Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Você deve estar se perguntando: Nossa Amanda, você já está pensando na Black Friday 2019?

Sim, com certeza, como educadora financeira procuro sempre orientar você para que você faça as melhores escolhas através dos meus vídeos no YouTube, posts no Instagram. e também aqui através dos artigos.

Os dias estão passando rápido demais não é mesmo? Daqui a alguns dias começam as ofertas da Black Friday 2019 que acontecerá no final de novembro.

Estas ofertas são uma boa oportunidade para comprar aquilo que você estava precisando e ainda economizar, mas neste momento é preciso atenção redobrada para não acabar caindo no conto do “falso desconto”.

Como economizar na Black Friday 2019:

1. Veja quanto custa o seu o seu item de desejo

Faça isso hoje, porque quando chegar no dia da Black Friday você terá certeza se seu item realmente está com desconto. Exemplo: você quer comprar um celular que custa hoje R$ 1.500,00. O que seria o “falso desconto”? Quando chegar no meio do mês de novembro, há um risco de este celular estar custando R$ 2.000,00, e quando chegar no dia da Black Friday eles baixarão o preço para R$ 1.500,00 entendeu? Então, fique atenta!

2. Faça uma lista

E compre apenas o que você colocou na lista, nada de comprar coisas desnecessárias. No atual mundo em que vivemos é muito comum sermos compulsivos por compras, afinal, existem muitos textos, vídeos, imagens, e propagandas que parecem exibir preços nunca vistos, então mantenha o controle!

3. Não fuja do seu orçamento financeiro em virtude das compras da Black Friday

É muito mais vantajoso você ficar sem um produto que realmente queria do que se endividar. A questão do endividamento não é levada a sério no Brasil, mas deveria, afinal mais de 63,4 milhões de pessoas estão nessa situação.

Ter uma dívida significa pagar valores altos por algo que você não tem, porque você vai pagar juros, juros, juros e mais juros… Portanto, ainda que o assunto seja os melhores descontos do mundo, ter um pensamento racional é superimportante!

Antes de chegar o mês de novembro, faça uma revisão do seu orçamento e veja se tem algum dinheiro disponível para gastar nessa data – para comprar algo que precise, obviamente.

4. Confira se a loja é confiável

Nessa época de promoção surgem muitas lojas de fachada, que parecem confiáveis mas não são. Desconfie de lojas que somente aceitam o pagamento em boleto bancário.

Uma boa dica é checar no site Reclame Aqui, ou mesmo no site do Procon – eles listam as lojas e avaliam a reputação delas.

O próprio Google também pode ser seu aliado nessa busca, onde você pode verificar se algum conhecido já comprou na loja que você está querendo comprar.

5. Não se esqueça do frete

Às vezes a diferença de preços entre duas lojas é pequena, mas aí quando você fecha o carrinho vem o susto: a conta aumenta consideravelmente por causa do frete! Por isso, dá uma checada em quanto a loja cobra pro envio.

6. Acompanhe descontos

Monitore descontos a partir de apps como Zoom e Buscapé (disponíveis para Android e IOS), eles exibem o histórico de preços, assim você monitora para saber se a oferta é verdadeira.

 ZOOM

É um dos principais comparadores de preços da Internet com um catálogo que abrange praticamente todo tipo de produto vendido no varejo. Com um design agradável e interface simples de usar, a página do produto traz um resumo que permite saber rapidamente se o preço está mais baixo do que o normal, além da avaliação de outros compradores.

Buscapé

O comparador de preços do buscapé também pode ser uma ferramenta poderosa. O app traz alguns dos mesmos recursos do Zoom, mas dá destaque ao recurso de scanner de código de barras. Ao tocar no campo de buscas, o app permite abrir a câmera do celular para localizar no e-commerce os produtos físicos disponíveis na loja. Assim, é possível saber se o preço online está melhor em poucos minutos.

7. Conheça seus direitos

Código de Defesa do Consumidor (CDC) em seu artigo 49, garante ao cliente o direito de arrependimento pela compra. Amparado na lei, o comprador pode pedir a troca ou a devolução da mercadoria em sete dias, sem justificar os motivos nem sofrer penalidade.

Nas compras feitas em lojas físicas, o fornecedor somente é obrigado a trocar a mercadoria se ela apresentar algum defeito. Já no caso de compras online, se o cliente receber o produto, não ficar satisfeito mas deixar passar mais de sete dias, a troca é uma espécie de cortesia, e o site pode impor as próprias condições, como a cobrança do frete, por exemplo.

Quando a mercadoria tem algum defeito, o site é obrigado a fazer a troca, o reparo do produto ou a devolução do dinheiro. No caso de eletrônicos eles são considerados bens duráveis e, portanto, a garantia mínima oferecida deve ser de 90 dias.

Em caso de defeitos que são visíveis de imediato, a garantia vale a partir da entrega. Já nos casos em que o problema aparece somente com a utilização do produto, o prazo começa a valer a partir do momento em que o defeito for constatado pelo consumidor. Quando o problema for constatado nos primeiros sete dias de uso, o consumidor pode optar pelo direito de arrependimento, previsto no Código de Defesa do Consumidor.

O ideal é que você guarde os e-mails trocados, protocolos de atendimento e outros documentos que comprovem a compra e o acionamento da troca ou devolução do produto. As regras valem para sites que operam no Brasil.

Gostou das dicas? Te espero no próximo artigo!

@ load more