Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Mal tirei os olhos do celular e bem te vi estático em minha frente, senti que algo em mim mudou no momento em que nossos olhos se encontraram por acidente. Passei a querer coisas que jamais me foram necessárias, das quais eu não sentia falta. Em um minuto fiz planos pra uma vida, planos que nunca me preocupei em realizar antes de você.

Eu estava bem, mas assim que te vi, eu quis segurar a tua mão, quis te apresentar aos meus amigos, te levar aos lugares que amo, eu quis trocar os status das redes sociais, te chamar de amor, quis dividir contigo o cobertor, o espaço no sofá, quis te viciar nas minhas séries favoritas e te apresentar à minha vida.

Eu quis te ver assistindo ao jogo de quarta-feira com o meu pai, e quis que me levasse à arena no domingo para torcermos juntos pelos nossos times. Eu quis te ensinar a fazer o meu prato preferido e cozinhar pra você o macarrão com salsinha que é minha especialidade.

Eu quis te ver rindo com minha mãe enquanto invadia a privacidade da minha infância ao ver as fotos de quando eu era um bebê engraçadinho ( olha essas bochechas, que gordinhas), quis te ver acordar no sábado com aquela cara de preguiça do meu lado, quis fazer manha pra não correr no parque quando você estava muito disposto, eu quis preparar um café da manhã com você e cantar desafinadamente bem aquela música que escolhemos pra ser nossa trilha sonora. Eu quis pra caramba andar abraçada contigo pelo bairro onde moro, arranjar um apelido ridiculamente fofinho pra gente e te dar a mão na fila da lotérica, do cinema, do supermercado ou em qualquer outra fila onde eu pudesse estar contigo e mais ninguém.

MAIS: QUANDO EU MENOS ESPERAVA VOCÊ ACONTECEU
MAIS: SE ARRISCA VAI, POR QUE NÃO?

Eu quis te levar naquela livraria e me esconder entre os livros só pra ver tua cara de preocupação ao me procurar, quis te apresentar o sebo no qual me refugio sempre que tô mal – o cheiro de livro velho me acalma, eu te diria. Eu quis ouvir os LP’s antigos contigo e dançar “Cry me a river”, aquela música lenta da Ella Fritzgerald. E por falar na Ella, eu quis muito te levar ao bar que amo em que todos os hambúrgueres tem nome de astros do jazz.

Ah garoto, eu quis tanta coisa com você, mas cê nem esperou eu te dedicar o meu melhor sorriso para que nossa história tivesse inicio e desceu do vagão sem me notar. Sem notar que eu te queria. Desembarcou pelo lado esquerdo sem nem olhar pra trás e misturou-se entre a multidão de pessoas que lotavam a plataforma do metrô. As portas se fecharam e eu segui em direção ao Paraíso na esperança de te ver de novo algum dia – pelo menos nos meus sonhos.

Como pode alguém se apaixonar por estranhos no metrô, alguém que é só uma ideia? Isso eu nunca saberei responder porque a linha amarela que separa esses mundos paralelos pode ser facilmente desfeita por um riso (des)pretencioso e trocas de olhares que ultrapassam a barreira da timidez.

Meu amor desembarcou nas Clínicas. Ultrapassou a faixa amarela e se foi São Paulo a fora. Alguém cuida dele?  Porque eu só desembarco na próxima estação.

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Amor

RESPONDA: Como dar aquela paquerada com o gatinho só pelo olhar?
RESPONDA: Dúvida idiota sobre o que fazer…

Imagem: pinterest.com/superelaoficial

@ load more