Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Esse texto não é de autoajuda, não enxergue dessa maneira. Esse texto é uma mensagem do seu interior a você mesma.

Sabe aquele “eu” que você insiste em esconder a todo custo? Aquela pessoa que chora calada e sonha com o pensamento em borbulhas cheio de idéias e desejos incríveis. Sim, aqueles sonhos e desejos que você julga insano, maluco ou simplesmente bobo.

Esse texto é só uma conversa com você mesma.

Uma conversa sobre o quanto tem se espremido na vida para caber em cantinhos que não te cabem, para usar cores que não são suas.

Enquanto caminha calada e a alma grita, o que espera da vida? O que realmente espera dos sonhos e dos planos que faz sozinho antes de dormir?

Quando se reprime, quando pensa no outro antes de pensar um pouquinho se quer em você mesma, expõe para Deus e o mundo a sua dependência emotiva.

Expõe a sua extrema carência, a necessidade de ser aprovada pelos outros. E sabe o mais engraçado? Eles realmente estão prontos para te julgar, e antes mesmo que o julgamento venha, eles já possuem uma sentença para ti.

Todos eles já sabem se vão ou não lhe aprovar, enquanto sufocada em suas próprias emoções, tenta sair do abismo que lhe puxa a cada instante que tentar caber em um lugar que não é teu.

Eu sei que quando o(a) conheceu tudo era uma história inocente, um momento que parecia mágico e encantador suficiente para que tirasse os pés do chão.

Não é meu lugar de fala sentenciar aqui se estava errada ou não, mas fato é que você caiu. Você tropeçou no próprio amor que lhe sustentará suspenso no ar durante tanto tempo.

Sei que prometeu amor, e recebeu outras promessas em troca. Sei que prometeu e foi amor. Assim como sei também que em algum momento começou a se espremer em lugares que não o(a) cabiam, não é mesmo?!

Mas sabe o que faz toda diferença nessa história? Até que ponto vai ser preciso chegar para enxergar que é preciso se amar? Eu já falei de amor próprio várias vezes mas em nenhuma delas, eu fui tão sincera como hoje.

Vamos lá, anota aí:

Amor nenhum pode ser mais contagiante e melhor que o amor próprio.
Não é preciso se diminuir, se menosprezar por amor nenhum. Você precisa entender que a história é errada quando não pode ser você mesmo dentro dela. Você claramente percebe o erro, quando o amor não é a âncora, o motivo para prosseguir.

Se tiver que ficar amarrada em algo ou alguém, que tenha amor. Mas o amor mais belo e profundo que pode experimentar, o seu!

Eu sei que parece clichê isso tudo, e talvez esteja no final desse texto se perguntando o que pode fazer para esquecer suas dores e os momentos atormentados que vieram, frutos de um romance, um amor ou só mais uma história que deu errado né?!

E antes de encerrar, quero te dizer para se olhar no espelho, se encarar, e só sair da frente do dele quando for capaz de fazer um elogio a si mesma.

Você pode não transformar o outro, e sinceramente, pode ser que tudo tenha sido um engano absurdo. Mas mesmo pequeno, mesmo machucado, mesmo confusa ou perdida, se olhar mais a finco, vai perceber que esse teu “eu” interior te chama de volta, te chama à vida.

Sabe, o seu “eu” interior, te chama para o teu lugar. O lugar onde moram teus sonhos, teus planos, teus projetos e o único amor que pode te aliviar a alma: o próprio!

E ai? Até quando vai continuar se diminuindo para caber em alguém?

Imagem: Unsplash

@ load more