Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Os tipos de corpo feminino são tantos que nós já estamos carecas de saber que é impossível encaixar todas as mulheres em padrãozinho só. Por isso existem tantos movimentos para acabar com esses padrões, que nos impedem de apreciar os corpos que temos.

Recentemente a Miss Canadá usou a página no Instagram justamente para fazer sobre os tipos de corpo feminino e como ela entende que, apesar de não ter mais a mesma forma que tinha aos 16 anos, ela se sente muito mais confiante e segura hoje. Siera Bearchell recebeu uma série de críticas a respeito das suas curvas, que agora estão um pouco mais voluptuosas do que antes, mas não topou aceitar os comentários e se sentir a respeito do corpo que tem.

I was recently asked, "What happened to you? Why have you gained weight? You are losing points" This was a reference to my body of course. While I am first to say I am not as lean as I was when I was 16, 20, or even last year, but I am more confident, capable, wise, humble and passionate than ever before. ??As soon as I started to love who I was rather than always trying to fit what I thought society wanted me to be, I gained a whole new side of life. This is the side I am trying to bring to the @missuniverse competition. The side of life that is so rare to find: self-worth and self-love. We always focus on the things we wish we could change rather than loving everything we are. #missuniverse #bodydiversity #IMG

A post shared by Siera Bearchell | Miss Canada (@sierabearchell) on

“Me perguntaram recentemente ‘O que aconteceu com você? Por que você ganhou peso? Você está perdendo pontos [nas competições de Miss]’. Isso era em referência ao meu corpo, claro. Enquanto eu sou a primeira a dizer que eu não estou mais tão longilínea do que quanto tinha 16 ou 20 anos, ou até mesmo ano passado, eu estou mais confiante, capaz, sábia, humilde e apaixonada do que nunca. Assim que eu comecei a amar a mim mesma, ao invés de sempre tentar me encaixar em um padrão que a sociedade definia, eu vi um lado completamente novo da vida. Esse é o lado que eu estou tentando levar para a competição do Miss Universo. O lado da vida que é tão raro de achar: amor-próprio. Nós sempre focamos nas coisas que gostaríamos de mudar ao invés de amar tudo o que somos”, escreveu ela.

Os tipos de corpo feminino não importam

Vamos ser bem sinceras? O mais legal da mensagem de Siera é que ela exclui da narrativa a ideia de que as mulheres podem ser separadas em tipos de corpo. É a mesma coisa que estabelecer um padrão de beleza único, de mulheres altas, loiras, brancas e magras.

Se você tem mais cintura ou mais quadril, se tem ombros largos ou o bumbum reto, não interessa o nome que damos para isso. Cada corpo é único e reflete apenas as suas escolhas ao longo da vida. A forma como você se alimenta, se você se exercita ou não e, claro, o tanto de carinho que você dá para ele. Ou seja, é impossível existirem dois corpos iguais no mundo.

O que acontece, muitas vezes, é que o mercado de moda, a indústria que cria as roupas, precisa de uma média para conseguir oferecer roupas para todo o público. Mas, mesmo esse mercado se deixa influenciar por uma ideia errônea do que é bonito. E com essa visão de mundo, existem empresas que fazem uma roupa G, mas que na verdade só cabe em uma mulher que veste M – e ainda fica apertado. É uma forma de perpetuar esse padrão, entende?

O seu corpo ser violão, pera, uva, maçã ou salada mista só é importante a partir do momento que você acha que não se encaixa em um padrão ditado por outras pessoas e, por isso, precisa estar de acordo de alguma forma. Os tipos de corpo feminino só interessam, de verdade, para quem quer manter um padrão que não é nem um pouco inclusivo ou representativo.

E, como disse Siera, tudo bem se você não tiver mais o mesmo corpo que tinha aos 16 anos. Amar a si mesma vai além do número da balança, é uma questão de aceitação do próprio corpo, de entender que cada mulher é única e linda da sua própria maneira e passar a dar mais carinho para a nossa imagem. Ela, infelizmente, é quem mais sofre com todas essas mentirinhas que a gente conta diariamente sobre o que é bonito e o que não é.

Imagem: Instagram / Siera Bearchell

@ load more