Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quando eu era uma pré-adolescente, a minha mãe, percebendo a necessidade premente de esclarecer certas coisas, resolveu, para evitar perguntas embaraçosas e situações constrangedoras, me presentear com um livro sobre a transformação de ser uma menina e tornar-se uma mulher.

Não era um livro didático, era um livro de autoajuda que abordava a experiência de ser uma mulher de forma bastante estereotipada, porque além de explicar sobre menstruação e relações sexuais, ensinava sobre etiqueta, como se vestir e se pentear e até como organizar uma mala de viagem.

Um dos capítulos desse livro explicava como arrumar um namorado, já que essa é a finalidade de todas as mulheres, não é mesmo? E, claro, desde meninas temos de pensar nisso! Obviamente a escritora nem cogitou a possibilidade de que algumas de suas leitoras preferissem uma namorada.

Esse capítulo era um tanto inusitado porque ensinava um modus operandi para se conseguir um garoto. A escritora sugeria que a leitora fizesse uma lista sobre tudo o que ela queria e esperava de um namorado, elencando características psicológicas, como ser engraçado e romântico, e físicas, como ter olhos verdes e cabelos pretos, quanto mais específico, melhor. E também fazer uma relação das características inadmissíveis, como ser grosseiro, fora de forma e não gostar do Luan Santana. Com essa lista em mãos, o plano era mostrar para o maior número de pessoas e perguntar a elas se conheciam alguém que atendesse, ou se aproximasse, àquela descrição. Depois, era só conseguir encontros com os candidatos à vaga e escolher o melhor!

Pra mim não existe estratégia pior do que essa!

Porque se existe um sentimento que foge à lógica, esse sentimento é o amor; ele não admite fórmulas prontas. Claro que você pode se colocar em determinadas situações e lugares para tentar conhecer gente nova e, assim, aumentar as chances de conhecer a pessoa pela qual você se sentirá completamente apaixonada. Tudo bem criar uma conta no Tinder ou aceitar aquele encontro às escuras com um conhecido da sua melhor amiga, que ela julgou ser perfeito para você. Mas, vale mais como experiência. Melhor não criar expectativas mirabolantes, porque o amor acontece quando menos se espera, é uma força imprevisível e incontrolável.

Às vezes a pessoa quer muito se apaixonar, vive com intensidade os amores das comédias românticas e dos livros, porém, a fantasia demora a se tornar realidade, até que um dia essa pessoa se pega pensando antes de dormir em um cara (ou garota), aparentemente improvável, e se dá conta de que está caindo de amores. Não tem porque ter pressa! Ter um relacionamento só para estar em um relacionamento é uma perda de tempo, pois impede que outros encontros mais significativos aconteçam. Lembrando que, acima de tudo, um relacionamento amoroso deve ser uma maneira de viver e compartilhar o amor que você tem por você mesma.

Além disso, as características físicas e psicológicas de uma pessoa, o que ela gosta ou desgosta, o seu time de futebol, partido político, estilo de música predileto, não deixam de ser atributos superficiais. São rótulos pelos quais as pessoas tentam definir a si mesmas, mas que são insuficientes para alcançar a verdadeira essência de alguém. Aquilo que você não está procurando pode ser exatamente o que você precisa, e namorar uma pessoa igualzinha a você pode ser um tédio. Dá uma chance pro indivíduo que votou naquele candidato corrupto sem noção, vai que você é justamente a informação política que faltava na vida dele! A vida é imprevisivelmente maravilhosa, as pessoas são mais complexas do que aparentam ser, não acredite em algoritmos amorosos e, por fim, cada um tem o seu caminho: aproveita!

Imagem: Pexels


Que tal ajudar a nossa leitora, que está com problemas em como arrumar um namorado?

@ load more