Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Primaveras findam e muitos relacionamentos também. E o processo de superação e cura pode ser lento, doloroso e parecer não ter fim.

Por que não deu certo? / O que sempre acontece, a vida.

Dizem que não dá pra ser amiga de ex. Dizem que não é pra mandar mensagem quando você estiver carente. Dizem que voltar com ex é estar numa relação já fadada ao fracasso. Dizem muitas coisas. Mas a verdade é que só quem estava no relacionamento sabe não só os motivos que levaram ao fim, mas também, como a dor é individual e intransferível. E muito embora os amigos e família só queiram ajudar, às vezes não há nada que eles possam fazer ou falar. A verdade é que só o tempo -perdão por repetir o clichê- cura. E como saber que estou curada, você pode se perguntar. Bom, na minha humilde e ínfima opinião, é quando a saudade não aperta mais o coração. É quando você olha pra trás com carinho das lembranças de vocês. É quando aquela música ou aquele filme não te faz mais chorar por lembrarem ele. É quando você não fica mais com aquela pulga do “e se..?” atrás da orelha.

Sei o quão difícil é esperar o tempo fazer efeito. É igual esperar o leite ferver. Se você ficar ali olhando, vai parecer uma eternidade. Saia de perto do fogão e quando você voltar, o leite já terá fervido e sujado tudo. Superar um relacionamento é mais ou menos assim. Não dá pra forçar que esse processo seja mais rápido. Vai levar o tempo que precisar levar. Não pode ter pressa senão não cura direito. Lembra da sua mãe falando que o machucado demora mais pra sarar se você ficar arrancando as casquinhas?

PARTICIPE: Como agir depois do que foi dito?
PARTICIPE: motivo ou não para ter ciúme?

Pensando nisso, eu resolvi propor um exercício que pode ajudar: escreva uma carta. Mas calma, não precisa mandar pelo Correio. Isso vai exigir um tempo, então escolha um dia e uma hora mais tranquilos.

Nessa carta, coloque tudo o que você não disse na ocasião do término. Afinal, palavras não-ditas tem o poder de deixar a gente triste, deprimida, doente. Escreva tudo. Dê-se ao direito de xingar, de mostrar o quão indignada você está por não ter dado certo. Ou então peça desculpas por não ter dado seu melhor. A ideia é que você coloque tudo pra fora, ou melhor, na carta.

Se for mais prático, vale abrir o Word e escrever por lá também.

Acontece que quando a gente reflete sobre os motivos que levaram ao término, a gente precisa entender que a responsabilidade era dos dois. Ficar culpando o ex não leva a nada e pode não ser verdade. A gente precisa entender que estávamos no relacionamento também. Que ele também tinha expectativas sobre você.

O exercício de escrever uma carta é pra que você possa dizer não só aquilo que gostaria de ter dito naquela dolorosa conversa de término, mas tudo aquilo que você diria se o encontrasse agora. O que você faria ou falaria?

A gente sente tanta coisa ao mesmo tempo, né? Eu sei. E sentimentos são tão complexos que muitas vezes nem tem como nomear tudo o que estamos sentindo. Por mais que você não goste de escrever ou achar que não leva jeito pra coisa, tente. Você não vai entregar essa carta pra ninguém mesmo. Ninguém irá ler, a não ser você.

MAIS: SE SOFRI OU SE SORRI, VAI PASSAR
MAIS: OS BEIJOS QUE NÓS DAMOS

Quanto mais a gente se conhece, mais somos capazes de entender o que se passa dentro da gente. E enquanto você escreve, é bem provável que suas emoções fiquem à flor da pele. Você irá lembrar de várias coisas. E não reprima nada! Deu vontade de chorar? Chore. De gritar de raiva? Grite. De rir? Ria. Não tenha medo de se expôr.

E se isso também não adiantar, não se preocupe. Isso passa. A dor vai se transformar em saudade boa e você vai enxergar o colorido da vida mais cedo do que esperava.

Imagem: Pinterest

Receba no seu e-mail dicas/textos sobre Amor

@ load more