Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Entrar em um novo relacionamento, principalmente depois de um – ou alguns – insucessos, não é tarefa fácil. Algumas coisas são involuntárias, como querer por em prática o que foi aprendido à duras penas. Mas saiba que refletir sobre algumas atitudes iniciais mais comuns do que você pensa, pode te ajudar a não enfiar os pés pelas mãos:

1. DIMINUIR EXIGÊNCIAS É DIFERENTE DE ENGOLIR O QUE VOCÊ NÃO GOSTA

Onze em cada dez pessoas já tiveram que ouvir que são muito exigentes e em 99% dos casos isso é verdade. Quanto mais tempo ficamos sozinhos, mais idealizamos encontrar alguém que seja um espelho de nós mesmos e nos distanciamos do conceito de “ser humano”, que nada mais é do que a definição de que todos nós somos passíveis de erros e defeitos.

Porém, começar a aceitar coisas que você não tolera também pode ser sinal de carência. Existe uma linha muito tênue entre as duas coisas que você precisa enxergar ao começar a se relacionar com alguém.

Entender que algumas pessoas podem escrever “mecher” ao invés de “mexer” é diferente de aceitar que outras te ignorem, caso isso seja inadmissível para você e a primeira falha não. Portanto, tente diferenciar o que pode ser relevado do que é realmente relevante.

2. AGIR CONFORME O COMPORTAMENTO DO OUTRO NÃO É O MESMO QUE FAZER JOGUINHO

Outra linha tênue a ser enxergada. Você passar a não dar tanta importância para as mensagens que o outro te manda, porque ele já deixou de te responder algumas, não é o mesmo que só retornar o “bom dia” de hoje depois da mesma quantidade de horas que ele demorou para devolver o seu ontem.

Da mesma forma que deixar de fazer alguns convites ou puxar assunto, quando a única segurança que o outro pode te dar no momento é a reciprocidade quanto a essas atitudes, está muito mais relacionado a se basear no comportamento alheio do que jogar.

Perceba que jogar é agir contra o que você gostaria de fazer, muitas vezes por receio ou padrões sociais e isso definitivamente não é o mesmo que “ficar na sua” porque você não está recebendo a atenção que julga merecer.

RESPONDA: Por favor me ajudem quero parar mas não consigo!
RESPONDA: O passado não me deixa seguir em frente …

3. PADRÕES EMOCIONAIS EXISTEM PARA SEREM QUEBRADOS

Às vezes, nos pegamos em relacionamentos déjà vu, mais conhecidos como déjà fu, que dispensa explicações. Na maioria das vezes isso acontece porque temos a tendência de repetir padrões emocionais herdados de outras vivências e de nossa própria criação.

Quando você se enxergar nesta situação, reflita sobre o que pode ser diferente desta vez. Muitas vezes uma mudança de atitude sua será capaz de evitar um sofrimento então desnecessário.

4. FICAR SOZINHA NÃO É UM BICHO DE SETE CABEÇAS

Muito pelo contrário. É a solidão que nos leva ao autoconhecimento, que é a base do amor próprio. Entrar em uma relação pelos motivos errados (como carência ou medo da solidão) é muito pior do que ser a única pessoa solteira da turma ou não ter companhia para assistir Netflix em uma sexta chuvosa.

5. VOCÊ NÃO DEVE DAR MAIS DO QUE RECEBE

Dar à outra pessoa mais do que ela te dá é o mesmo que trabalhar 12h por dia e receber por apenas 6h. Reciprocidade, principalmente no começo, é essencial. Portanto, antes de oferecer algo a alguém, pense se esta pessoa lhe pediu tanto ou pelo menos merece o que você está oferecendo.

6. SABER A HORA DE PARAR É ESSENCIAL

Insistir para que relacionamentos que mal começaram deem certo é um erro comum, que pode ser evitado. Parar para analisar se você está vivendo uma relação que já tem mais fim do que meio é essencial para não se afundar em histórias que costumamos prolongar por apego ou esperança. Portanto, entenda que desistir de alguém, muitas vezes, é insistir na sua própria felicidade.

>> Quer falar com alguém (ou ajudar!) em relação a relacionamentos? Acesse o nosso Clube Superela.

MAIS: SE EU NÃO FOR POR MIM, QUEM SERÁ?
MAIS: 6 COISAS QUE APRENDI ESTANDO SOLTEIRA

Imagem: pinterest.com/superelaoficial

@ load more