Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Acho que todas nós brincamos com quebra-cabeças desde sempre, não é mesmo? Seja aqueles de 10 peças, de 500, de 3000 ou, até mesmo, aquele que vinha como surpresa no Kinder Ovo, despertando uma raivinha em mim por não ter sido uma daquelas tartarugas fofinhas e colecionáveis. Mas não é disso que vim falar aqui.

Vim mostrar que, pra mim, a vida é um quebra-cabeça. Onde cada sensação e pessoa é uma peça única. Não estou levando em consideração a relevância que cada peça faça na nossa “figura final”, pois vejo esse quebra-cabeça como algo abstrato e, muitas vezes, mutante. Ficou confusa, né? Mas vou te explicar melhor: como boa geminiana, jogo as coisas no mundo muito rápido e sem sentido aparente.

Uma peça pode estar perfeitamente encaixada com outra, formando a imagem mais linda e perfeita já vista antes. Entretanto, essa mesma peça pode não fazer mais sentido, não combinar com o todo ou não encaixar mais. Talvez a figura, como um todo, tenha se alterado ou aquela peça se modificou a ponto de não pertencer mais ao quebra-cabeça.

Você deve estar se perguntando “Gente, por que essa doida tá falando tudo isso? Ela nem me conhece!”, não é mesmo? Então, só quero que você saiba que está TUDO BEM. De verdade. Tudo bem você ter acreditado em tudo que ele disse; ter mergulhado de cabeça naqueles olhos sinceros; ter movido céu e terra para agradar; ter “perdido” horas planejando aquela surpresa; ter certeza de que ele era tudo aquilo que te faltava (leia mais aqui). TUDO BEM.

Você não estava errada. Ele era uma peça que se encaixava perfeitamente no quebra-cabeça. Mas você muda, ele muda, a vida muda! E, de repente ou aos poucos, os encaixes foram se desencaixando e, mesmo forçando, já não dava mais. A figura não fazia sentido. Como já disse, TUDO BEM. Não é culpa sua ou dele que as coisas parecem não ter mais sentido ou não se pertencerem. Não pense que tudo deu errado ou foi em vão, porque não foi! Valeu a pena sim, deu certo sim, mas agora o “certo” é outra coisa.

Certamente, você já olhou pra trás e pensou “foi melhor assim” – a respeito de situações que, na hora, pareciam muito com um pesadelo sem saída. Hoje você consegue perceber o benefício dessa experiência e quantas outras oportunidades apareceram graças ao que, ao seu ver, parecia o fim do mundo. Ou seja, o desencaixe daquela peça, foi um passo para você chegar no formato mais recente de seu quebra cabeça.

Pode ser meio clichê, mas é como dizem: “na vida nada é em vão. Se não é benção, é lição”. O desencaixar de uma peça, abre espaço para uma nova ou muitas novas. Cabe a você, somente a você, entender o rumo que a sua figura está levando. Afinal, voluntária ou involuntariamente, é você quem dita a mutação. Então, vamos tentar ser mais otimistas e sinceras com nós mesmas. Reparando que nada acontece sem motivos ou de repente, tudo é fruto de um processo que nós mesmas participamos.

Continuaremos a nos questionar sobre o que fizemos de errado? Sim. Continuaremos a nos culpar por tudo que não sai como planejado? Sim (leia mais aqui). Continuaremos a nos sentir derrotadas quando presenciamos o desencaixe de uma peça? Sim. Entretanto, que a gente consiga transformar todos esses “SIM” em TUDO BEM. A primeira reação pode ser todo esse mix de culpa e questionamento, mas que depois a gente possa analisar e aceitar que até o que é ruim, num primeiro momento, pode contribuir para o nosso crescimento – seja mudando nosso comportamento ou abrindo novas oportunidades.

Imagem: Pinterest

 

@ load more