Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Contagem regressiva para as férias! Para aproveitar bem esse descanso, nada melhor do que fazer uma boa viagem, certo? Escolher um destino interessante, fazer as malas e, o melhor, economizar na viagem de férias!

Para que a lembrança da viagem de férias não se torne um pesadelo devido ao mau planejamento vou te mostrar de forma simples como você pode economizar e ter ótimas lembranças da sua viagem de férias.

Sem mais delongas, vamos às dicas para economizar na viagem de férias ! Só um lembrete: a última é super importante.

Como economizar na viagem de férias em 6 dicas

1. Faça um planejamento

Se você quer viajar e não quer comprometer o seu orçamento, faça um planejamento antecipado das suas férias. O primeiro passo seria saber qual o destino e também o valor que gastaria com estadia, alimentação e compras, além de pensar qual seria a data para a viagem. Será que vale a pena ir na alta temporada quando normalmente os preços estão lá em cima?

Então, pesquise na internet aqueles sites que vendem pacotes com desconto, que são uma boa pedida. Você também pode utilizar as milhas do cartão de crédito, mas fica uma dica: cuidado para não deixar suas milhas vencerem, então tenha um controle para que você não as perca.

2. Faça um pacote avulso

Por experiência própria, sem sombra de dúvidas, vale muito a pena você montar o seu pacote ao invés de comprar em agências de turismo. Apesar de essas agências de viagem montarem o seu pacote e darem sugestões para a viagem, o valor normalmente pode sair até 30% mais caro.

Em dezembro de 2016, eu fui para Porto de Galinhas e, ao pesquisar o pacote, ficaria um valor de R$ 6.000. Eu consegui economizar R$ 1.000 planejando a viagem. É claro, dá um certo trabalho, mas vale a pena.

Pesquisando a pousada, o aluguel do carro e as passagens, enfim, consegui ter uma baita economia.

3. Defina uma meta de gastos

Não sei se já aconteceu com você, mas normalmente gastamos além dos limites pois queremos comprar presentinhos, provar as comidas típicas do local e fazer os passeios.

Neste caso, sei que é mais prático utilizar o cartão, mas o ideal mesmo é estar com dinheiro, pois assim você consegue ter um controle melhor de quanto você está gastando.

Coloque metas para os gastos, assim você não corre o risco de ir além das suas possibilidades.

4. Peça desconto

Para mim já é um hábito perguntar o valor do desconto à vista. Uma certa vez, em uma das minhas viagens, eu perguntei para o gerente se ele me daria desconto caso eu fizesse as duas refeições (almoço e janta).

Pode acreditar, ele me deu desconto! Nos passeios, eu pesquiso antes e é claro que sempre peço desconto. Vale a pena pechinchar.

5. Vai de carro? Faça uma manutenção

Antes do check-up, você deve prestar atenção em alguns detalhes. A primeira é que a revisão do veículo não deve ser feita um ou dias antes da data da viagem. Leve-o com pelo menos uma semana de antecedência.

Dessa forma, caso seja preciso trocar alguma peça ou fazer algum procedimento mais demorado, você terá tempo para deixar o carro na oficina, sem comprometer o planejamento.

Em segundo lugar, escolha uma oficina de sua confiança para fazer a revisão. Os itens que serão conferidos são de vital importância para o pleno funcionamento do veículo e seu desempenho seguro nas rodovias. Portanto, não é recomendável deixar seu carro nas mãos de qualquer mecânico.

Fazer a revisão não só garante a segurança da sua família na estrada e de todos os outros condutores, como também preserva as condições do carro.

Se todas as peças estiverem em perfeito estado, o veículo trabalhará de forma eficiente, economizará combustível e saberá responder a situações de emergências, como freadas bruscas e ultrapassagens (somente as permitidas, é claro).

6. Faça um seguro viagem, mesmo se for de carro!

Deixei esse por último pois preciso te contar o que aconteceu comigo. Eu viajo uma vez por ano. Em dezembro de 2017, fomos para Hot Park em Caldas Novas. Minha filha mais nova, a Yasmin, tinha oito meses.

Quando saímos daqui de São Paulo ela estava um pouco gripada. A médica que a atendeu autorizou a viagem, disse que não teria problema, mas que era para evitarmos o ar condicionado e assim fizemos…

Quando chegamos, assim que coloquei os pés no hotel, ela ficou um pouco pior e começou a ficar com a respiração um pouco cansada.

Então eu a levei ao pronto socorro e quando cheguei lá o médico disse que era para continuar com a medicação e inalação que a médica anterior havia passado.

Quando retornei, fiz a inalação e, assim que terminei, ela começou a bater a asa do nariz. Como eu já fui da área da saúde, na hora eu falei para o meu esposo: “Corre, pois isso é um sinal de que a saturação está muito baixa”.

Não deu outra, quando cheguei no hospital a médica ficou assustada, pois a saturação estava a 55. Então foi um desespero total. Não vou me prolongar sobre tudo que aconteceu, eu cheguei a gravar um vídeo falando sobre isso, então, se você me segue, o vídeo está no meu canal do YouTube.

Resumindo, ela teve que ser transferida às pressas para Goiânia, onde ficou na UTI neonatal durante sete dias. Ela teve abscesso pulmonar causado pela pneumonia e seu estado foi grave, além de adquirir uma infecção hospitalar.

Depois de sete dias ela teve alta e ficou mais dois meses internada aqui em São Paulo, pois a medicação só mascarou o que ela tinha, ou seja, não teve efeito.

Sabe por que estou contando tudo isso? Antes de sair de casa para a viagem, eu disse para o meu esposo que iria fazer um seguro viagem, visto que meu convênio não atendia em outro estado. E foi esse convênio que salvou a vida dela, pois não havia vaga em UTI de hospital público e, veja: a Porto Seguro, pela qual eu fiz o seguro viagem, cobriu os gastos de todos os dias em que ela ficou internada e também a medicação da alta do hospital. Eles me deram todo o suporte enquanto ela estava internada. E não pense que paguei caro pelo seguro. Naquela época, para seis dias, que era o período da viagem, paguei R$ 80. E só a diária da UTI foi R$ 2.500, ou seja, tive uma economia enorme!

É claro que não vamos viajar pensando em coisas negativas, não é isso, mas imprevistos acontecem e foi o que aconteceu comigo. Então, em minhas viagens não penso duas vezes antes de fazer o seguro-viagem.

Desejo boa viagem e te espero no próximo artigo. Um abraço!

Imagem: Unsplash

@ load more