Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Tempos modernos, vida moderna e relacionamentos modernos.

Essa frase é quase um insight da era que vivemos. O século XXI trouxe novas formas para diversos contextos da nossa vida social, a forma que fazemos amigos, a maneira como trabalhamos, a moda e os livros que lemos. A cultura da geração Y radicalizou até mesmo as camadas e conceitos mais banidos da sociedade como, por exemplo, a liberdade sexual de todos os indivíduos.

Essas mudanças não poderiam deixar de agitar as relações amorosas, casamentos, namoros e afins. A internet veio, e com ela trouxe uma palavra que comumente usamos “stalker” ou “stalkear”, e isso colocou as relações que temos, principalmente as amorosas, em um patamar de intimidade exagerada muitas vezes. Conhecemos alguém e a primeira coisa que queremos saber é o número de telefone, as redes sociais, o email e, a partir disso, mesmo sem querer, acabamos stalkeando quem estamos de paquera. Olhamos e observamos tudo da vida da pessoa através das redes, os amigos, onde foi ou esteve. Mas até que ponto é saudável essa intimidade brusca propiciada pela internet?

A maioria das pessoas hoje se conhece pela internet e, devido à conexão das redes, criamos e imaginamos qualidades e defeitos das pessoas que paqueramos, por suas postagens, fotos ou comentários de amigos. A partir disso, esquecemos o EU real daquela pessoa, quem ela é na vida real, e só vemos quem ela é no mundo virtual. Muitas pessoas acabam se apaixonando e tendo relações virtuais e, no final, quando conhecem as pessoas de verdade o encanto desaparece.

MAIS: RELACIONAMENTO POR STATUS
MAIS: 17 DICAS PARA NÃO SER UMA CHATA NO WHATSAPP

Ter a ideia básica de como é alguém fisicamente, psicologicamente, saber seus defeitos e qualidades, dificilmente será possível através de um Facebook ou WhatsApp da vida. Mas, eles dão a oportunidade de se conhecer alguém, conversar e fazer amigos à distância. Isso vale a pena quando temos a consciência e colocamos os pés no chão de que se faz necessário conhecer pessoalmente, e não criar expectativas ou ideias globais sobre a pessoa com a qual estamos lidando na internet.

Stalkear virou moda e todo mundo faz. Fuçamos a vida de amigos, parentes, namorados, paqueras, colegas de trabalho, chefes e, até mesmo, de pessoas que nem ao menos conhecemos, quer um exemplo? Você tá lá de boa no Facebook, aí aparece no seu feed uma foto de um paquera seu, alguém que você deve ter conhecido em um barzinho ou boate e até aí tudo bem né? De repente, surge um comentário, do nada, de uma loira com porte de capa de revista. Pronto começa o stalker, entramos no perfil, vemos fotos, procuramos se existem comentários do carinha que estamos de paquera nas fotos ou postagens dela, ai você vê, poxa, dois ou três amigos em comum e o continua a perseguição, dessa vez via inbox. Você pergunta a um dos amigos em comum quem é a tal fulaninha, o que ela faz, o que deixa de fazer, e o que procuramos com tudo isso? SEGURANÇA emocional, queremos ter o controle e estar por dentro da vida das pessoas que nos cercam, queremos saber quem está bem, quem está mal, se a atual do seu ex engordou ou até mesmo se aquela sua inimizade da época do colegial já casou.

É algo natural que fazemos, pois somos seres sociais e não queremos ficar para trás ou desinformados com nada. Mas que tal se voltar mais para si mesma hein? Ser vigilante da vida alheia o tempo todo não vai acrescentar muita coisa na sua vida. 😉

Mas confesso que de vez em quando eu amo stalkear! Hahaha

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Vida

PARTICIPE: O que e ser uma amiga de verdade ?
PARTICIPE: Não sei o que fazer para melhorar…

Imagem: pinterest.com/superelaoficial

@ load more