Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Eu acredito fielmente que as amizades femininas são as relações mais empoderadoras que já existiram na face da terra. O problema é que nem sempre fui assim. Na escola, apesar de ter muitas amigas, acabei me aproximando dos meninos porque acreditava que eles tinham uma relação mais fácil, sem “picuinhas”. Na época, isso até poderia ser verdade, já que nós éramos crianças. Desde pequenas, as meninas são estimuladas a competir umas contra as outras e, mesmo sem querer, acabamos reproduzindo este comportamento. Por isso, acabei me tornando a única Luluzinha no clube do Bolinha.

No começo, eu adorava essa posição. Acreditava nas narrativas do “você não é como as outras” e me sentia valorizada por pertencer àquele grupo. Pena que não é bem assim. Quando entrei em contato com o feminismo, percebi que eu não fazia parte da irmandade. É claro que os meus amigos gostam de mim, e o problema não é especificamente com eles. A verdade, é que eu não podia esperar muito de um grupo de praticamente 10 homens lidando com os problemas de uma menina. Tem coisas que eles simplesmente não vão entender.

Por mais empatia que um homem possa ter, e eu não estou aqui para duvidar dessa capacidade, ele nunca vai sentir na pele o que uma mulher sente. Tem certos perrengues e alegrias, como a gravidez que é um combo dos dois, que só um amiga vai saber como te ajudar. A cumplicidade das amizades femininas é algo que homem nenhum vai poder te dar.

Como fazer mais amizades femininas?

Acima de tudo, eu percebia que as minhas inseguranças me impediam de fazer amigas. Por isso, meu primeiro passo foi parar de me comparar a outras mulheres e focar no que tenho de bom. A comparação nunca acaba bem. Você pode acabar humilhando uma amiga por se sentir melhor do que ela, ou o contrário, se sentir humilhada por ela. Lembre-se sempre que são as nossas diferenças que nos complementam.

amizades femininas

“A beleza de outra mulher não significa a falta da sua”

Depois de um tempo meio perdida, encontrei o que eu queria do jeito mais improvável de todos: na internet. Foi lá que eu aprendi mais sobre moda, beleza e feminismo. Em um grupo cheio de sororidade, fiz as amizades femininas que tanto queria e hoje não me imagino sem elas. Apesar de cada uma ter seu jeitinho especial, no nosso grupo tem espaço para todo mundo brilhar! Ser uma boa amiga significa que às vezes você tem que dar um passo atrás e dividir o holofote com as suas bffs. E não porque você precisa fazer isso, mas porque você se orgulha tanto dela que quer que o mundo veja o quão maravilhosa ela é.

Não vou mentir e dizer que tudo são flores, porque nós temos grandes personalidades e muitas vezes acabamos discordando. Mas passar por cima disso é o que acontece quando você gosta de verdade de uma pessoa. Quando uma coisa quebra, a melhor maneira é consertar, não jogar fora, certo? E você nem sempre precisa concordar com as suas amigas, apenas respeitar suas decisões.

Hoje eu parei de cancelar os planos e diminuí os ciúmes. Também passei a escutar mais as minhas amigas e dar mais atenção aos seus problemas, por menores que sejam. Aprendi a filtrar as relações tóxicas, tanto de homens quanto mulheres, e estou me reconectando com amizades antigas. Com a pouca maturidade que tenho, concluí que nem sempre as pessoas vão estar ao nosso lado, mas isso não diminui o carinho e o afeto.

Imagens: Pinterest

@ load more