Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

O que é o Scrum afinal?

Em primeiro lugar vamos entender a origem do nome SCRUM, o termo Scrum é o nome de um tipo de jogada que acontece no jogo de rugbyApós uma reunião (jogadores reunidos em torno da bola), o objetivo é retirar os obstáculos à frente do jogador que correrá com a bola para que ele possa avançar o máximo possível no campo e marcar pontos.

rugby

Certo, e como o Scrum chegou na engenharia de software? Scrum é um framework simples feito para gerenciar projetos complexos de engenharia de software. Este termo, Scrum, foi utilizado pela primeira vez, no contexto de processo de desenvolvimento, por Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi em um artigo chamado “The New New Product Development Game” publicado na Harvard Business Review em 1986.

O primeiro passo para entender o Scrum e adaptá-lo a qualquer realidade profissional é reconhecer em que tipo de projeto ela pode ser aplicada.

Quanto mais nós conhecemos os requisitos necessários e a tecnologia que será usada, mais fácil fica o nosso projeto, certo?! Certo!

Dessa forma podemos prever quais serão as atividades necessárias para a execução do projeto e/ou desenvolvimento do produto.  Porém, se você não conhece todos os requisitos ou a tecnologia a ser aplicada é complexa demais e dificulta o domínio e a aplicação podemos dizer que temos um cenário caótico.

É para ESTE cenário que o Scrum é ideal.

Importante: caso você não tenha nenhum controle e/ou conhecimento das tecnologias ou das ferramentas a serem utilizadas, você está num cenário conhecido como “Anarquia” e neste cenário nenhum projeto pode ser bem desenvolvido. Ou seja, capital humano precisa ser consultado para o desenvolvimento.

Continuando…

Para o Scrum funcionar, várias partes precisam existir. Vamos começar explicando os três pilares fundamentais:

  • A transparência dos processos: Requisitos de entrega, deadline e status.
  • A Inspeção – O tempo todo pode e deve ser inspecionado o que está sendo feito no projeto. Seja em reunião diária (Daily Scrum) ou em quadros de acompanhamento.
  • A adaptação – Adaptação do processo, do produto e os efeitos das mudanças do decorrer do projeto. Lembrando que as mudanças não devem impactar nos valores determinados para o projeto.

Além dos pilares fundamentais é importante destacar o papel de cada um dentro do framework. Também são três, o Product Owner, o Scrum Master e o Dev Team.

Papeis-Scrum

  • Product Owner – É quem define os requisitos do produto, decide a data de release e o que deve conter, é ele quem prioriza os requisitos e prioridades das atividades e de cada Sprint. Ele tem o poder de aceitar ou rejeitar o resultado de cada bloco de trabalho e é ele também que é responsável pelo retorno financeiro da solução ou do produto.
  • Scrum Master – O Scrum master tem o papel de garantir que o time esteja motivado, funcional e produtivo. É uma espécie de facilitador. Facilita a colaboração entre as funções e elimina os impedimentos do time. Além disso, garante o seguimento do processo, participa das reuniões diárias e faz a revisão de cada bloco de trabalho.
  • Dev Team – É o time relacionado ao projeto. Tem o direito de realizar o que quiser dentro de cada bloco de trabalho, seleciona e prioriza os itens a serem executados durante cada Sprint.

Já temos quem é quem dentro do Scrum team, e já identificamos os perfis que mais se adequam a cada função na nossa realidade também, isso é bem automático. Também já definimos os pilares fundamentais que todo o processo deve ser pautado, e para que você entenda bem como funciona o Scrum, também é necessário entender as nomenclaturas, pois bem…

Sprints
Sprint – Normalmente a duração de um sprint é de 7 à 30 dias (de acordo com o projeto), porém, cada sprint deve ter a mesma quantidade de dias (Time box). O nome sprint (corrida) é bem apropriado, a grosso modo um sprint é o desenvolvimento de uma parte do processo a ser entregue em determinado prazo. Costumo chamar de bloco de trabalho.
Sprint Planning – Planejamento de Sprint. Nele se determina quais os subconjuntos de itens do Product Backlog mais importantes para construir no próximo sprint. Determinado pelo product owner, junto com o dev team e o Scrum Master.
Product Backlog – É basicamente uma lista com requisitos e suas prioridades definidas pelo Product Owner. É importante lembrar que o product backlog pode ser alterado pelo product owner a qualquer momento, de acordo com as prioridades do cliente e/ou projeto, tais mudanças só podem ser feitas pelo Product Owner.

product backlog
Sprint Backlog – É a lista de itens selecionados no Product Backog que serão realizados no próximo Sprint, esta lista é definida durante uma reunião chamada Sprint Planning Meeting.
Sprint Review – O Sprint Review tem o objetivo de rever o trabalho concluído e o não concluído, e apresentar uma demo ao cliente. Assim o cliente verá parte do funcionamento do produto e poderá sugerir melhorias, assim evita-se retrabalho.
Sprint Retrospective – Está reunião tem o objetivo de rever os erros e acertos no sprint realizado.
Sprint Planning Meeting – Uma reunião de planejamento inicial do projeto como um todo.
Daily Scrum – É uma reunião diária realizada a cada dia de um sprint, esta reunião tem um conjunto de regras bem definidos.


Burndown Chart – é um simples gráfico que se baseia nas atividades realizadas até o momento.

Scrum-Process1

Ciente das nomenclaturas vamos aos eventos e a dinâmica diária do Scrum:

Todo projeto realizado com SCRUM possui uma Sprint, que tem duração de 07  à 30 dias, onde se cria o produto que será utilizado pelo cliente. Essas Sprints são compostas por uma Sprint Planning Meeting, Daily Scrum, o Execução Sprint, uma Sprint Review e a Sprint Retrospective.

Práticas-do-Scrum

Nas Sprints define o que será construído. O primeiro evento da Sprint é a Sprint Planning Meeting que é onde a Sprint é planejada. Todo o time Scrum participa. A duração máxima é de um dia de trabalho, porém, deve ser dimensionada de acordo com o tamanho de cada sprint.

Nesta reunião duas perguntas são respondidas:

  • O que será entregue como resultado do incremento da próxima Sprint?
  • Como o trabalho necessário para entregar o incremento será realizado?

Para isso o Product Owner apresenta os itens do Product Backlog ordenados para o Dev team e todo o Time Scrum colabora com o entendimento do trabalho da Sprint.

O Dev team seleciona o número de itens do Product backlog para a Sprint, Os itens definidos em um Sprint são transferidas do Product Backlog para o Sprint Backlog. O Próprio Dev team define como irá ser a construção do trabalho na Sprint.

Ainda é realizado diariamente o Daily Scrum com um tempo definido de 15 minutos. Essa reunião é utilizada para que o dev team possa sincronizar as atividades e criar um plano para as próximas jornadas de trabalho, nela se responde as três perguntas:

  • O que você tem feito desde ontem?
  • O que você está planejando fazer hoje?
  • Você tem algum problema impedindo você de realizar seu objetivo?

Temos o Sprint Review que por sua vez é um evento executado ao final da Sprint para inspeção de como foi a Sprint e, se necessário, uma adaptação do Product Backlog. Este é um momento mais tranquilo e onde o Dev team deve ampliar sua comunicação. É importante a presença de todo o Scrum team.

Neste momento o Product Owner verifica se tudo está conforme o Product Backlog, e se atende as condições do deadline do projeto como um todo. Todo o grupo discute sobre o que fazer na próxima Sprint. Com isso, o Sprint Review também fornece entradas para a Sprint Planning.

Finalmente, se faz um Sprint Retrospective para identificar o que funcionou bem e o que pode ser melhorado. A partir daí começa tudo outra vez.  Algumas ferramentas extra Scrum são adotadas para o acompanhamento do processo, mas não fazem parte do Scrum, uma delas é Kanban, um “quadro de trabalho”. O Kanban é muito aplicado para gerenciar a aplicação do método, para organizar as atividades dos itens de Backlog da Sprint, separando-as em basicamente em quatro estados (isso pode variar de projeto a projeto): A fazer, Em andamento, Em Testes e Concluído. Esse “quadro” é muito produtivo, pois basta olhar para ele para realizar a leitura do progresso da Sprint.

kanbam
Por fim, gostaria de deixar enfatizado que o Scrum já vem mostrando resultado significativo em diversas partes do país. Alguns anos atrás, em Maringá, duas empresas (SG Sitemas e DB1) começaram a receber orientações, e, segundo os patrocinadores do projeto, em menos de 2 semanas já começam a observar os resultados.

Após o início dos trabalhos, Boris Gloger (Consultor e um dos mais atuantes um dos mais ativos Certified Scrum Trainers do mundo) comentou:

Boris-Gloger-Nov-14-f-300x156
“O Brasil realmente me impressiona. Nesta última semana, iniciamos trabalhos de consultoria mesclando SCRUM e CMMI em um grupo de empresas no interior do Paraná, na cidade de Maringá. O mais incrível foi que após apenas 8 horas de consultoria nas empresas elas já começaram a utilizar SCRUM. Hoje Ana Rouiller (Diretora da SQ Quality e Avaliadora Oficial em CMMI e MPS-br), minha parceira neste trabalho, ligou para as empresas em busca de entender o andamento do projeto e segundo ela, wow! – Acreditem, já temos os primeiros bons resultados. Fico impressionado com a facilidade das empresas brasileiras de aceitarem novas idéias e realizar a mudança cultural necessária para seu desenvolvimento e crescimento. Realmente, o Brasil me impressona.” Disse, Boris Gloger, ao Scrum Recife.

Como vocês podem verificar a metodologia Scrum é antiga e vem sendo aplicada no ambiente de Engenharia de Software, porém, é um processo que pode agregar muito valor ao produto e/ou projeto, além de evitar retrabalho pelo constante acompanhamento. Logo, é preciso enfatizar que nenhum método terá um bom desempenho se não houver comprometimento das partes relacionadas e lealdade à dinâmica proposta. Você pode – e deve – adaptá-lo a sua realidade, a realidade do seu negócio, porém, manter as essência do framework e o compromisso com cada papel e atividade determinado nele é essencial para o seu negócio fluir dentro das perspectivas desejadas.

E então, preparada para entrar nessa dinâmica e faturar horrores com as possibilidades que o SCRUM pode te trazer?! Conta pra a gente!

Imagem: Pinterest

@ load more