Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Todas que já abriram os olhos para o machismo percorreram um caminho para isso. Infelizmente, ninguém nasce feminista. Afinal, nossa sociedade dificulta (e muito) o entendimento de que homens e mulheres merecem liberdade e têm seu poder. Para mim não foi diferente. Grande parte da minha existência se resumiu em um incômodo que não tinha um nome. Depois de conhecer o feminismo, pude dar nome as minhas dores e entender que deveria me empoderar.

Mas, minha caminhada foi bem mais difícil do que esperava. Afinal, para mim é mais do que natural lutar por direitos iguais, mas, para muitas pessoas essa ideia ainda é nebulosa. Com essa jornada de empoderamento aprendi um pouco com algumas surpresas. Se você ainda está começando a entender este mundo que luta pela igualdade, gostaria de te dar algumas dicas:

Coisas que aprendi em minha jornada de empoderamento

1. Sim, você vai sofrer preconceito! E não será pouco

Isso ainda é algo que me espanta, mas mesmo que pareça loucura, muitas pessoas vão questionar seu posicionamento. O pior é que nem sempre o preconceito virá de pessoas estranhas à você. Muitas vezes, pessoas muito próximas duvidarão de suas intenções.

Mas, algo que também aprendi é que, em grande parte das vezes, o preconceito é fruto de desconhecimento. Então, aprenda o máximo que puder para trazer mais pessoas para essa luta tão bonita!

2. Você precisará de ajuda em alguns momentos… e tudo bem!

Por mais que você saiba o que tem que ser feito, infelizmente, nem sempre você terá forças para mudar uma situação sozinha. Isso aconteceu recentemente comigo, vi minhas forças se esvaírem e consegui o apoio que precisava de quem estava próximo de mim e entendia minha dor.

O mais legal é que nem sempre a ajuda vem daqueles que você espera e nesse momento, você pode se surpreender com a benevolência de alguém que você mal conhece (ou não conhece nada mesmo). A essa pessoa que me deu a mão quando eu precisei de uma força para fazer a coisa certa: sou eternamente grata!

3. Valorizar os pequenos passos é muito necessário

Infelizmente, não vamos acordar amanhã em um mundo mais justo. Seria muito bom se com nosso discurso e ações pudéssemos transformar tudo aquilo que está errado por aí, mas, isso não vai acontecer. No entanto, desanimar também não é o caminho.

Lembra daquela frase “se não puder fazer tudo, faça tudo que puder”? Essa é a essência. Faça o que você pode para um mundo mais justo, comemore suas pequenas vitórias e se orgulhe delas. Em pequenos passos, alcançamos mais justiça e mais pessoas. Então, siga em frente, na velocidade que estiver ao seu alcance.

4. Empodere quem está em sua volta e já estará fazendo muito!

Lembra do filme “A Corrente do Bem”? Vai funcionar mais ou menos assim! Se você tentar ajudar pessoas que estão à sua volta, tenho certeza que com pelo menos duas ou três você vai ter sucesso. Se você mostrar a essas mulheres que estão em seu círculo de convivência que o mundo deveria ser mais justo, você já está impactando muito mais do que imagina. Afinal, essas  mulheres também se relacionam com outras mulheres e assim sucessivamente.

Você vai conseguir isso com todas as mulheres? Não! Mas, quem sabe o que sabemos tem o dever de tentar, afinal, sororidade faz parte da nossa missão. Mesmo que sua corrente do bem seja quebrada em algum momento, você ajudou alguém e isso já é mais que maravilhoso.

E aí, que tal um desafio? Converse com uma amiga hoje, dê a mão a alguma mulher que sofre algum tipo de violência. Empodere-se e empodere mais alguém! O que acha?

Imagem licenciada por PRETA.

@ load more