Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Viver do que se ama pode parecer uma frase de comercial de margarina, mas é o que cada vez mais as jovens mulheres brasileiras estão buscando. O que antes era uma meta de vida, vem se tornando uma realidade cada vez mais constante na vida de muitas brasileiras (leia mais aqui).

A mulher brasileira está cada vez mais encontrando oportunidades no empreendedorismo. Tal afirmação foi confirmada em março desse ano (2016), em dados divulgados pelo Jornal da Globo, que mostraram que entre as pessoas que abriram micro e pequenas empresas nos últimos três anos e meio, as mulheres representam 50% destas. No total brasileiro, elas representam 8 milhões  dos empreendedores, representando 32% da fatia.

As mulheres estão buscando a qualificação, estudando mais e analisando com mais atenção o ambiente de negócios. Ter maior liberdade em criar e inovar, buscar uma maior remuneração e poder controlar seus próprios horários são alguns dos pontos que mais empolgam as pessoas no que se refere “ter o seu próprio negócio”. Porém, empreender demanda tempo, esforço dobrado e invariavelmente se baseia em riscos, por menores que sejam (leia mais aqui).

Mas tais pesos nas costas podem ser minimizados quando se faz aquilo que se realmente ama. Por isso, empreender na área que te faz realmente feliz é um ótimo remédio para os problemas que surgem no cotidiano.

Uma ótima forma de começar um negócio com riscos menores, é inicia-lo (na medida do possível) de forma paralela ao seu atual emprego. Se você quer ter uma marca de roupa própria, por exemplo, uma boa ideia é tentar vender tais roupas ou atuar com moda pela internet sem ter que investir em um ponto comercial.

A ideia nessa estratégia não é lucrar em si, visto que vender pela internet não é tão simples (muito pelo contrário), mas poder obter o feedback dos clientes em relação aos seus produtos.

Começar a empreender de forma paralela

Para quem tem como hobby a arte, como a música e a pintura, poder se dedicar de forma estável somente a essas áreas é mais complicado. Mas nada impede de você pensar em alguma área que atua de forma indireta ao seu hobby. Por exemplo, se você ama música, você pode atuar como professora de música, como vendedora na área de instrumentos musicais, produzindo trilhas sonoras para vídeos ou até investindo em um pequeno estúdio de ensaios.

Uma forma segura de entrar nessa? Começar atuando como freelancer, através de plataformas digitais que unem interessados em pequenos serviços aos fins de semana. Muitas agências de design surgem exatamente dessa forma: especialistas da área começam a realizar serviços fora de seus empregos formais,  e após fidelizar uma agenda de clientes fieis, o caminho para tornar essa renda extra em uma empresa é apenas a formalização do negócio.

Clichês à parte…

Uma coisa que você precisa ter em mente é que a frase “viver do que se ama” pode parecer um clichê enorme típico de páginas do Facebook compartilhadas por jovens. Mas existe um mundo de possibilidades para você deixar de “levantar da cama para trabalhar” e passar a “saltar da cama”. Se você está desmotivada na área em que atua, talvez seja o momento de repensar os seus caminhos. Basta planejar, estudar as possibilidades e sobretudo não ter medo de iniciar um novo percurso.

A recompensa é gratificante.

imagem: Pinterest
fontes: Globo, SEBRAERenda

@ load more