Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Diante de um cenário econômico como o que estamos vivendo, muitas pessoas têm ficado bastante preocupadas com seu emprego. E não é para menos, de acordo com dados divulgados pelo IBGE, a taxa de desemprego do semestre que se encerrou em julho foi de 11,6%.

Saiba que nem sempre é fácil para um gestor tomar a decisão sobre quem fica e quem deve ser demitido num momento como este, pois muitas equipes continuam com o volume de trabalho anterior só que com a diferença de ter cada vez menos pessoas para executar as tarefas.

Para tomar a decisão sobre quem desligar, os gestores levarão alguns fatores em consideração, como: o empregado está executando atividades que deixaram de ser prioridade para a empresa; o empregado possui salário acima da média da equipe, porém o nível de entrega não é necessariamente maior do que de seus colegas e/ou o empregado apresenta atitudes que são mal vistas pelo gestor.

Eu perdi meu emprego e não sei por quê.

É justamente sobre as atitudes que explicarei adiante, pois diferente dos outros dois fatores, você tem controle sobre este e, ao se policiar, poderá evitar ser cogitado para demissão, tanto em períodos de crise e principalmente fora deles.

Atitudes que podem causar sua demissão

1. Falta de iniciativa

Eu só encaro minha mesa, parece que estou trabalhando.

Quando alguém é contratado para uma determinada função é esperado que esta pessoa tome certas decisões e resolva problemas que possam surgir dentro de sua esfera de ação, e que aja de forma espontânea, sem que ninguém fique o tempo todo dizendo como e o que tem que ser feito. A falta deste comportamento pode impactar negativamente sua carreira, fazendo com que você não tenha tantas chances de crescimento/promoção e sendo considerado para uma possível demissão.

2. Excesso de negativismo

Todos nós temos aqueles dias de mau humor, que o mundo parece meio cinza e consequentemente nos sentimos mais negativos. Ter alguns dias assim e manter esse sentimento sob controle faz parte da vida, mas o que não dá é ficar parecendo a hiena Hardy, dos desenhos da Hanna-Barbera, que vivia repetindo a frase – “Ó céus! Ó vida! Ó azar! Isto não vai dar certo!”

Se você anda reclamando demais no ambiente de trabalho sobre os assuntos mais diversos é melhor ficar atenta. Primeiro, porque é muito desagradável trabalhar com alguém que reclama de tudo, critica tudo e todos e sempre tem uma opinião negativa sobre qualquer tema. E segundo, porque este pode ser um sinal de que algo não vai bem com suas emoções, se você não era uma pessoa tão negativa e de repente passou a ser, isso pode ser sintoma de depressão ou outro quadro de sofrimento psíquico. Se você tem dúvidas sobre o que é, procure um psicólogo e converse sobre o que você está sentindo. Aproveite que o Superela tem a sessão de Super Profissionais onde todos oferecem a primeira sessão de 30 minutos sem custo e converse com um deles.

3. Procrastinação excessiva

Apesar da procrastinação ser um comportamento comum, já que todos nós procrastinamos em maior ou menor grau em diferentes momentos da vida, em excesso esse comportamento pode comprometer sua carreira. Um profissional que nunca cumpre prazos, que precisa de muito mais tempo que seus colegas para terminar uma tarefa é visto como pouco produtivo e por isso corre grandes risco de ser demitido. Se você precisa de uma ajuda para evitar esse comportamento, leia meu outro texto onde explico sobre a técnica do “pelo menos”.

4. Dificuldade de relacionamento com equipe e/ou gestor

Você ama seu trabalho?

Ninguém gosta de conviver com uma pessoa tida com “difícil”, não é? Então não seja esta pessoa! Ter um relacionamento ruim com seu chefe e/ou equipe pode não só atrapalhar seu crescimento na empresa atual, como também em oportunidades futuras, pois você será lembrada como “aquela pessoa difícil da outra empresa” e esse comportamento também pode levar a demissão.

Se você está se perguntando: “Ok, Thaís, eu até nem sou uma pessoa difícil, mas o meu chefe (ou a minha equipe) é que é muito difícil, e aí, o que faço?”

Neste caso, pense se tem algo que você possa fazer para melhorar esta relação, caso não tenha, vale a pena você verificar se existe a possibilidade de mudar de setor dentro da empresa ou até mesmo de emprego. Será que você conseguirá manter uma boa produtividade num ambiente hostil? Será que vale a pena insistir em ficar num lugar onde você não se sente bem? Leve em conta essas reflexões e tome a decisão que seja a melhor para você.

5. Falta de comprometimento

Comprometimento é a demonstração do compromisso que você tem com o seu emprego através do cumprimento do que foi acordado ao ser contratando pela empresa e seus deveres assumidos, ou seja, de suas obrigações. Não entregar um trabalho no prazo ou com o nível de qualidade esperado, se atrasar para os compromissos profissionais ou deixar de realizar atividades esperadas para a sua função, são comportamento que demonstram falta de comprometimento.

Uma pessoa não comprometida acaba sendo vista também como não confiável e consequentemente dispensável da equipe. Se você não deseja ser vista como alguém dispensável, tome cuidado com os comportamentos que demonstrem falta de comprometimento.

6. Ser inconveniente

Lembre-se que o ambiente de trabalho não é a sua casa, nem a roda de amigos no bar e por isso você precisa ter um comportamento compatível com a formalidade que o ambiente exige. Cada empresa tem uma cultura própria e o nível de formalidade esperado é definido pelo tipo de cultura (desde a mais rígida/tradicional a menos formal), e mesmo uma empresa menos formal exige alguns comportamentos adequados para o ambiente de trabalho.

Alguns dos comportamentos indesejados são: excesso de brincadeirinhas (principalmente fora de hora ou de contexto), fazer comentários inapropriados que podem deixar as pessoas constrangidas ou até mesmo com raiva, querer chamar atenção excessiva para o seu trabalho. Neste último caso, o profissional pode querer ser visto como proativo, mas ao exagerar na demonstração de quão bem pode fazer seu trabalho acaba sendo visto como inconveniente, chato ou até mesmo “puxa-saco”.

7. Cometer erros frequentes e/ou graves

Nenhum de nós está livre de cometer alguns erros ao longo de nossa vida profissional, mas devemos estar muito atentos com as situações mais críticas que podem trazer impacto negativo para a empresa. Outra situação prejudicial é cometer erros com muita frequência, pois acaba passando a imagem de que o profissional é desatento, descuidado com seu trabalho ou não sabe bem o que está fazendo.

Se você estiver fazendo uma atividade muito importante que o resultado dela pode impactar a empresa como um todo, revise seu trabalho entes de entregá-lo. Se você tem cometido erros com mais frequência, procure se observar e descobrir o que tem acontecido para que você esteja errando. Será que você está tentando fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo e com isso errando? Será que você está querendo terminar o trabalho muito rapidamente e por isso não está revisando? Será que você está trabalhando em excesso com muitas horas extras, por isso sua mente está cansada e menos atenta? Se for este último caso, converse com seu chefe, pois trabalhar frequentemente longas horas não é sinônimo de que sua produtividade será maior. Seja qual for o motivo que está te fazendo errar, busque identificá-lo e a melhor forma de evitá-lo.

8. Ser grosseiro/agressivo

Este comportamento é um parente próximo do segundo (negativismo) e as consequências também. Ninguém gosta de conviver com um colega de trabalho ou subordinado que é grosseiro e agressivo na sua interação com as pessoas. Assim como no negativismo, a agressividade frequente e em excesso pode ser sinal de que algo não vai bem com você. Busque ajuda profissional para conseguir lidar melhor com seus sentimentos e ter uma relação mais amistosa com as pessoas.

Existem pessoas que imaginam que a comunicação agressiva possa ajudá-las a crescer na carreira. Em algumas situações ela é importante, mas também é necessário aprender a desenvolver e usar tanto  a assertividade e a passividade.

Veja este vídeo que explica melhor sobre este assunto:

Espero que este texto possa ter te auxiliado a refletir sobre suas atitudes no ambiente de trabalho e ver possíveis pontos de melhoria. Se você precisar de ajuda para corrigir algum desses comportamentos e manter a sua empregabilidade em alta, não deixe de entrar em contato comigo. 😉

Imagem: Pinterest

@ load more