Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quem nunca ouviu essa frase que atire a primeira pedra. Só que… poxa vida. Passei um tempão da minha vida em guerra comigo mesma, sabe? Eu odiava o que via no espelho, ficava me forçando a ser uma pessoa que não era e me submetia a coisas que, pra mim, eram extremamente desagradáveis (tipo depilar, fazer escova progressiva e ficar lacrimejando com aquele cheiro de formol horrível do meu cabelo etc) para caber em um padrão social ridículo. Já passei muito pano pra macho escroto que não me valorizava, já caí na onda de bullyings de alguns amigos e por aí vai.

Resumindo? Não sabia MESMO o significado de amor próprio.

Aí, quando comecei a descobri-lo, vieram me falar que eu estava “me sentindo demais”. Que eu achava que deveria ser o centro das atenções. Que tudo tinha que girar em torno de mim. E por aí vai. Pois bem… DAI-ME PACIÊNCIA.

E sabe qual é a pior parte? Eu sei que você também passou/passa por isso.

Só que a gente, a partir de hoje, vai manter isso no passado, tá bem? Eu percorri um longo caminho me sabotando, achando que não era boa o suficiente pra “sociedade”, entrando em onda errada de pessoas que só sabiam criticar umas às outras etc. Aliás, todas nós já passamos por isso. Só que agora, daqui pra frente, vou te mostrar que praticar a bondade de dentro pra fora é tudo o que nós precisamos.

É ser fiel a si mesma e respeitar os próprios limites. É ligar um “foda-se” para aqueles que só sabem botar defeito e, mais legal ainda, APRENDER A DIZER NÃO A ELAS. É amor próprio, e não egoísmo.

Sentir-se linda não é “se achar demais”, mas sim SER MAIS. Sentir-se incrível e não se diminuir para caber em moldes da sociedade é entender que:

  • mães também devem trabalhar, se é isso que elas amam fazer;
  • é “ok” passar um rímelzinho pra ir só ali na padaria, se isso TE FAZ bem;
  • também é “ok” não depilar as pernas, virilha e axilas porque esse trem DÓI DEMAIS DA CONTA (ah é, se você não percebeu ainda, sou mineira meixmo);
  • mulheres também querem só uma noitezinha de sexo sem compromisso;
  • a bela, recatada e do lar só deve existir dentro de quem REALMENTE a admira;
  • a gostosona, que ralou horrores na academia, tem TODO o direito de desfilar com seu corpão de sainha e decote por aí sem ser criticada e julgada;
  • a gordinha também é capaz de amar o próprio corpo;
  • e por aí vai.

Entenda: o amor próprio não tem nada a ver com vaidade, ou sutilezas superficiais. Tem a ver com respeito, conquistas e boas escolhas para a sua vida.

É por isso que, hoje, nós precisamos conversar sobre essa parada de ‘amor próprio x egoísmo’.

Aqui estão sete coisas que o amor próprio NÃO É:

1. Condicional

Às vezes, a gente tem a mania de colocar condições no amor que damos e recebemos. É pensarmos coisas do tipo: “quando eu receber AQUELE aumento, aí sim vou ser feliz”; “quando eu emagrecer, o mundo vai me olhar diferente”; “quando eu encontrar meu príncipe encantado, aí sim minha vida estará completa”. E como se não bastasse, as pessoas também dizem isso pra gente. “Espera só até você perder esses 3 kg. Ninguém mais vai te segurar”; “Quando você começar a receber o mesmo salário que eu a gente conversa, tá, queridinha”. 

Só que isso, na verdade, impede que você sinta cada alegria e conquista dos pequenos momentos que te levarão ao resultado final tão desejado. Esperar a felicidade chegar até você e, pior, impor regras para que ela aconteça, é limitá-la num nível que, infelizmente, nunca fará dela REAL.

Ralar para fazê-la real é se esforçar por você mesma. É entender que sim, você merece isso. ISSO sim é amor próprio.

2. Encharcado de vaidade

Você provavelmente já conheceu uma pessoa que te fez se sentir inferior. Que era tão arrogante que só a opinião dela estava certa. Que precisava colocar os outros pra baixo para se sentir bem. Ok, ISSO não é amor próprio, e sim egoísmo. É condicionar sua felicidade ao fracasso do outro. E não, não aceite comentários de quem te acusar disso quando você resolver se rebelar por algum motivo e ouvir o próprio coração.

Deixar o namorado abusivo não é egoísmo com ele, é amor próprio. Pedir um aumento não é achar que você vale mais que seus colegas, mas sim entender que seu trabalho merece ser recompensado devidamente. Brigar pelo direito de sair somente com as amigas não é pensar só em si mesma no relacionamento, é manter a própria individualidade. Se esforçar para ser feliz independentemente do que os outros acham e façam da vida deles é amor próprio.

3. Egoísta

Colocar-se em primeiro lugar é honrar a si mesma e às suas necessidades. Aprender a dizer “não” a um vampiro emocional, que suga todas as suas energias, é uma conquista, e não um demérito.

Egoísmo é desconsiderar a vontade do outro e SÓ pensar na sua. É querer tudo o que ele tem e não dar nada em troca. É ter atitudes horríveis e nunca pedir desculpas. É normalmente o que as pessoas que te criticam por ter amor próprio fazem com você e, pior, com elas mesmas.

Precisa desenhar agora, @?

Entendeu o quanto essas pessoas que insistem em te deixar pra baixo estão erradas? Amor próprio é TUDO o que a gente precisa pra ser feliz, pra ter empatia pelo outro, pra conquistar os nossos sonhos e por aí vai.

Nunca deixe que ninguém te diminua por isso, tá bem? Seja mais você!

Imagem: reprodução


E o que você responderia a essa pergunta logo abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more