Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

No Brasil, as campanhas de cerveja são bastante polêmicas: normalmente com um conceito bastante machista, é comum vermos as publicidades das bebidas tratando as mulheres de uma maneira bastante objetificadora.

Escolher um exemplo é fácil, afinal, são muitas as campanhas que relacionam a bebida com mulheres de corpos esculturais, usando roupas minúsculas e em uma posição de serviço. Normalmente, elas são as garçonetes (quem lembra da campanha do ‘Verão’ da Itaipava?) ou a mulher solteira que cai aos pés daquele que bebe a cerveja.

E se tem um assunto no país que costuma ser tão machista quanto a cerveja, esse assunto é futebol. Por isso, foi uma boa surpresa ver uma nova campanha e ação da Heineken, que mostrou, de forma bem-humorada e bem palpável, como as mulheres podem ser tão fãs do jogo – e da cerveja – quanto seus namorados e maridos.

PARTICIPE: Sobre a violência que sofremos todos os dias
PARTICIPE: O que fazer quando ele sai para beber escondido e te deixa sozinha?

O vídeo, chamado The Cliché, ou seja, o clichê, é bastante autoexplicativo. Durante um jantar, os homens são presenteados com a chance de assistirem o final da UEFA Champions League em uma festa da marca, desde que mandem as namoradas para um spa.

A ideia é, também, bastante simples. Quantas vezes um homem não achou que precisaria despachar a namorada para fazer um programa considerado ‘de homem’? Ou quantas vezes foi assumido que a mulher está sempre mais estressada e, por isso, precisa tirar alguns dias para ‘descansar’ e ‘relaxar’?

Mais interessante do que o começo do comercial é a reação de cada namorado à brincadeira e as desculpas vão de ‘eu aproveitei a ocasião para comprar um presente’ até ‘eu te respeito e te admiro muito’. Tudo, claro, com a intenção de mandar a namorada para longe e ir à festa tranquilamente.

Porém, aí está a grande sacada da campanha: as mulheres não foram para um spa. Elas foram mandadas para Milão, para assistir à final do campeonato diretamente do estádio, enquanto os homens ficaram no Brasil, assistindo ao jogo em um telão.

A campanha destaca um comportamento que, culturalmente, exclui as mulheres de um ambiente porque, na teoria, futebol é assunto de homem. Porém, elas podem ser tão fãs quanto eles e aproveitarem um jogo da mesma maneira.

A moral é essa: o futebol é um esporte que pode ser apreciado por todos e, por que não?, aproveitado junto. Está na hora de tirar da mente a ideia de que existem coisas para mulheres e outras só para homens e aprender que toda e qualquer atividade pode ser compartilhada por todos.

MAIS: NÃO ERA AMOR, ERA MACHISMO
MAIS: POR QUE O MACHISMO É TÃO EFICAZ?

O mesmo se viu há alguns dias quando a marca de protetores íntimos britânica Bodyform criou uma campanha que passa longe dos clichês de comerciais da área. Mostrando mulheres fortes e poderosas, que praticam todo tipo de esporte pesado – e isso inclui até o balé – e que acreditam que um pouquinho de sangue, seja de um machucado ou fruto da menstruação, não é o suficiente para impedir que elas façam o que querem.

De verdade, o mundo está mudando, e o feminismo é mais importante do que nunca para mostrar que não existem diferenças entre os gêneros. É mais do que hora de aceitar.

Imagem: Youtube Pinterest


@ load more
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤