Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

A moda encanta por suas novidades (e suas bizarrices também!) e acaba por nos incentivar a um consumo desenfreado totalmente sem necessidade. Confesso que antes de me tornar uma consultora de imagem e estilo, com olhar diferente para a moda, era bem mais consumista que hoje. Comprava sem exageros, mas muitas vezes sem fundamento algum.

Está mais que comprovado (até por pesquisas) que todos nós compramos por impulso. As promoções são atraentes e dão a falsa sensação de que temos um poder de compra maior do que na verdade temos. Pare e pense se já não fez isso várias vezes ao ponto de se arrepender depois.

compras-superela-estilo-1

 

Muitas vezes, também compramos para alimentar a autoestima. Sim, o prazer de se presentear em momentos em que a autoestima está em baixa é maravilhoso, mas quando as contas chegam… Há quem compre para demonstrar status, e dessas pessoas eu tenho pena!

O fato é que comprar é muito bom sim, mas tudo feito de maneira consciente é melhor. E por quê? Primeiro porque essas compras por impulso são realizadas sem um mínimo de planejamento e podem causar estragos na sua vida financeira (e emocional!). Segundo porque é possível ter uma quantidade de coisas super úteis por um bom tempo, sem precisar comprar um monte que geralmente fica em desuso por esquecimento ou porque foi adquirido sem um motivo realmente relevante.

compras-superela-estilo-2

Quando digo “motivo realmente relevante” é no caso de um sapato que você ama e usa muito não puder ser consertado mais ou quando uma ocasião especial pede uma roupa especial e você não tem nada que cabe ou que encaixe na situação (nesse caso, dá até pra pedir emprestado se for pra usar uma única vez, né?).

Não é fácil abrir mão de fazer aquelas comprinhas gostosas quando uma roupa, sapato ou acessório sorri pra você através da vitrine, mas uma coisa eu digo: é possível aprender a comprar. E não é puxando a sardinha pro meu lado não, mas a consultoria de imagem é uma ferramenta incrível nesse processo de aprendizado.

Conhecendo a si mesmo e ao seu guarda-roupa, fica um pouco mais claro visualizar o que é realmente necessário comprar. Afinal conhecendo o seu estilo e o seu biótipo, mesmo que de vez em quando você se permita comprar por impulso, será de forma mais consciente e de acordo com o que combina com você.

compras-superela-estilo-3

A proposta aqui não é cortar a onda de comprar quando der vontade, tá? Compre, se presenteie de vez em quando sim, mas pense na necessidade desse presente e na sua condição financeira do momento para que essa compra não se torne um pesadelo lá na frente ao ponto de fazer você querer devolver a peça na loja. Pequenos mimos também podem satisfazer.

Deixo aqui uma dica bacana que vai ajudar um pouco. Se faça as seguintes perguntas:

– Em quantas festas, eventos, essa peça pode ser usada?

– Quantos dias da semana ela pode entrar no look (no caso de roupas para o trabalho)?

– Com quantas outras peças do seu guarda-roupa ela vai combinar?

Feito isso, calcule o preço da peça por uso. Por exemplo: uma jaqueta de couro custa R$ 300,00 e você sabe que vai usar pelo menos umas 10 vezes em várias produções, principalmente, nos dias frios do outono e inverno. Vale pagar o preço? É matemática (que eu detesto, mas também ensina): 300 reais / 10 vezes de uso = 30,00 por uso.

Comece praticando aos poucos e logo vai ser automático. Boas compras!

Imagens: Pigmento FJornal NHLive Shopping

@ load more