Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Desde que era criança, escutava muito minha avó, mãe, tias e amigas dizendo que “o ano voou antes de eu cumprir minhas metas”. E a cada ano, passo a concordar cada vez mais com elas.

Parece que 2017 começou ontem e já é hora de planejar as metas de ano novo, não é mesmo, meninas?

Falando em planejamento, há alguns dias comecei a fazer o balanço do ano que está encerrando e comecei a projetar as metas para o ano seguinte.

Estabelecer metas sempre foi muito tranquilo para mim, bastava uma lista de afazeres repleta de “emagrecer 5 quilos”, “ler 20 livros”, “começar aquele curso”, “ser promovida” etc, etc.

Porém, comecei a perceber que estes tipos de metas de ano novo, que são mais tangíveis e se categorizam praticamente como tarefas, por mais necessárias que sejam, acabam não se sustentando por si só.

Estas metas não são suficientes para que eu decida como quero me sentir no próximo ano, perto de quem quero estar e quais experiências desejo viver.

Pensando nisso, meu planejamento anual acabou sendo feito de uma forma mais fragmentada, me dando uma visão mais ampla sobre como posso cuidar melhor de mim mesma, das pessoas que amo, do meio em que vivo, sem que precise sacrificar as “tarefas” citadas acima em forma de metas.

Sendo assim, criei uma metodologia em 3 passos, que será compartilhada a seguir para que você também possa usá-la como forma de autoconhecimento para definir seus objetivos, metas e tarefas para o ano seguinte.

Papel e caneta na mão porque agora é hora de trabalhar em prol de si mesma. Vem comigo?

Como definir suas metas de ano novo:

metas de ano novo - 1

Passo 1: O balanço geral – Analisando 2017

Para que possamos chegar a uma conclusão sobre o ano, vamos começar uma retrospectiva mais fragmentada, analisando cada um dos meses.

É tempo de fortalecer a memória, tirar toda a poeira de baixo do tapete e registrar um resumo mês a mês, que contenha as seguintes perguntas:

  • Qual palavra resume meu mês?
  • Qual sentimento resume meu mês?
  • Qual cor resume meu mês?
  • Qual a melhor lembrança deste mês?
  • Qual a pior lembrança deste mês?
  • Com quem eu passei mais tempo neste mês?
  • Com quem eu passaria mais tempo neste mês?
  • O que eu não faria diferente neste mês?
  • O que eu faria diferente neste mês?

Depois de responder a estas perguntas por 12 vezes – uma para cada um dos meses – é hora de ler, refletir e pensar nas mesmas perguntas para o ano, compilando os pontos mais importantes registrados em cada um dos meses.

Repare que nas 3 primeiras perguntas, basta ver quais palavras/sentimentos/cores mais se repetiram ao longo dos meses e você terá a resposta do ano.

Já nas outras perguntas, você pode decidir quais foram mais importantes/marcantes entre as respostas de cada mês, fica a seu critério. ?

  • Qual palavra resume meu ano?
  • Qual sentimento resume meu ano?
  • Qual cor resume meu ano?
  • Qual a melhor lembrança deste ano?
  • Qual a pior lembrança deste ano?
  • Com quem eu passei mais tempo neste ano?
  • Com quem eu passaria mais tempo neste ano?
  • O que eu não faria diferente neste ano?
  • O que eu faria diferente neste ano?

Respondidas estas perguntas acima, você já tem seu balanço anual e pode seguir em frente. Vamos então à próxima etapa?

Passo 2: Identificando as intenções para o ano seguinte

metas de ano novo - 2

Agora que sabemos o melhor e o pior de 2017, é hora de definir aquilo que pode se manter no ano seguinte e aquilo que precisa ser diferente.

Se já olhamos para trás, basta olhar um pouco a frente na forma de um “brainstorm” (chuva de ideias), que nos permite conhecer algumas intenções, mesmo que superficiais.

Por mais intangíveis/absurdas/impossíveis que sejam os desejos e planos que surgirem nesta etapa, não os descarte nem os julgue, pois eles serão filtrados e trabalhados melhor na etapa seguinte.

Agora é a hora de sonhar alto e pensar no cenário ideal para sua própria vida. Não se limite, não se reprima! Vamos colocar a “não na massa” novamente.

Perguntas a serem respondidas:

  • Se daqui a 1 ano eu quiser resumir 2018 em uma palavra, qual será?
  • Qual sentimento eu quero que seja predominante no meu ano?
  • Qual sonho antigo eu acho que está na hora de realizar?
  • Qual sonho antigo eu acho que está na hora de deixar para trás?
  • Qual frustração/pendência eu preciso resolver com urgência?
  • O que eu espero de mim mesma?
  • O que eu espero das pessoas ao meu redor?
  • Qual objetivo NÃO ATINGIDO de 2017 que eu vou tentar novamente em 2018?
  • Qual objetivo NÃO ATINGIDO de 2017 que eu vou desconsiderar em 2018?
  • Qual objetivo CUMPRIDO em 2017 eu vou manter em 2018?
  • Qual objetivo CUMPRIDO em 2017 eu vou excluir de 2018?
  • O que precisa morrer junto com 2017?
  • O que precisa sobreviver em 2018?
  • O que precisa nascer em 2018?
  • Qual(is) área(s) da minha vida terá(ão) mais foco em 2018?
  • Quem deverá ser a(s) pessoa(s) mais importante(s) de 2018 na minha vida?

Passo 3: Definindo o planejamento anual em tópicos

Imagino que na etapa anterior tenham surgido muitas questões adormecidas na sua mente e no seu coração, não é mesmo? Comigo pelo menos foi assim, me dei um tempo para digerir tudo que havia respondido nestas questões e aí pude partir para organização do meu planejamento anual.

Esta etapa serve para colocar cada desejo/tarefa/sonho em seu devido lugar, transformando-o em um objetivo e traçando metas e submetas que te permitam alcançá-lo no decorrer do ano.

Nas etapas anteriores, falamos basicamente de tarefas, razões, sentimentos e pessoas.

Este conjunto de fatores é responsável por moldar nossas emoções e, automaticamente, nosso comportamento.

Com isso, vamos então organizar nossas respostas da etapa 2 dentro destas quatro definições, que chamaremos de:

O quê – Tarefas

Quais atividades eu quero cumprir? Qual o objetivo por trás delas? Em quais meses do ano eu devo executá-las? Quais são os riscos ao assumir esta tarefa?

Exemplo: quero fazer um curso de historia da arte, porque vai me deixar mais próxima da minha paixão que são quadros, eu vou iniciar os estudos em janeiro e concluir em maio, me dedicando 2x por semana das 19h às 23h. Os riscos são de eu ter menos tempo para passar com meu filho por conta das atividades do curso e que meu dinheiro fique mais escasso porque investirei em materiais didáticos como livros, quadros e filmes que precisarei comprar.

Obs.: perceba como a gestão de risco pode te ajudar a ponderar se é realmente viável atingir este objetivo e se vale a pena abrir mão de outros itens, como o dinheiro e o tempo com seu filho, como no caso acima.

Por quê – Razões

Por que é tão importante cumprir as tarefas? Como minhas tarefas a serem desenvolvidas em 2018 me deixam mais perto da pessoa que almejo ser? Meu propósito de vida está alinhado com o que vou realizar? Estou indo contra algum dos meus princípios?

Como – Sentimentos

As tarefas que vou realizar em 2018 têm sintonia com os meus sentimentos? Como vou me sentir se cumpri-las? Como vou me sentir se NÃO as cumprir? O que eu posso fazer por mim mesma para cultivar os bons sentimentos? Quais pequenos ajustes na rotina posso aplicar em cada dia do ano?

Quem – Pessoas

As tarefas que vou realizar em 2018 me aproximam ou me afastam de quem eu amo? E sobre as pessoas que desejo manter longe, meus atos estão me aproximando delas? Como eu posso viver meus sonhos sem prejudicar quem está ao meu redor? Como eu posso cumprir ou rever meus objetivos de forma a beneficiar não só a mim mesma, mas aos outros também? Ou este é um ano em que eu preciso pensar 100% em mim, sem me importar com a consequência que meus atos podem causar nos outros?

Agora SIM, todas prontas para começar 2018 com o pé direito?

Terminado este planejamento, é só se jogar nas festas, comemorações e delicias que dezembro nos proporciona. ?

Pode vir quente que estamos fervendo, ANO NOVO! <3

Imagem: Stocksnap


E você, já definiu suas metas de ano novo? Comente na pergunta do Clube!

@ load more