Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Do alto dos meus 15 anos, eu lembro de começar um Fotolog para postar fotos. Algumas das minhas melhores amigas já faziam isso e eu sentia que tinha jeito para coisa. Passava horas e horas olhando as fotos de outros perfis que acompanhava e pensando em legendas para as minhas imagens. A meta de todo mundo que tinha um Fotolog gratuito era que o limite de 10 comentários fosse preenchido assim que a foto entrasse no ar. Podemos dizer que esses eram os primórdios das redes sociais e o Fotolog, um tipo primitivo de Instagram.

Vamos adiantar o relógio para 2017: enquanto lá o Fotolog era super ~alternativo~, hoje é impossível as pessoas não saberem o que é o Instagram e terem algum contato com isso. Você, como eu, deve seguir centenas de pessoas e dar likes em milhares de fotos por dia. Ou ainda checar a timeline do Twitter de tempos em tempos para saber o que está acontecendo no mundo ou vendo as atualizações dos seus amigos no Facebook. Basicamente, as nossas vidas giram em torno das redes sociais.

Como eu sempre amei muito as redes sociais, eu nunca vi um problema em passar horas olhando o feed do Instagram, até me pegar chateada porque as minhas amigas tinham tirado uma foto sem mim ou porque eu estava trancada no meu quarto na sexta à noite e o todo mundo estava ‘na melhor festa do mundo’. Meu coração doeu quando eu comecei a ver amigas sendo promovidas e conseguindo empregos incríveis enquanto eu parecia continuar no mesmo lugar.

E aí, quem é você?

A post shared by Um cartão (@umcartao) on

Isso gerou um ciclo de comparação. Toda vez que eu via uma pessoa que admirava postar uma foto nova, eu não pensava ‘puxa, que legal que ela compartilhou isso com a gente’, mas sim: ‘porque ela consegue tudo isso e eu não?’.  Eu me comparava, de novo e novo, com pessoas que conhecia pessoalmente e desconhecidas.

Eu não fiquei surpresa quando vi essa notícia do G1 falando que o Instagram foi considerado a pior rede social para a saúde mental dos jovens. Na verdade, essa constatação vem tarde – tem anos que eu fico descompensada quando olho o feed. Parece que sempre tem alguma coisa que falta. Falta aquela viagem, aquele passaporte cheio de carimbos. Falta aquele boy maravilhoso à tiracolo. Aquele grupo de amigas que posam igualzinho a capa de um álbum da Taylor Swift.  Impossível a gente não se odiar em algum nível vendo tudo isso e achando que a gente não tem nada.

As redes sociais já me fizeram sofrer muito. ‘Por que eu não fico famosa no Instagram?’ ‘Por que ninguém curte minhas postagens no Twitter?’ ‘Por que ninguém comenta os meus posts no Facebook?’ ‘Por que todo mundo está se divertindo menos eu?’. Eu era uma representante perfeita do FOMO.

As redes sociais também nos cegam para a abundância da vida

O fundo do poço disso tudo é você passar o fim de semana inteiro dentro de casa, só vendo as outras pessoas viverem a vida delas e você sentindo pena de si mesma porque não está compartilhando das mesmas experiências. É uma prisão.

Sair disso é tão difícil quanto aprender a amar a si mesma, você precisa encontrar um ponto de partida. Para mim, esse ponto foi muito simples:

Olhe para fora.

Eu sei que pode ser um clichezão falar para você ‘largar o celular e olhar ao redor’, mas isso tem um motivo. A gente esquece mesmo de olhar em volta e perceber que a gente tem tudo o que precisa para ficar bem ao nosso alcance. Amigos e familiares perdem espaço e importância diante do feed organizado do Instagram. Preste atenção ao seu redor. Falando nisso…

Lembre da sua importância em todos os lugares.

Uma coisa que eu aprendi recentemente é que a gente sempre, SEMPRE, está exatamente onde deveria estar. A gente passa tanto tempo querendo estar em outro lugar – numa praia paradisíaca, em Paris fazendo compras, na praia com a galera – que não aprecia o fato de que já estamos em algum lugar e que esse lugar precisa da gente. Acredite, a sua vida não seria melhor se você estivesse de férias viajando o mundo e postando mil fotos no Instagram: ela será melhor a partir do momento que você entender que é importante em qualquer lugar e que não importa a zona do globo em que você se encontra, você continua sendo importante. Não duvide que só você poderia fazer o que faz.

Dito isso, o terceiro passo para se livrar dessa nhaca é o mais prático de todos:

Saia de casa e faça o que você tem vontade.

As pessoas não vão correr atrás de você o tempo inteiro esperando que você saia para se divertir com elas. Você precisa se abrir para isso. Precisa sair de casa e ter experiências que te façam feliz. Precisa conhecer pessoas e ficar mais próxima dos seus amigos. E precisa, sim, baixar o celular para aproveitar o que está acontecendo e lembrar que você é importante e perfeita exatamente do jeito que é.

As redes sociais podem ser vilãs do amor próprio porque nos chamam para um lugar de comparação eterno. Com a blogueira fitness de corpo perfeito, aquela amiga rica que viaja toda semana para a Europa, aquela outra que desenha muito e vive postando as ilustrações online… Mas não mostra que todo mundo sente falta de ser amado – por si mesmo e pelos outros – e tem as suas dificuldades diariamente.

Por isso mesmo, as redes sociais também podem ser uma aliada poderosa. Existem inúmeros perfis que tem como objetivo ajudar você a lembrar de quem você é de verdade. Se é para sermos viciados em redes sociais, que seja em perfis que vão nos ajudar a nos sentirmos melhores cada dia e que passam uma mensagem de positividade. Quer algumas dicas? Então olha só:

@Superela

Tá liberado fazer propaganda própria? Sim, né? No nosso perfil, a gente faz questão de postar frases e mensagens empoderadoras e que servem como uma lembrança do seu poder e do quanto você é incrível.

Não aceite migalhas!

A post shared by Superela (@superelaoficial) on

@InstadoBem

Você conhece o Indiretas do Bem? É um blog incrível que começou publicando mensagens ‘indiretas’, mas que enaltecem características bacanas e coisas legais do mundo. Tipo gente que ama sorvete ou então que adora ler histórias em quadrinhos.

@SigaosBalões

Daniel Duarte é ilustrador e escritor e usa o seu perfil para postar mensagens incríveis e de positividade. É para curtir já!

Algumas vezes nessa vida, você escutará coisas que ninguém mereceria ouvir. Certas vezes nessa vida, você verá cenas que lutará todos os dias pra esquecer. Haverão dias nessa vida, que viveremos coisas que não deveríamos viver. Não é justo, mas acontece. Você pode ser bom, de qualquer jeito bom de ser, ainda assim isso não poupará seu coração do impacto. Pode ser sua mente a não ser perdoada, ou o seu corpo a ser marcado até o seus últimos dias. E essas serão as coisas, tão doloridas, que lutaremos todos os dias pra pra apagar. E quando não pudermos, tentaremos esconder. Guardaremos no fundo da caixa de segredos onde só nós sabemos onde, e de tanto tentar ignorá-las, elas se acalmarão – mas sempre estarão vivas. Os anos se passarão, e a vida mudará, mas aquelas marcas ainda estarão ali, aquelas palavras, tão ásperas, ainda estarão gravadas na sua alma. E ficarão. Por mais que você se esqueça por alguns segundos entre um copo ou outro. Entre uma dança ou outra. Entre um beijo ou outro. Entre aquele breve momento de respiro voltando pra casa, quando você puder observar a vida pela janela, elas aparecerão. Naqueles minutos antes de dormir, onde tudo que se tem é escuridão – estarão presente. Dores essas tão nossas, que caem como filhotes de pássaros em nossos jardins e quebram as asas, e nunca sabemos como curar, mas também nunca podemos abandonar, porque diferente de todos os outros males, esses precisam ser tratados com outro tipo de medicamento além do tempo, além de remédios, além de conversas sinceras que acalentam. Foram feitas em nós, e continuam abertas e em tons de vermelho vivo. São tremores que só cessam quando as encaramos com toda a honestidade dos nossos corações e permitimos que elas voem para longe de nós. Feridas que precisam ser expostas e finalizadas. Mesmo que, às vezes, só para nós mesmos. Precisaremos aprender e aceitar que talvez o pedido de desculpas nunca chegue. e nessa, quando ninguém for capaz de pedir perdão pelo que lhe causou, então essa coragem terá que vir de você. Sua paz precisa vir antes, porque eles, Sobre todos eles, não se preocupa, a vida cuida. ​texto // @duartedanieu

A post shared by DANIEL DUARTE (@sigaosbaloes) on

@UmCartão

A bio já diz tudo: Sentimentos cotidianos.

Se você quiser conhecer mais perfis para rechear as suas redes de positividade e amor próprio, pode clicar aqui.

Imagem: Reprodução/ Pretty Little Liars

@ load more