O que você procura?

Eu precisei ir embora, não por vontade, orgulho ou capricho, mas porque já não me cabia mais ficar onde não havia nada além de egoísmo e comodismo. Não me cabia mais ficar onde já não existia amor, principalmente o amor próprio. Não me cabia mais ficar em um lugar em que alguém precisa o tempo todo se diminuir para ser aceito.

Muitos foram os que me criticaram pela minha “repentina” partida – e poucos os que perceberam que eu já estava partindo há muito tempo, que eu estava partindo aos poucos. Poucos foram os que entenderam que eu estava com o coração quebrado e que precisava ir embora para juntar os pedaços e reconstruir tudo de novo. Tive que aprender da maneira mais difícil o que é o amor: pela falta dele.

Porque quando existe amor, o outro quer te ver feliz e realizada, ele vai amar a sua autoconfiança, vai amar te ver sorrindo numa roda de amigos e não sentir ciúmes. Vai amar a sua sensibilidade, o fato de você não esconder o que sente, de não esconder suas fraquezas e opiniões. Quando existe amor, o outro luta ao seu lado, com você, e não contra você. Quando existe amor o outro fica feliz por ver suas conquistas, ele vai amar cada detalhe que te faça sorrir, vai sentir orgulho em ouvir alguém reconhecer o seu talento, e não ciúmes. Quando existe amor o outro ama. Quando existe amor você se ama.

Quando existe amor você não precisa se diminuir

Ter que se diminuir e se limitar para caber no mundo de alguém não é um ato de amor. Na verdade, é a falta dele, é falta de amor próprio. Pensar só no que faz o outro feliz, se anular por conta da insegurança alheia, é uma baita falta de consideração consigo mesma. E toda essa insistência no que nos faz sofrer, é a desistência de quem a gente é, é desistir da nossa própria felicidade, é anular a nossa essência. E quando a gente desiste do outro, há solução, há recomeço, mas, quando desistimos de nós mesmos aí é mais difícil.

você não precisa de se diminuir

Desistir de alguém que amamos por já não nos trazer felicidade é um ato de coragem. E hoje eu sei que fui muito corajosa e madura. Ir embora me trouxe uma paz sem igual, fez com que eu me sentisse eu mesma de novo, mas, também me trouxe muitos momentos de tristeza, mudou completamente os meus planos, e fez com que eu me sentisse perdida. Doeu, eu senti raiva do mundo, foi como se já não existisse futuro.

Só aos poucos foi que eu pude perceber que me sentir daquela forma era culpa minha, pois eu havia construído o meu mundo, meus planos e expectativas de um futuro em cima de um ser humano que é falho, assim como eu. A lição que fica disso tudo é que nós nunca devemos deixar nossa felicidade depender de algo que possamos perder, porque quando perdemos, aí realmente não sobra nada.

Contudo, descobri que existem coisas boas na dor, acredite, e a melhor parte é ver que ela não te matou, é ver que o seu sorriso continua radiante, que ainda existe brilho nos seus olhos, é ver que seus sonhos continuam movendo a sua vida e dando sentido a sua existência. A melhor parte da dor é quando ela vai embora, e te deixa todo aquele aprendizado, é ver que você superou seus piores medos, superou todos aqueles obstáculos, e ao final, tudo isso virou uma grande lição pra você e para os outros ao seu redor.

Parar de se diminuir vai ter ajudar a ser uma pessoa melhor

A ironia disso tudo é que eu precisei me perder para me achar, descobri quem eu era sem o outro. Fiz novos planos, tracei novas metas, pude ser eu mesma – e confesso que ser eu mesma tem me preenchido de uma forma incrível. Eu já não sinto que preciso de alguém pra me sentir completa, pois já me sinto completa, não sinto que me falta nada. Isso é algo muito novo pra mim, não sinto aquela necessidade em amar alguém.

Até porque, amar a mim mesma, me redescobrir, me reinventar e recomeçar tem me tomado muito tempo. Já não tenho pressa, nem medo do futuro, acredito fortemente que tudo na vida tem um tempo certo pra acontecer. Viver o que estou vivendo agora está me fazendo amadurecer muito, está me preparando para novas coisas, novas pessoas, para meu novo eu.

você não precisa de diminuir

Eu sei que muitas pessoas preferem continuar sofrendo por medo de arriscar, por medo do novo, e ter medo da mudança é algo natural do ser humano, mas, uma coisa é certa: existe muita coisa para descobrir fora da sua zona de conforto e permanecer nela é muito mais perigoso do que você imagina. Além disso, se diminuir não te leva a lugar algum!

Se aceite!

Não fique se não houver razão para ficar, seja você mesma o amor da sua vida, se ame tanto a ponto de não aceitar migalhas, recomece quantas vezes for preciso, coloca aquela música que você ama, saia pra dançar. Descubra o que você gosta de fazer sozinha e seja você mesma. Depois de tudo isso, você vai ver que a ideia de mudar já não será tão assustadora assim e que você não precisa se diminuir por causa dos outros. As coisas mais maravilhosas que a gente procura estão dentro da gente. E quando a gente descobre isso, como eu descobri, aí sente que não falta mais nada.

Imagem: Pinterest


@ load more
E-mails especiais
Faça parte da comunidade de mulheres mais empoderadas do mundo!
Escolha os temas que mais gosta
Quero!
Obrigada, agora falta pouco...
Por favor, fique de olho em sua caixa de entrada (às vezes, pode acontecer do email estar no SPAM ou na aba Promoção caso use GMail). Quando receber nosso email é só clicar no link de confirmação ;)
Enviaremos nos próximos minutos um email para você confirmar o recebimento de nossos conteúdos.
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤