Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se antigamente já era complicado decidir entre carreiras tradicionais (como medicina, advocacia e engenharia), com o avanço da tecnologia e o surgimento de novas profissões e modelos de trabalho, isso ficou ainda mais amplo, variado… E muito mais complicado! Algumas carreiras são tão novas que ainda não têm planos nem regras ou sindicatos que as regulamente. Outras passaram a funcionar de maneira mais livre: com freelancers, consultores, colaboradores part-time, etc.

Veja algumas dicas para aumentar sua chance de acertar ao escolher a carreira/profissão certa que irá conduzir você à realização pessoal:

1. Se você é vestibulanda: Calma! Não é pra sempre

O vestibular exige maturidade, pois sinaliza que as facilidades do período escolar estão com os dias contados. Por isso é normal que a pessoa se sinta ansiosa e passe por etapas de estresse psicológico. Muitas vezes, ela pensa que está escolhendo algo ”para sempre”, mas a realidade é que, com o aumento da expectativa de vida, pesquisas informam que apenas cerca de 20% das pessoas atuam nas profissões em que se formaram. Ou seja, CALMA: você pode voltar atrás e mudar de área várias vezes!

2. Descubra o máximo que puder sobre as carreiras

Informe-se sobre os cursos, carreiras e áreas de atuação que existem onde você mora (mas considere mudar de cidade!) e também – muito importante – sobre as que mais oferecem vagas em sites de empregos. Para início, pesquisas na internet oferecem caminhos. Mas o conhecimento mais profundo de cada carreira é que deve influenciar sua escolha. Não espere a informação cair no seu colo: pergunte a parentes e amigos se conhecem profissionais com quem você possa bater um papo para conhecer uma determinada área (isso faz toda a diferença) e quem sabe até encontrar uma vaga de emprego (é o início do seu networking na área).

3. Observe qual é sua disciplina favorita

É importante identificar sua área de melhor desempenho na escola ou faculdade. Isso revela com qual área você tem afinidade e pode ser essencial na hora de escolher a profissão. Por exemplo: alunas que têm muita dificuldade com ciências exatas, como matemática e física, dificilmente terão facilidades se optarem por carreiras como engenharia ou computação – pelo simples motivo de que tendem a levar o dobro do tempo e esforço para obterem desempenho igual ou pior àquele de quem tem facilidade.

MAIS: 8 DICAS PARA AUMENTAR AS CHANCES DO SEU CURRÍCULO SER LIDO
MAIS: 6 DICAS QUE PODEM SER DECISIVAS EM UMA ENTREVISTA DE EMPREGO

4. Fuja da evasão: visite universidades e centros acadêmicos

Visite o departamento do curso que te interessou! Converse com a coordenação ou até mesmo com professores, caso isso seja possível na instituição. Consiga a ementa do curso e tente entender melhor sobre a grade curricular. Veja se realmente as disciplinas te interessam. Muitas pessoas escolhem um curso acreditando que ele abrirá portas para o emprego que sonharam mas depois o abandonam porque não “aguentam” as matérias obrigatórias. Veja também o quadro de ofertas de empregos do departamento para saber o quanto ganha uma estagiária e uma profissional plena daquela área.

5. Conheça uma pessoa que te inspira

Às vezes o caminho é oposto: antes de saber o que fazer, a pessoa conhece alguém que tem uma carreira superinteressante e que acaba influenciando definitivamente sua decisão. Se você conhece alguém que te inspira de verdade, é fundamental conversar sobre a prática, dificuldades e o dia a dia daquela profissão (para além de teorias) bem como possibilidades reais de ganhos e crescimento. Assim, dá para se ter uma visão mais realista do que você terá que encarar – todos dias! Algumas áreas parecem muito glamorosas – mas apenas para quem não trabalha nelas.

6. Busque orientação vocacional

Caso seja seu primeiro emprego, buscar uma orientação vocacional com psicóloga pode te ajudar a identificar seu caminho. A orientação é um processo de autodescoberta que pode integrar suas motivações. Além disso, no teste vocacional é possível você reconhecer características de sua personalidade que apontam para certas profissões já estabelecidas. Ou quem sabe até aponte para uma característica mais empreendedora, resultando na abertura de um negócio próprio.

7. Busque coaching

Já se você deseja fazer uma transição (suave ou radical) de carreira, pode ser necessário o apoio de uma Coach, para auxiliar na definição do passo a passo até a consolidação da nova atividade. Caso você esteja muito confusa (pois muitas opções parecem interessantes) ou – ao contrário –parece não gostar de nada, o processo de coaching pode abrir os horizontes. Uma profissional Coach irá ajudar você a traçar metas de vida e valores pessoais, inspirando para a decisão da carreira que mais atenda esses quesitos. Também ajuda você a ter mais assertividade para lutar por suas escolhas, removendo impedimentos e crenças limitantes que estejam bloqueando seus avanços.

O mais importante é você ter consciência de que carreira é algo que se constrói, com a ajuda de muitas pessoas. No mundo de hoje, das equipes multidisciplinares, do trabalho colaborativo e dos espaços de co-working, ninguém mais “chega lá” sozinho. Portanto: faça muito networking, conheça pessoas de muitas áreas diferentes e mostre sempre sua cara falando sobre o que te interessa, pois quem não se expõe não cresce! E boa carreira para você.

Eu sou coach profissional e se quiser se consultar comigo. Estou à disposição!

Foto: www.pinterest.com/superelaoficial

@ load more