Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

As comédias românticas são o tipo de filme preferido por aqui. Mas, a gente já percebeu que algumas delas reproduzem ideias muito machistas, além de reforçarem aquelas ideias irreais sobre o que é um relacionamento (e alimentarem a tal busca pelo príncipe encantado).

É óbvio que, nos últimos anos, muita coisa mudou quando falamos em comédias românticas e cinema no geral, e existem filmes com um viés feminista incríveis que você pode assistir. Isso não significa que a gente pegou uma aversão à esse gênero e os seus clássicos, mas ficou mais claro como eles têm uma mentalidade que já é muito ultrapassada.

A gente precisar lembrar que muitos desses filmes foram produzidos há mais de 30 anos e representam a mentalidade da época. Por isso não podemos esperar mais do que um condicionamento machista e uma visão que diminui as mulheres. Ainda assim, quem avisa amigo é, e melhor saber o que estamos vendo do que continuar no escuro, certo?

1.Ela é demais (1999)

Esse é um clássico das comédias românticas. Mas a premissa é totalmente errada. A personagem principal, Laney, precisa passar por um makeover para conquistar um amor. Ela precisa mudar não só a sua aparência, mas os seus gostos, a forma como age e os amigos que tem para ser considerada desejável. A história pode ser fofa (e a cena da escada, um clássico!), mas não deixa de ser machista e colocar todo o peso de um relacionamento na aparência de uma mulher.

2.Quem vai ficar com Mary? (1998)

O apelo desse filme é que nele, a mulher é super desejável porque é ‘como um dos caras’. Ela se enturma bem os homens, não tem problemas em falar besteiras e cair nas brincadeiras e, acima de tudo, é gostosa: isso, claro, seguindo um padrão de beleza pré-determinado.

3.Jerry Maguire (1996)

 

O filme de Tom Cruise é considerado um dos melhores da história do cinema, mas conta com um detalhe muito machista: A mulher desiste da sua carreira e estabilidade financeira para ficar com o ‘homem perfeito’ – e investe numa ideia só porque gosta dele. Não estamos falando aqui que ela não pode fazer mudanças de carreira (isso é até esperado), mas que seja por uma motivação real dela e não para agradar um homem.

4.Como Perder um Homem em 10 dias (2003)

/

O que mais chama atenção nesse filme é como a personagem de Kate Hudson faz uso de comportamentos considerados ‘de mulher’ para ver até onde um homem aguenta. Ela exagera, claro, mas pega estereótipos do que é considerado um comportamento feminino comum para comprovar o que irrita o sexo masculino. Mais do que isso, ela precisa passar por essa ‘experiência’ para provar que tem a capacidade de escrever sobre assuntos mais sérios, como política. Será que um homem precisaria se provar do mesmo jeito? Provavelmente não.

5.Gatinhas e Gatões (1984)

O filme é de 1984 e a gente precisa ter isso em mente ao falar sobre, mas é um fato que ele faz muitas piadas com abuso sexual e estupro de menores. Em certo momento, um dos personagens, Jake, percebe que a namorada está muito bêbada. Ao invés de levá-la ele mesmo para casa, ele entrega Caroline para Ted e diz que este pode ‘se divertir com ela’. É uma alusão ao estupro, o sexo não-consensual entre um homem e uma mulher que claramente não está em condições de negar que isso aconteça. E isso é só um dos comentários horríveis nesse nível que aparecem no filme.

6.Nunca fui beijada (1999)

Vamos começar pelo fato de que esse filme mostra o romance de uma estudante com um professor mais velho. Tudo bem, a estudante em questão é uma Drew Barrymore adulta, mas ainda assim, no filme ele acredita que ela é uma aluna da escola. Em segundo lugar, a personagem principal precisa mudar a forma como se comporta e age para fazer parte do grupo popular da escola e ela só ganha a atenção do menino mais cobiçado da turma quando o seu irmão, um homem, começa a falar bem dela para as outras pessoas.

7.A verdade nua e crua (2009)

O filme pode até ser divertido, mas é absurdamente machista. Primeiro porque Mike faz questão de mudar a aparência de Abby para que ela consiga conquistar o amor de Colin (a começar por deixar o cabelo mais comprido porque ‘os homens gostam de ter algo para puxar’). Segundo porque ele trata todas as mulheres como um objeto e faz questão de brincar com o desejo sexual de uma mulher em uma mesa de jantar profissional só porque ele pode – e não faz para parar.

Foto: Reprodução / Como Perder um Homem em Dez Dias


@ load more
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤