Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Muita gente fala sobre dedo podre, muita gente diz que tem, outras tantas não acreditam nisso e uma galera fica usando de pretexto para não observar o óbvio: se envolve sempre com o mesmo tipo de pessoa. E por que, então, eu vou jogar a culpa em cima da pessoa que escolhe mal e não vou defendê-la de quem se transforma no meio do rolo e se mostra um verdadeiro filha da puta no final?

Porque tudo isso não existe. É história pra boi dormir que te contaram.

“COMO ASSIM!?”, você vai falar logo. Bom, acho que TUDO na vida que enxergamos como um problema merece ser tratado como tal. E se você acha que a sua vida amorosa não vai pra frente justamente porque você tem uma queda por homens que não valem nada, mulheres que somem ou opções variadas num cardápio de sacanagens, talvez seja a hora de você olhar para sua própria história e parar de repetir alguns padrões.

É difícil fazer isso? Muito. Se autoanalisar é algo doloroso porque também envolve admitir que, em certas ocasiões, tomamos decisões precipitadas. E onde eu quero chegar com isso?

  1. Não existe isso de “culpa”. Pare de se culpar por tudo ter dado errado e se esforce para ver quais padrões e tipos de pessoa foram repetidos, além disso…
  2. Todos nós sabemos que você não curte se machucar e nem acha que só veio nessa vida para sofrer.

Ok! Mas como eu exatamente me livro do dedo podre?

Falando com propriedade no assunto, eu te diria que “errando” e aprendendo a escolher melhor as pessoas. Aí, sei que você vai me olhar com cara de raiva e dizer “mas eu já erro sempre” e eu vou te devolver com a resposta mais filosófica sobre o tema: o amor é algo empírico. Precisa ser vivido. Isso quer dizer que, obviamente, não vamos conseguir olhar para a cara de alguém e dizer se vai nos fazer bem ou mal.

“Poxa, cara, então como eu vou saber que o cara é o padrão repetido?”. Olha, talvez aqui fique mais fácil. Isso tudo que eu falei e estou baseando a escrita deste texto é dito por psicólogos e psiquiatras que, sim, podem te ajudar se você quiser um tratamento mais profissional e a fundo neste tema. O que já posso te adiantar são as observações de comportamento mesmo: se ele liga, se dá atenção, se preocupa, se mostra interesse, se faz questão de te ter por perto. Essas coisas.

Eu sei que muito cara some depois que consegue o sexo. Eu sei que muita mulher ainda está magoada e diz que “não quer namorar“. Eu sei que as pessoas são complicadas, mas é apenas se relacionando e observando como as pessoas se comportam, além de acreditar no caráter e nas coisas que alguém diz, que podemos “acertar”. Ninguém falou que seria simples. Relacionamento, afinal, é mais complicado do que física quântica.

Pode apostar.

Imagem: Balaozinhos

@ load more