Receba nossos e-mails incríveis
Amor Sexo Autoestima Corpo Vida Carreira & Finanças Beleza Estilo Vídeos
Escreva seu texto

Leia temas do seu interesse:

/ / /

5 mudanças drásticas e valiosas que melhoraram o meu ano

Alícia Madrid

Colunista Superela

Mais textos

Para mim, 2016 foi um ano não só de transformações mundiais, mas internas também. Meu ano termina totalmente diferente do que começou e, mesmo com todas as reviravoltas, sei que ainda tenho muito a mudar, mesmo que sejam mudanças drásticas. O importante é não interromper o fluxo.

As medidas que adotei abaixo são muito particulares. Talvez você se identifique com algumas delas e tope incorporar também na sua vida. Eu tenho plena consciência de que, em alguns momentos, aderir tais mudanças foi um pouco mais leve para mim por questões até físicas: por exemplo, é mais fácil mudar a sua relação com seu corpo quando você já se encaixa em um padrão aceito pela sociedade.

Por isso, mantenho minhas convicções, mas respeito qualquer estilo de vida, e se por acaso algo que eu disser te atingir de forma positiva, mesmo que seja só para mostrar outro ponto de vista, já estamos crescendo juntas!

5 mudanças drásticas que melhoraram o meu ano:

1. Diminuir o consumo de carne

Várias razões me levaram a reduzir o consumo de carne este ano. Neste site há uma lista de motivos pelos quais o superconsumo de carne faz mal a todos os âmbitos do planeta. Muitas pessoas vêm aderindo ao “segunda sem carne” como um começo. No geral, o que fiz foi uma inversão: se tivesse vontade, escolhia UM dia da semana para comer carne e evitava nos seis demais.

Não consegui me tornar vegetariana este ano, mas as mudanças que adotei foram as seguintes:

  • comer a menor quantidade de carne possível,
  • não comer carne dentro de casa,
  • dar preferência às carnes brancas, e
  • se houver, escolher a opção vegetariana

mudanças drásticas - não comer carne

Resultados:

Primeiramente, me dei conta de como nossa cultura é apegada à carne, praticamente 90% dos pratos que comemos têm carne. Embora existam cada vez mais restaurantes vegetarianos, é muito difícil ir a um lugar à la carte e encontrar opções sem carne.

As pessoas vão tentar argumentar e questionar o fato de você não comer carne, dizer que é uma mudança drástica e errada: eu já tinha visto alguns amigos vegetarianos reclamando do quanto têm que se explicar o tempo todo porque algumas pessoas simplesmente não aceitam que você não quer comer carne. Tem gente que não curte batata-frita, tem gente que não curte pizza e tem gente que não curte carne. Let people be!

Aprendi muito mais sobre as coisas que como: na verdade este foi um pensamento que busquei amplificar bastante este ano, estar mais consciente a respeito de tudo que consumo. Neste caso, isso quer dizer que ao evitar carne, busquei aprender mais sobre alimentação e nutrição para melhorar meus hábitos alimentares.

Testei várias receitas diferentes: gosto bastante de cozinhar e fazer receitas vegetarianas não foi sacrifício nenhum, muito pelo contrário, é incrível como a gente pode trocar os alimentos e cozinhar pratos igualmente saborosos.

mudanças drásticas - vegetariano

Refleti sobre a nossa relação com a comida: reduzir o consumo de carne me fez pensar bastante sobre como usamos a comida como uma fonte de prazer constante. Assim como comprar bens materiais, muitas vezes, recorremos à gula para remediar nossos problemas internos, para nos sentirmos socialmente mais valorizados, para darmos vazão à ansiedade… Comer é maravilhoso, mas não ponderar a respeito do que comemos pode ser também uma forma de negligência com algo que precisamos tratar dentro de nós.

2. No-poo e low-poo

Vi aumentar muito o números de mulheres que adotam o No-poo e o Low-poo. Se você quer saber como funciona, clica aqui. 🙂

Tomar a decisão de aderir a este método de lavagem foi uma ótima oportunidade de pesquisa. Aprendi muito sobre a indústria de cosméticos e sobre as milhares de substâncias que colocamos em nossos corpos sem questionarmos sobre o que elas podem fazer à nossa saúde. Abrir mão de alguns produtos podem ser uma mudança drástica, mas funciona, vai por mim!

O próximo passo foi encontrar produtos permitidos. Há muita informação legal na internet, tanto em blogs, como no Youtube. O que eu fiz foi salvar a lista de produtos no celular e ir vasculhando as perfumarias, mesmo para comparar preços e ler as embalagens. Em cidade maiores é mais fácil encontrar opções Low e No-Poo, mas acredito que com o crescimento deste mercado, logo as cidades menores também terão mais variedade.

Além disso, me desapeguei dos tratamentos que fazia para alisar o cabelo, outra mudança drástica para alguns. Ainda vai demorar um tempo para que a transição capilar se conclua, mas, sinceramente, sou mais feliz agora, depois que parei de me importar tanto em ter um cabelo perfeito. Nem lembro da última vez que usei minha chapinha.

3. Menos sutiãs e mais tops

Sempre odiei sutiã. Acho apertado, desconfortável. Alguns são muito bonitos, mas eu os vejo como os sapatos de salto alto: uso ocasionalmente, quando sinto vontade.

Na verdade, esta foi uma mudança que aconteceu quase que naturalmente: quando eu percebi, os sutiãs da minha gaveta haviam praticamente desaparecido. Os que restaram, são simples, sem aros metálicos ou aquelas almofadinhas de enchimento.

mudanças drásticas - deixar de usar sutiã

A questão é que a sociedade ainda não está pronta para receber peitos livres. Vide as polêmicas que ainda existem a respeito de amamentação em locais públicos. Então, eu, que já costumava usar tops de ginástica para fazer exercícios, passei a usá-los também no dia-a-dia. Me sinto muito mais segura e flexível. Bojo, então? Nunca mais. Uma mudança drástica para mim e para a sociedade.

4. Comprar do pequeno produtor

Esta corrente de pensamento também foi algo que vi muitas pessoas apoiarem em 2016 e causou mudanças drásticas na vida de muita gente. Ela tem como fundamento a premissa de que toda vez que compramos produtos de grandes marcas, estamos ajudando pessoas ricas a ficarem mais ricas, enquanto o pequeno empreendedor têm cada vez mais dificuldade de crescer no mercado e prosperar, devido à desvantagem competitiva com essas empresas.

>Por isso, se puder escolher entre eles, dou preferência ao microempresário. Acredito que não precisamos ser radicais, só mais conscientes. Custa tão pouco e faz muita diferença para quem está batalhando no mundo dos negócios.

mudanças drásticas - comprar do pequeno produtor

5. Precisar de uma agenda

Só quero esclarecer que precisar de uma agenda não é necessariamente saber usar uma agenda. Eu mesma tive que estudar vários métodos de organização até encontrar um que funcione para mim.

Precisar de uma agenda é se certificar de que você está plena realização de várias atividades e sente a necessidade de organizá-las. Esse é o ponto, precisar de uma agenda significa que sua vida está em movimento. Pessoas estagnadas não precisam de agendas, zonas de conforto não precisam de agendas.

mudanças drásticas - agenda

Mudanças drásticas podem melhorar sua vida!

Não quero dizer que você tem que estar o tempo todo rodeado de compromissos e desenvolvendo mil projetos, se sobrecarregando.  Mas sim, sempre buscando realizar sonhos, objetivos. Pense um pouco, o que você poderia estar fazendo para ter uma vida mais feliz? E quais são as ferramentas para isso? Cursos? Viagens? Espiritualização? Precise de uma agenda para definir quais são os meios que vão te levar aos fins que você tanto deseja? Algumas mudanças drásticas – ou nem tanto – são essenciais pra que a gente cresça na vida. Pra mim, tem sido!  🙂

Imagem: Pinterest

Alícia Madrid

Colunista Superela

Mais textos

Leia temas do seu interesse:

/ / /

Leia temas do seu interesse:

/ / /

E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!