Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Não entendo essas fórmulas atuais em que o certo é não se apegar às pessoas. Chega a ser bizarro alguém achar que, por causa de uma decepção passada, ninguém merece ser feliz. Se eu pudesse dar um conselho a você, seria o seguinte: se apegue.

O sofrimento e a decepção ligados às pessoas que você compartilha um elo são inevitáveis para qualquer um. Viver é dar a cara à tapa e tudo pode acontecer. Por isso, não tenha medo de se apegar (leia mais aqui). É necessário construir relações – de topos os tipos. Familiar, amizade ou relacionamento a dois, a três, ou qualquer outro número dos seus parceiros, só quem ama sente. O amor deve ser livre e não seguir rótulos.

Essa construção de um elo com as pessoas amadas é muito bom porque você cria um vínculo tão grande que, de certa forma, acaba te fazendo bem. São essas pessoas próximas de ti que vão ajudar nos momentos mais difíceis; tirar um sorriso do teu rosto, simplesmente por estarem ali. Vão ajudar com carinho, afeto, palavras de motivação quando mais precisar, entre outros bons e generosos motivos que ajudam a construir um relacionamento. Ficar sozinho é bacana e todos deveriam tirar um tempinho para si mesmos, mas isolamento demais faz mal, machuca, não traz conforto.

Sempre vejo pessoas gritando por aí depois da decepção com alguém que não querem se apegar mais. Só que as pessoas esquecem todos os momentos bons que elas viveram com o outro. Toda a troca de carinho e afeto sincero que rolou de ambas as partes. Não é porque um vínculo foi rompido que amar não é necessário. Não é porque aconteceu uma decepção que ninguém mais é digno desse sentimento.

Digo a você: amar é importante sim. Se apegar é necessário. Diga que ama, faça carinho, exponha seus melhores sentimentos, aproveite todos os momentos. Deixe toda relação que você está inserido com alguém fazer parte da sua vida e mudá-la para melhor. Aprenda com os erros e os acertos. Amor dignifica, traz felicidade e humaniza. Não seja indiferente.

De certa forma, entenda quando o elo com a pessoa for rompido, simplesmente deixe ir. Se aquele vínculo foi quebrado, as ideias não batem mais, há falta de esforço para manter o relacionamento, há indiferença com a sua pessoa, não há troca de afetos, a morte os separou, ou qualquer outro empecilho os afastou, deixe ir. Não adianta tentar lutar por algo que não vai dar mais certo.

Não adianta tentar se encaixar em um lugar que você não cabe mais. Não adianta continuar se apegando lá no futuro. O apego tem que ser no presente, agora, enquanto há um relacionamento (leia mais aqui). Enquanto há um vínculo e troca de sentimentos. Depois que terminar é necessário deixar tempo amenizar a decepção até ela sumir.

Em tempos tão sombrios e falta de amor entre os seres humanos, chega ser assustador pessoas propagando esse discurso de não se apegar. Em mundo cada vez mais caótico e com guerras, se apegar não é apenas um sentimento sincero por conter amor, também é um ato político. É protestar contra as mazelas do mundo em forma de carinho e mostrar às pessoas que esse sentimento faz bem. Que ainda há esperança. Hoje você falou para alguma pessoa que a ama? Deveria. Seja revolucionário, ame. Seja revolucionário, se apegue.

Imagem: Pinterest

@ load more