Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Nós dois merecíamos a noite que tivemos. Era para ter sido só mais um encontro casual, em que eu não tinha intensão de ser amada. Era pra ser só mais uma noite em um restaurante com um cara querendo me impressionar para me levar pra cama. Era para ter sido só mais uns goles pensando no que eu tinha na cabeça quando aceitei sair com mais um que beija bem e só isso (leia mais aqui). Mas você mudou o roteiro e deixou tudo mais interessante. Não me tratou como uma boneca de porcelana, nem disse aquela meia dúzia de frases prontas que vocês estão cansados de repetir e eu de ouvir – alguém ainda acredita naquelas coisas?!

Não, você não falou sobre o quanto é importante em seu trabalho, sobre seu carro que custa sei lá quanto ou sobre a viagem para fora do país. Não fez qualquer tipo de promessa ou projeção de que era um santo que eu não poderia perder. Em primeiro lugar, você não chegou me dizendo o quanto sou linda sem nem ao menos ter me olhado direito, mas eu me senti assim ao ser bem medida da cabeça aos pés.

Com uma trilha sonora nem um pouco conhecida por mim, o fundo musical era sereno e não me indicava qualquer pretensão. Ao invés disso, sua voz passou o caminho todo exercendo a função de realmente me conhecer. Perguntou sobre tudo: meu trabalho, estudos, hobbies, sobre minhas experiências… Não teve medo de falar sobre meus pais e irmãs, sobre quantos relacionamentos tive e o que esperava de homens.

Fui pega de surpresa ao deixar um dossiê sobre mim e me divertir com suas observações pertinentes.  Ao chegar ao local, vi que era um lugar em que ia frequentemente porque cumprimentou uma meia dúzia de pessoas, entre eles o dono e dois garçons. Você me deixou tão à vontade, parecia mesmo que já nos conhecíamos. Me contou sobre seus dotes culinários e não se surpreendeu pela falta dos meus, entendeu que eu não gostava de cerveja e não estava fazendo charme, que poderia ganhar facilmente nas rodadas de tequila, mas que perderia se fosse Chopp.

Nós tivemos uma noite de trocas reais e eu adorei ouvir suas histórias de criança, de que sofreu quando terminou o primeiro namoro e das malucas que encontrou no meio do caminho. Sim, eu ri muito da que fez dancinha na cama e te deixou na mão quando dormiu, da que te perseguiu até você terminar o namoro e do quanto ficou traumatizado achando que acharia o telefone cheio de mensagens e ligações não atendidas durante um mês.

 ser amada

Você também riu das minhas peripécias, do cara que me levou ao cinema e me frustrou ao realmente ver o filme, do que me tirou para dançar sem saber dar um único passo e do quanto meus pés ficaram doendo depois disso – tenho certeza que irá para o inferno por rir da minha falta de jeito com homens. Voltando, eu realmente gostei da nossa parada no meio do caminho para observar a paisagem em um ponto estratégico e foi ai que eu descobri que a noite só tinha começado.

Já meio embriagada dos copos de caipirinhas, eu não tenho certeza se suas observações eram mesmo tão engraçadas quanto me pareciam no momento, mas o beijo, aquele sim, não tinha dúvidas, era de quem estava me desejando muito. E foi ali mesmo no carro: começou entre sorrisos e pausas para alguns comentários, mas logo as bocas já não se desgrudavam, a suas mãos mediram todo meu corpo até puxa-lo para o seu, me amando por inteiro. Tira o vestido, a calça, a respiração ofegante e seu olhar impetuoso. Afasta o banco, barulho de buzina nos denunciando no meio da madrugada para nos fazer cair na risada… “Não se preocupe, não tem ninguém aqui.”.

Você não teve medo de me ensinar e de me satisfazer. A lingerie foi tirada com um sentimento de ardor e descoberta, as minhas mãos passaram em seu peito, subindo para o pescoço e lhe puxando para mais beijos, enquanto que a suas puxavam minhas costas e desciam até a bunda para impulsionar ainda mais o desejo. Como foi gostoso fazer amor e ser amada ali mesmo diante de um olhar que me encorajava a explorar tudo e a senti-lo sem qualquer preconceito. Foi rápido, intenso e voraz. Alguns minutos depois e eu estava de volta ao banco do carona, sem folego, me recompondo. Você me passou o vestido e a calcinha, enquanto recuperava a cueca e a calça entre os pedais do carro.

Para minha surpresa, você me levou a um hotel próximo, pegou um quarto e, enquanto a moça preenchia nossos dados no computador, cochichou algumas safadezas em meu ouvido para me fazer rir e depois me beijar ternamente. Quem observasse, juraria que éramos um casal apaixonado abraçados que acabavam de chegar de uma viagem cansativa, mas foi só fechar a porta do quarto para sairmos esbarrando em tudo até parar em uma mesinha.

Você me virou de costas, retirou meu cabelo e começou a me torturar no pescoço, a minha bunda encaixada no seu quadril sentia seu desejo aumentando de novo. Não sei com qual paciência abriu o fecho do meu vestido, eu mesma estava querendo arrancar tudo logo. Me virou de novo para me ver descer e retirar sua calça, a cueca e começar ali mesmo a lhe dar prazer. Ajoelhada, olhava para sua cara que denunciava tudo. Quando eu subi, você apenas puxou minhas pernas ao redor de si, para me levar a cama logo atrás. Tenho certeza que os outros quartos puderam ouvir tudo… Onde é que você estava mesmo até hoje?!

Confesso que gostava da nossa grande diferença de idade, sua experiência me deixava segura, não parecia ter nada a esconder ou perder, nem um trauma para se curar, estava inteiro ali para mim. Você me mostrou como ser amada! Ao me deixar em casa, me despedi sem esperar qualquer mensagem de “bom dia” na manhã seguinte e assim foi… Mas você encontrou tempo para encontros semanais, conversas despretensiosas no bar e noites e mais noites iguais aquela.

Sem rótulos, cobranças. Não teve medo de me apresentar aos amigos, de me levar as festas do trabalho, de começar a frequentar a minha casa e os almoços de domingo com meus pais, de ir as festas de faculdade e baladas para me roubar muito antes do fim da noite e me ter toda sua. Obrigada por saber que eu não sou santa, nem puta, apenas uma mulher realmente satisfeita com quem lhe acompanha, que é respeitada e amada na mesma medida.

Imagem: Pinterest


@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Qual conteúdo você gostaria de ver no Superela?
A gente escreve sobre o que você quiser e ainda manda no seu email :)
Obrigada!
Recebemos sua sugestão.

Hey, você já conhece o Clube Superela? Lá você pode perguntar o que tem vontade anonimamente :)