de um blogueiro que viralizou na última semana, que provou que as mulheres são tratadas com muito menos confiança no trabalho do que o gênero oposto.

Em uma série de tweets, Martin R. Schneider contou sobre a vez que ele e sua colega de trabalho, Nicole, trocaram os nomes dos seus e-mails para ver o que aconteceria – e provou a existência do machismo no trabalho. Tudo começou quando Michael percebeu que um cliente estava sendo particularmente difícil e condescendente, até que ele entendeu que estava assinando os e-mails com o nome da colega, já que os dois compartilhavam a caixa de entrada na época.

O cliente em questão mudou completamente o seu comportamento quando percebeu que estava falando com um homem, mas Martin quis comprovar esse tipo de machismo no trabalho mais uma vez. Ele e Nicole passaram duas semanas assinando e-mails com o nome um do outro, e enquanto a mulher estava indo super bem com as metas, Martin teve muitos problemas em conversar e acertar acordos para a empresa. “Foi um inferno”, disse ele no Twitter.

O problema do machismo no trabalho e o reconhecimento masculino

Com a experiência. Martin percebeu que as críticas que o chefe do seu setor tinha com Nicole tinham um fundamento: ela levava mais tempo para acertar acordos com clientes porque eles não a respeitavam como deveriam e isso atrapalhava o seu rendimento. Contando a história em uma série de tweets, a história de Martin viralizou, mas com um problema: ele tem sido o foco principal da história.

Martin, um homem branco, sentiu na pele o que o preconceito que as mulheres passam diariamente, e a sua experiência é muito válida. Ele entendeu o que é ser mulher no mundo profissional e sofrer com o machismo no trabalho – ainda que a história tenha acontecido há alguns anos. Porém, a questão é que ele se tornou um ‘herói’.

O maior problema com toda a cultura do estupro é que a sociedade no geral não acredita que ela exista até que um homem confirme que é real. E isso, por si só, é uma forma de reiterar o ambiente machista em que vivemos.

O caso de Nicole só ganhou toda essa repercussão porque foi contada por um homem e Martin acabou se tornando um exemplo. Ele precisou experimentar e falar sobre uma coisa para que isso ganhasse destaque na mídia, para que as pessoas dessem ouvidos para o que estava acontecendo.

Por isso mulheres não falam sobre assédio

Um dos maiores problemas de casos de assédio é que as mulheres têm medo de falar sobre o que aconteceu – sobre casos de estupro ou então de assédio no local de trabalho. E isso tem muito a ver com o fato de que os homens não acreditam nas mulheres quando elas falam sobre esse assunto.

É uma cultura tão grande de homens ignorando ou fazendo vista grossa para casos desse tipo, isentando homens da culpa e culpando mulheres por algo que aconteceu com elas que é melhor não falar sobre o assunto do que ser tachada de mentirosa ou qualquer outra coisa que diminua o seu caráter.

O assédio existe. O machismo no trabalho existe também. Isso é um fato. Agora é uma questão de todos – homens e mulheres – trabalharem para acabar com essa diferença e criarem uma sociedade mais igualitária. Mais do que isso, é uma questão de dar às mulheres o respeito e a tenção que elas merecem ou que, no mínimo, seja igual à atenção e ao respeito que os homens recebem todos os dias.

Imagem: Reprodução

Marcela De Mingo

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/ /

Leia temas do seu interesse:

/ /

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Um email por semana só com o melhor conteúdo do Superela
Você vai adorar ❤
Obrigada!

Recebemos seu pedido de cadastro e enviamos a você um email com o link para você confirmar o recebimento dos nossos emails.

Por favor, acesse seu email e click no link de confirmação.


Click aqui para voltar ao site.
Não perca mais nenhuma novidade!
PGlmcmFtZSBzcmM9Imh0dHBzOi8vd3d3LmZhY2Vib29rLmNvbS9wbHVnaW5zL3BhZ2UucGhwP2hyZWY9aHR0cHMlM0ElMkYlMkZ3d3cuZmFjZWJvb2suY29tJTJGU3VwZXJlbGFPZmljaWFsJTJGJnRhYnMmd2lkdGg9NTIwJmhlaWdodD0yMjAmc21hbGxfaGVhZGVyPWZhbHNlJmFkYXB0X2NvbnRhaW5lcl93aWR0aD10cnVlJmhpZGVfY292ZXI9ZmFsc2Umc2hvd19mYWNlcGlsZT10cnVlJmFwcElkPTE3MTExNDI3NjM4MDkzNiIgd2lkdGg9IjUyMCIgaGVpZ2h0PSIyMjAiIHN0eWxlPSJib3JkZXI6bm9uZTtvdmVyZmxvdzpoaWRkZW4iIHNjcm9sbGluZz0ibm8iIGZyYW1lYm9yZGVyPSIwIiBhbGxvd1RyYW5zcGFyZW5jeT0idHJ1ZSI+PC9pZnJhbWU+
Curta o Superela no Facebook ❤
teste
teste
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Obrigada!

Seu nome e email foram enviados com sucesso.

Desejamos boa sorte!


Click aqui para voltar ao site.