Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Existe somente um tipo de feminismo? Não! Dizer que ele é um movimento único, sem vertentes, é um pouquinho equivocado. Assim como em qualquer outra luta, as feministas também concordam com certos pontos, e discordam de outros. Dessa maneira, algumas repartições foram criadas para que as mulheres pudessem escolher, inclusive, que tipo de luta elas se identificavam mais.

Bem, sem mais lenga lenga, né? E aí? Qual é o seu tipo de feminismo? E outra: se quiser saber mais sobre os outros tipos de feminismo, é só descer mais um pouquinho aqui no texto e dar uma lidinha sobre eles!

Quer mais testes Superela? É só clicar aqui.

[ulp id=”v2eIxIAR3Ob2LsiR”]

Imagens: Fabian Ciraolo

Os tipos de feminismo

RadFem (Feminismo Radical)

tradução: o patriarcado é primitivo

Ao contrário do que todo mundo deve pensar, esse tipo de feminismo não é extremista.

Seu objetivo é defender a ideia de que algumas coisas precisam ser destruídas para que a libertação feminina aconteça de fato. Alguns exemplos são a luta pelo fim da prostituição, e de alguns arquétipos como o de dona-de-casa, e mãe de família. Afinal, estas são situações que, independentemente da escolha da mulher, continuam permitindo aos homens se beneficiarem pelo simples fato de serem homens. Logo, por mais que a mulher tenha opção de escolha nesse ponto, a exploração continuaria sendo a mesma.

Assim, para as RadFems, todas as formas de opressões são fruto do patriarcado, logo, o ‘poder de escolha’ da mulher deveria ser subjetivo, porque até as opções que ela preferir foram condicionadas pelo machismo.

Além disso, o feminismo radical defende que o movimento deve aceitar apenas mulheres, mas relaxa, isso não quer dizer que você elas sejam transfóbicas, mas sim que acreditam que as trans tentam se adaptar a papéis sociais já impostos às mulheres. E é exatamente contra isso que elas lutam.

LibFem (Feminismo Liberal)

Esse tipo de feminismo defende que a mulher tem o total poder de decisão. Se ela quiser seguir os padrões de beleza e sociais, tudo bem, se não quiser, tudo bem também. Afinal, a escolha deve ser SEMPRE dela.

Além disso, você acredita que o machismo é prejudicial tanto para mulheres quanto para os homens. Então aqui, um homem também pode ser feminista.

Feminismo Interseccional

Esse tipo de feminismo acredita que o movimento, por si só, não consegue dar conta de defender e representar TODAS as mulheres. Acontece que elas sofrem vários tipos de opressões, configuradas de diversas formas e em diferentes graus de intensidade. Então é natural que ela acredite que o feminismo deva procurar por uma intersecção entre os outros tipos de opressão (correspondentes à raças, religiões e classes sociais, por exemplo) e construir uma solução a partir daí.

Afinal, uma mulher negra é oprimida pelo racismo e machismo, ao passo que uma menina branca, de classe social baixa, é reprimida tanto pelo machismo, quanto pela sociedade. E por aí vai.

Feminismo Negro

Esse tipo de feminismo acredita que pautas como o genocídio da juventude negra, o racismo e os preconceitos com as religiões de matrizes africanas não são uma pauta muito presente, e nem prioritária, entre os debates dos outros tipos de feminismos.


E falando em feminismo, que tal ajudar nossa leitora a se descobrir mais no mundo feminista?

@ load more